Relatório culpa preço abusivo como fator para pirataria

De acordo com um relatório da Social Science Research Council, o grande culpado pela pirataria é o preço abusivo dos produtos.

O estudo, chamado de "Pirataria na Mídia em Economias Emergentes", concentrou-se principalmente no Brasil, Índia, Rússia, África do Sul, México e Bolívia. O relatório conclui que "o problema da pirataria é mais concebido como uma falha de acesso aos meios de comunicação acessíveis nos mercados legais."

Em relação aos preços locais, o estudo afirma que o preço de alguma obra em CD, DVD ou cópia do MS Office é freqüentemente cerca de dez vezes mais caro que nos EUA ou a Europa, tornando quase impossível criar um mercado legal de tamanho razoÁvel.

O relatório vai mais além e diz que a pirataria nesses países não é vista como algo de errado e em virtude do sobrecarregamento do sistema jurídico, fica difícil de exigir que os governos tomem o problema como algo relevante.

"O fracasso dos mercados legais para fornecer acesso a bens, a preços acessíveis em termos de preços locais condizentes com a renda, gera uma situação de alto índice de pirataria, como forma principal de acesso aos conteúdos", revelou o editor do estudo, Joe Karaganis.

Outra questão bastante polêmica levantada pelo relatório joga um verdadeiro balde de Água fria em um dos principais argumentos das empresas. De acordo com o estudo, não hÁ nenhuma ligação entre pirataria e crime organizado ou o terrorismo.

Para William Patry, advogado sênior da Google, o relatório é um verdadeiro marco na literatura de direitos autorais, indicando assim que poderÁ servir de arcabouço para futuros embates jurídicos.

Assuntos
  • Redator: Filipe Braga

    Filipe Braga

    Filipe Braga é um cearense extremamente simpático formado em Ciências da Computação e apaixonado por computadores e tecnologia em geral. Também participa de reviews de hardware, especialmente placas de vídeo, processadores e placas mãe.

Você já começou a segurar suas compras de games e hardware pra se preparar para a próxima geração de consoles?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.