Créditos: Shutterstock

PlayStation 5 terá suporte a Ray Tracing acelerado por hardware da AMD

A Sony deu mais alguns detalhes sobre o console que chegará no final de 2020
Por Saori Almeida 08/10/2019 17:06 | atualizado 08/10/2019 17:06 Comentários Reportar erro

A Sony deu recentemente mais alguns detalhes sobre o seu console da próxima geração, que se chama oficialmente PlayStation 5. Além do período de lançamento, a empresa também confirmou que o console terá suporte a Ray Tracing acelerado por hardware fornecido pela GPU da AMD.

A empresa não contou muito mais do que foi dito em abril, e o preço e data exata de lançamento permanecem um mistério. O que sabemos é que o PlayStation 5 chegará aos consumidores com processador Ryzen de terceira geração (Zen2 de 7nm e oito núcleos) e GPU Radeon Navi customizada com suporte para resolução até 8K.

Até então a única dúvida real era se o Ray Tracing do PS5 seria baseado em software ou acelerado por hardware. Sobre o nome oficial do console, a Sony não foge do padrão desde o PlayStation 2, e é bem improvável que faria isso agora.

Além disso, a empresa deu alguns poucos detalhes de como vai funcionar o armazenamento interno do PS5. A quinta geração do console será a primeira a apresentar um SSD. Ainda não sabemos a capacidade, mas isso certamente vai melhorar a inicialização e carregamento de streaming.

A Sony também disse à Wired que  pretende mudar o jeito como os jogos são instalados para que não seja necessária uma grande quantidade do armazenamento limitado para um único título. E será possível decidir entre instalar os jogos na íntegra (como era necessário no PS4) ou apenas as partes que o jogador quer mesmo jogar - campanha, multiplayer, etc.

Fora isso, os controles do PS5 foram atualizados com feedback háptico,e os usuários verão uma nova interface  que promete facilitar a interação online.

Espera-se que o PlayStation 5 chegue ao mercado antes dos feriados de 2020.

Via: TomsHardware, Geek.com
  • Redator: Saori Almeida

    Saori Almeida

    Saori Almeida (ou Sakura, Naomi e no pior dos casos Sônia), veio do nem tão interior do Rio Grande do Sul para estudar Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e ver no que dava. Como gosta de dizer, "com o nome, veio o pacote": adora animes, mangás, doramas e cultura asiática no geral (não só entretenimento, ok?). O interesse por tecnologia e games existia desde pequena e aumenta a cada dia na redação do Adrenaline e Mundo Conectado.

Os lançamentos problemáticos de games tem feito você evitar pré-compras?