Funcionários dos Correios entram em greve geral por tempo indeterminado

Reajuste salarial e anti-privatização são principais demandas dos grevistas
Por Mariela Cancelier 11/09/2019 11:06 | atualizado 11/09/2019 11:10 Comentários Reportar erro

Em uma assembleia realizada ontem, os funcionários dos Correios decidiram entrar em greve geral por tempo indeterminado. O objetivo da greve é impedir a redução dos salários e benefícios da categoria, além de ser contra a privatização da empresa, que é estatal. A privatização do serviço foi incluída no governo Bolsonaro em agosto, fazendo parte de uma lista com oito estatais consideradas no programa de privatizações. 

Os pontos abordados durante a greve dos funcionários dos Correios são reajuste salarial, melhores condições de trabalho e mantimento de benefícios. Por exemplo, os funcionários pedem a reconsideração da retirada de pais e mães do plano de saúde recebido por eles.

Assembleias dos Trabalhadores dos Correios em São Paulo, Rio de Janeiro, Bauru, Tocantins, Maranhão e na maioria dos Estados do país decretaram GREVE GERAL da categoria a partir das 22h00 dessa terça, 10 de setembro.
- declaração da Findtec em sua página na internet

A direção dos Correios explicou que realizou dez encontros com os representantes dos trabalhadores para apresentar propostas dentro das condições possíveis. De acordo com a nota da direção da estatal, as propostas com os trabalhadores levaram em consideração o prejuízo acumulado de R$ 3 bilhões. Já a página online da Findtec (Federação interestadual dos sindicatos dos trabalhadores e trabalhadoras dos Correios) diz que "a direção dos Correios, a mando do governo, se negou a negociar com os trabalhadores. Sua Vice-presidência convocou a empresa para negociar, mas ela se negou".

Por enquanto, a empresa brasileira Correios ainda não divulgou os impactos da greve, mas divulgou que haverá uma paralisação parcial. 

Sobre a privatização dos Correios
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) fará um estudo sobre a viabilidade de concretizar a venda de empresas estatais consideradas no governo Bolsonaro. Caso a privatização dos Correios seja liberada, a privatização dessa e de outras estatais terá de passar pela aprovação do Congresso Nacional, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal.

Via: G1
Assuntos
  • Redator: Mariela Cancelier

    Mariela Cancelier

    Estudo Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), fui estagiária do Adrenaline/Mundo Conectado entre 2015 e 2017. Gosto de jogos de luta (o que marcou minha infância foi Tekken 4) e MOBAs. Atualmente sou colaboradora de ambos sites e apareço de vez em quando em alguns vídeos e reviews dos canais. Assista lá, o conteúdo é legal ;D

Qual vai ser o melhor lançamento de setembro de 2019?