Créditos: Ninja Theory

Microsoft e Ninja Theory criam Insight Project para lutar contra doenças mentais

Inspirado por Hellblade, projeto criará jogos para ajudar com ansiedade, medo e sofrimento emocional

A produtora Microsoft e a desenvolvedora Ninja Theory anunciaram a criação de uma parceria para lançar o Insight Project, que será responsável pela criação de jogos para combater doenças mentais. O objetivo é criar jogos que ajudem os usuários a reconhecer os sinais das doenças e criar mecanismos de resposta e controle para sensações de medo, ansiedade e de sofrimento emocional.

A ideia vem da parceria entre as empresas que foi iniciada em 2015 e resultou no lançamento de Hellblade: Senua's Sacrifice em 2017. No título, a protagonista Senua precisa lidar com questões como ansiedade, depressão, alucinações e desilusões.

Site oficial: The Insight Project

A equipe de Ninja Theory fez uma cuidadosa pesquisa entrevistando pessoas que lidam com doenças mentais — além de trabalhar em conjunto com o professor Paul Fletcher, da Universidade de Cambridge.

Após ganharem prêmios pelo jogo, o acadêmico e os desenvolvedores do estúdio decidiram continuar seu trabalho acerca do tema de saúde mental. A ideia é que Fletcher e o co-fundador e diretor criativo da Ninja Theory, Taneem Antoniades, estudem como é possível usar design de games, tecnologia e neurociência em conjunto para beneficiar quem sofre com doenças mentais.

De acordo com o site Engadget, o trabalho do Insight Project será feito ao longo de anos, num verdadeiro projeto de longo prazo. Hoje, a equipe está ocupada testando como usar dados biométricos para controlar simulações de games com a mente e o corpo. Os pesquisadores irão conduzir experimentos científicos formais e compartilhar os resultados dos seus estudos com a comunidade científica.

Via: Engadget
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Half-Life veio, e é em realidade virtual. Agora embala os óculos de realidade virtual?