Créditos: KSNW

Gamer é condenado a 15 meses de prisão por trote para a SWAT que resultou em morte

Jovem de Ohio ainda está proibido de participar de qualquer atividade relacionada a games por 2 anos
Por Carlos Felipe Estrella 15/09/2019 18:42 | atualizado 15/09/2019 18:44 Comentários Reportar erro

O jovem gamer Casey Viner, de Ohio nos EUA, foi condenado a 15 meses de prisão por causa de um trote para a SWAT (Special Weapons And Tactics) que resultou no assassinato de um homem do estado de Kansas. Viner, que tem 19 anos, também foi proibido de ser envolver com quaisquer atividades da área de gamers por um período de dois anos.

De acordo com a decisão do juiz Eric Melgren, o jovem estava irritado por ter perdido uma aposta de US$ 1,50 (R$ 6 em conversão direta) enquanto jogava Call of Duty: WWII online. Por causa disso, a denúncia afirma que Viner entrou em contato com o colega Tyler R. Barriss para fazer "swatting" com um oponente do jogo: Shane Gaskill, habitante de 20 anos de Wichita.

Só que eles teriam um apenas um endereço antigo de Gaskill em mãos, o que os levou a citar a casa de outra pessoa no seu trote para a SWAT. Essa pessoa era Andrew Finch, um homem de 28 anos que não tinha qualquer relação com a briga dos jovens ou com videogames online. Ele então acabou sendo assassinado por um agente da divisão especial da polícia norte-americana.

Fonte: Schriever Air Force Base

Já Shane Gaskill foi indiciado como cúmplice do crime, por ter fornecido previamente o seu endereço antigo de Wichita para Viner. Além disso, Gaskill terá provocado o seu rival de Call of Duty a tentar algo em sua casa.

Segundo o site NBC News, Barriss mora em Los Angeles e possui uma reputação na internet por promover ações de "swatting" com sucesso e numa certa frequência. Ele foi quem ligou para a polícia no dia 28 de dezembro de 2017 para denunciar um sequestro e um tiroteio no endereço de Finch, em Wichita.

De acordo com a acusação judicial, uma análise do celular de Viner conseguiu recuperar mensagens que ele havia apagado. Elas haviam sido enviadas para pessoas desconhecidas. Numa delas, o jovem diz que esteve envolvido na morte de alguém.

A família de Finch processou a cidade de Wichita e os policiais envolvidos na morte do homem. A defesa da polícia local foi de que o agente atirou em Finch por ter achado que ele estava tentando alcançar uma arma. Segundo os policiais, a vítima moveu sua mão em direção à cintura logo antes de ser assassinada.

Via: NBC News
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Quem você acha que merece o GOTY do The Game Awards?