Créditos: https://www.digitaltrends.com/

Desmontar o Asus ROG Phone II revelou todo o projeto interno do smartphone

Canal que desmonta eletrônicos mostrou pontos positivos e nem tanto do aparelho
Por Daniel Trefilio P. de Carvalho 18/10/2019 08:10 | atualizado 18/10/2019 09:57 Comentários Reportar erro

O Asus ROG Phone II é quase certamente o melhor telefone para jogos do mercado atualmente. Sua estética gamer, com direto a RGB e acessórios que garantem sistema ativo de resfriamento, sem sombra de dúvidas o destacam dentro do nicho cada vez mais relevante no mercado de smartphones. Zack, do canal JerryRigEverything conduziu um teardown para averiguar o que tinha escondido em baixo do capô.

O smartphone foi mais complexo de se desmontar do que o geral devido seu painel de vidro com formato distinto, parte do design atraente do modelo, mas que é recortado para acomodar uma saída de ar. Saída esta que por sua vez revelou-se completamente oca e sem qualquer conexão com componentes críticos da placa mãe do ROG Phone II. Ela até possui uma abertura de cobre para o exterior do telefone, mas é só isso, não possui qualquer função ativa de resfriamento de componentes, apenas uma exaustão passiva do ar aquecido por irradiação na região diretamente em contato com a saída. 

Ao desmontar o telefone, foi possível, além de permitir ter a real noção da monstruosidade em forma de bateria de 6,000 mAh (um powerbank intermediário tem geralmente 10.000 mAh, menos de duas cargas máximas em uma bateria desse porte), verificar a presença de um enorme dissipador de cobre localizado abaixo do display e que foi projetado para dissipar calor através da tela. Entretanto, recortando-se a câmara de vapor não verificou-se a presença de qualquer vapor ou liquido de resfriamento dentro da mesma, que, apesar de não ser o esperado para um modelo de alto desempenho, ainda é eficaz o suficiente por ser de cobre, sabidamente um bom condutor de calor, daí sua ampla utilização em projetos de resfriamento

o Asus ROG Phone II é sem dúvida um ótimo modelo, contudo a entrada de ar na sua traseira foi uma opção de design, que apesar de prejudicar e possivelmente inviabilizar a resistência a água do modelo, acaba prevalecendo quando há o intuito de deixá-lo mais atraente e absolutamente situá-lo dentro do nicho de mercado que a empresa Taiwanesa está mirando, ainda mais considerando a enorme popularidade de jogos mobile na Ásia. 

 

Via: GSM Arena Fonte: GSM Arena
  • Redator: Daniel Trefilio P. de Carvalho

    Daniel Trefilio P. de Carvalho

    Formado em Letras pela Universidade Estadual de Campinas em 2013, professor, tradutor e revisor. Nas horas vagas, instalando impressora e formatando PCs desde os tempos que Alone In The Dark era um jogo bom e ocupava 4 disketes.

Half-Life veio, e é em realidade virtual. Agora embala os óculos de realidade virtual?