Créditos: Square Enix/TheSixthAxis

BGS 2019: Final Fantasy VII Remake tem tudo para conquistar novos jogadores para a franquia

Com uma gameplay cativante, game da Square Enix deve agradar aqueles que tem vontade de jogar o game mais conhecido da franquia pela primeira vez no Playstation 4
Por Pedro Henrique 11/10/2019 19:00 | atualizado 18/10/2019 15:09 Comentários Reportar erro

Após a revelação dos games que estariam disponíveis para serem jogados na Brasil Game Show desse ano no estande da Playstation, obviamente que o principal atrativo ficaria por conta do Remake de Final Fantasy VII. O RPG de ação da Square Enix está sendo aguardado a anos pelos fãs da franquia, onde muitos o consideram o game original de 1997 o melhor já criado, assim criando um hype muito grande sobre o remake.

Com toda essa animação criada principalmente pelos fãs sobre o jogo, resolvi eu testar o game na feira, onde seria meu primeiro contato com um jogo da franquia Final Fantasy, que completa 32 anos em 2019. Para minha sorte, consegui reservar um horário para poder jogar a demo de 20 minutos disponível no estande do Playstation (para se ter noção da concorrência para testar o game, no aplicativo Playstation Experience, onde é feito as marcações de horários para se jogar no estande, as reservas para o Remake de Final Fantasy VII se esgotavam em menos de um minuto).

Falando agora sobre a demonstração do game, ela é basicamente a mesma vista na E3 2019 e na Gamescom 2019, onde jogamos com Cloud Strife e Barret Wallace em uma das localidades da cidade de Midgar. Mesmo sendo meu primeiro contato com a franquia, fiquei surpreso ao me adaptar rapidamente com a jogabilidade de Final Fantasy VII Remake, onde nos primeiros inimigos bastava atacar e de vez em quando se defender para avançar pelo cenário.

Após enfrentar os inimigos mais simples, temos uma cutscene onde mostra Cloud, mesmo de certa forma contraria e forçado por Barret para demonstrar sua lealdade, plantando uma bomba na instalação, sendo que após isso, aparece o "chefão" da demo, uma Sentinel Scorpion.

Durante o duelo contra a aranha robótica gigante, comecei a utilizar os outros recursos que o game oferece, como a troca rápida de personagens e o uso de itens e habilidades. Elas são extremamente úteis e fáceis de entender, onde o uso dos itens de cura, por exemplo, é extremamente necessário para se manter vivo no combate. Outra habilidade muito legal são os ataques Limit, que quando utilizados de forma correta, , além de serem cinematográficas, causam um dano considerável no inimigo.

O que me surpreendeu positivamente foi a harmonia entre os momentos de ação e de estratégia. Ao ativar o menu de itens e habilidades, a partida entra em slow-motion, assim você tem tempo para pensar na estratégia certa para aquele momento. O acesso e definições de ação são feitos de forma ágil e torna a gameplay mais dinâmica.

Créditos na imagem - Eurogamer

Nessa batalha também se nota as diferenças de jogabilidade entre Cloud e Barret. Cloud é muito bom no combate mais próximo com sua espada, enquanto Barret é ótimo para ataques a longa distância com seu braço-torreta. Mesmo após perder meu Barret por não ter reparado na barra de vida dele, acabei conseguindo derrotar a Sentinel Scorpion com Cloud utilizando as poções de dano.

Graficamente o jogo é muito bonito, apesar de eu notar um certo nível de serrilhado principalmente nos personagens. Como se trata de uma versão de demonstração, é bem provável que a Square Enix ainda faça um polimento no game antes de seu lançamento final.

Como essa foi minha primeira experiência com um game da franquia, não tenho poder de opinião para falar mais detalhes para os fãs mais clássicos, mas as impressões iniciais com o jogo são extremamente positivas, e acredito que Final Fantasy VII Remake tem muito potencial de agradar aqueles que nunca tiveram contato com um game da série Final Fantasy e pensam em dar uma chance para o futuro lançamento da Square Enix.

Final Fantasy VII Remake será lançado no dia 3 de março de 2020, sendo um exclusivo para o Playstation 4. Em parceria com a ASUS, você acompanha todos os detalhes da Brasil Game Show 2019 em nossas redes sociais, onde estamos transmitindo tudo sobre o mais evento de game da América Latina em nossos canais do YouTube e Facebook.

  • Redator: Pedro Henrique

    Pedro Henrique

    Formado em Informática e tecnólogo em Jogos Digitais, amante de games (principalmente os de corrida), curte uns hardwares e assim como Pink e o Cérebro, buscando o plano para dominar o mundo.

Os lançamentos problemáticos de games tem feito você evitar pré-compras?