Créditos: AMD

CPUs Threadripper foram usadas para criar Exterminador do Futuro: Destino Sombrio

Processadores da AMD permitiram o uso de técnicas avançadas de pós-produção no filme

A empresa de animação e efeitos visuais Blur Studio usou processadores AMD Ryzen Threadripper no filme de ação e ficção científica O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio, mega produção de Hollywood que continua a franquia Terminator com um orçamento de mais de US$ 160 milhões (R$ 670 milhões). Para demonstrar isso, a empresa divulgou um vídeo onde exibe um pouco dos bastidores da pós-produção do filme — que você pode conferir em destaque acima da notícia.

O vídeo conta um pouco da história recente da produtora, que recentemente também trabalhou com produções como a série de TV Love, Death + Robots da Netflix e games como Call of Duty Modern Warfare.

"Eu me interesso por diversas coisas, desde televisão e efeitos visuais até jogos e custcenes de jogos. O meio não interessa muito, eu estou interesso é numa boa história. O ponto de criar um estúdio era encontrar histórias que nós achamos interessantes".
Tim Miller, CEO do Blur Studio e diretor de Exterminador do Futuro: Destino Sombrio

De acordo com a equipe do estúdio, o uso de processadores Threadripper permitiu que o tempo de cálculo das renderizações fosse reduzido de cinco minutos para cinco segundos em algumas situações. Ao ter um tempo de cálculo menor, os designers e artistas de efeitos especiais podem fazer alterações de última hora, até mesmo perto do prazo de entrega do projeto. 

"Love, Death + Robots é uma série na qual estamos trabalhando com a Netflix. O que é ótimo sobre este lugar é a colaboração entre os artistas. Todos nós viemos de locais tão diferentes e eu sinto que, juntos, somos essa força unificada".
Dan Akers, Supervisor de efeitos visuais do Blur Studio

  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Apostas do TGA 2019: Jogo do Ano - GOTY