Wolfenstein rodando no PC de R$ 1.500, R$ 2.500, R$ 3.500 e R$ 5.000!

Será que o PC Baratinho e o da Crise dão conta do jogo? E como fica em nossos PCs mais caros?
Por Diego Kerber 11/08/2019 14:24 | atualizado 23/08/2019 08:56 Comentários Reportar erro

Fazia tempos que um game não passava pela prova de nossos PCs de baixa performance. Depois de ver se o PUBG Lite realmente era leve colocando ele pra rodar no nosso PC de R$ 1.5 mil, chegou a hora de colocarmos o novo jogo da série Wolfenstein pra descobrir até onde a Vulkan vai fazer milagre e extrair performance de nossos vários hardwares de baixo até alto custo.

Youngblood é um páreo duro porque é um jogo muito frenético e, portanto, bastante exigente quando o assunto é taxas de quadro ou fluidez. A correria dos tiroteios fica "injogável" se não for na casa dos 60fps com boa estabilidade!

Começando pelo PC da Crise, o nosso cara até R$ 1.500, que atualmente conta com:

- Ryzen 3 3200G - R$ 550
- 2x4GB DDR4 2666MHz - 2x R$ 126
- Placa-mãe B450 - R$ 360
- Fonte (praticamente qualquer uma serve para dar conta de uma APU sozinha) - R$ 180
- HD 1TB - R$ 220

Total: R$ 1.582

LINK COM O PC DE R$ 1.500 NA PICHAU

Esse computador não é indicado para games AAA ou franquias pesadas, mas mesmo assim até que foi possível conseguir algo dele nesse jogo. É preciso abrir mão de muita qualidade gráfica, usando a resolução HD e qualidade no mínimo para atingir uma taxa até bem satisfatória de quadros. O jogo não fica bonito, mas definitivamente é possível jogá-lo, graças a taxas bastante altas de quadro e, surpreendentemente, uma boa estabilidade.

Não fica bonito, mas dá para jogar bem Wolfenstein Youngblood no PC da Crise

Já fica claro em nosso teste como fica fora de cogitação as placas de 2GB para jogar em 1080p. Esse jogo tem um claro consumo de VRAM mais compatível com 4GB se você vai tentar FullHD, e foi um dos principais motivos para ser inviável uma configuração em 1080p nesse nosso sistema limitado a no máximo 2GB (compartilhados da RAM) de memória de vídeo.

Na vez do PC Baratinho, nosso cara até R$ 2.500 foi uma grata surpresa ver o ótimo nível de qualidade que conseguimos com os seguintes hardwares:

- Intel Core i5-9400F - R$ 850
- 2x4GB DDR4 2666MHz - 2x R$ 126
- Placa-mãe H310 - R$ 370
- Placa de vídeo AMD Radeon RX 570 4GB - R$ 670
- HD 1TB - R$ 220 
- Fonte 450W - R$ 215

Total: R$ 2.577

LINK COM O PC DE R$ 2.500 NA PICHAU

Com uma placa de vídeo mais parruda e com os desejados 4GB ao menos, conseguimos FullHD em qualidade alta com uma excelente taxa de quadros. Querer subir mais a qualidade gráfica (ainda temos a "uber" e "mein leiben") é novamente dar de cara com limitações de VRAM, então o ideal é parar mesmo no 1080p/Alto, que já é uma excelente configuração gráfica.

O Baratinho já entrega FullHD em qualidade alta, e é o auge do custo x benefício para Wolfenstein Youngblood

Graças ao baixo preço da RX 570 e os 500 reais a mais que temos dado ao PC Baratinho (antes ele costumava custar na casa dos R$ 2 mil) ele hoje é um computador bem mais competente, e tem o auge do custo x benefício para jogar Wolfenstein Youngblood.

Até R$ 3.500

- Intel Core i5-9400F - R$ 850
- 2x8GB DDR4 2666MHz - 2x R$ 200
- Placa-mãe H310 - R$ 370
- Placa de vídeo Nvidia GeForce GTX 1660 Ti - R$ 1250
- HD 1TB - R$ 220 
- SSD 120GB - R$ 120 
- Fonte 450W - R$ 215

Total: R$ 3.425

LINK COM O PC DE R$ 3.500 NA PICHAU

Partindo para nosso PC indicado, o PC Ideal, as coisas ficam bem mais confortáveis. Com o upgrade para a GTX 1660 Ti que ele recebeu recentemente, ele não apenas sobra em FullHD/Ultra como, em franquias um pouco mais leves como está sendo Wolfenstein Youngblood, chega a atingir níveis de desempenho compatíveis com resolução maiores, como o QuadHD. 

Até R$ 5.000

- AMD Ryzen 5 3600 - R$ 1099
- 2x8GB DDR4 3200MHz - R$ 719
- Placa-mãe B450 - R$ 360
- Placa de vídeo Nvidia GeForce RTX 2070 - R$ 2230
- HD 1TB - R$ 220 
- SSD 120GB - R$ 120 
- Fonte 600W - R$ 260
- Um bom gabinete - R$ 200

Total: R$ 5.205

LINK COM O PC DE R$ 5.000 NA PICHAU

E por fim, o nosso PC com orçamento mais que sobrando fez o que esperávamos: fatiou o jogo sem dificuldades. Além de rodar em 2,5K em altíssima taxa de quadros, ele passa perto de entregar 60fps na qualidade Alta e resolução 4K. Ele não apenas vence sem problemas o jogo, como vai estar pronto para experimentar o Ray Tracing (e parece ter margem de performance para aguentar o tranco) quando ele chegar ao game no futuro.

 

Wolfenstein Youngblood se saiu bem em nossos hardwares testados, todos com ampla variação de CPU e GPU, tanto quando o assunto é fabricantes quanto níveis de performance. Não é leve o bastante para ser rodado em gráficos integrados com folga, mas se você aceitar abrir mão de bastante qualidade gráfica e resolução, dá para arriscar em iGPUs mais potentes, como as das APUs Ryzen. O consumo de RAM não foi elevado, então configurações com 8GB não devem ter problemas, e até o PC da Crise, que na realidade tem 6GB e empresta o resto para o chip Vega, rodou com boa estabilidade.

Wolfenstein não está exigente em hardware, mas precisa de 4GB de VRAM para o FullHD em alta qualidade

Para jogar com qualidade, porém, algumas coisas se mostram evidentes. As placas de 2GB não dão conta do 1080p e as com 3GB talvez precisem de alguns ajustes em texturas, por exemplo, enquanto o ideal é mesmo ter 4GB para encarar FullHD. No restante do hardware, o jogo não parece ser exigente e foi possível rodar em todos os nossos patamares de preços.

Na minha opinião, o melhor PC da bateria de testes foi o PC Baratinho. Com orçamento de R$ 2.500 ele já deu conta do jogo em alta qualidade e performance, mostrando a boa otimização do jogo. O PC da Crise está subdimensionado, enquanto o PC Ideal já está sobrando para dar conta desse game, afinal gostamos de um pouco de margem no PC que indicamos ser montado para jogos.

Assuntos
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".

Você se importa com a temperatura da série RX 5700?

Mais vídeos