Créditos: Divulgação/Remedy Entertainment

NVIDIA mostra as vantagens que o DLSS traz para Control

A técnica promete framerates até 75% maiores com o Ray Tracing ligado
Por Felipe Gugelmin 02/09/2019 11:49 | atualizado 02/09/2019 11:49 Comentários Reportar erro

Lançado oficialmente na semana passada, Control é um dos games que melhor demonstra os benefícios da tecnologia Ray Tracing. Para garantir a combinação de visuais impressionantes com um desempenho estável, a NVIDIA apostou na solução DLSS como uma alternativa mais eficiente para o processamento de imagens.

Segundo a empresa, jogos como Control exigem novas soluções para a renderização. A solução encontrada por ela é o uso do que ela chama de “super resolução”. “Renderizar menos, mas mais ricos, pixels, e usar técnicas avançadas que entregam resoluções maiores com uma qualidade de imagem melhor”, explica ela em seu site oficial.

O DLSS (Deep Learning Super Sampling) da NVIDIA usa tecnologias de inteligência artificial que prometem converter artefatos que seriam considerados bugs em detalhes para uma imagem. “Desenvolvemos um novo algoritmo de processamento de imagens que aproximou nosso modelo de pesquisa em IA e o encaixou em nosso pequeno orçamento de desempenho. Essa solução de processamento de imagem para o DLSS é integrada em Control e entrega framerates até 75% maiores”, promete a fabricante.

Em um vídeo publicado em seu site, a empresa mostra a comparação do jogo desenvolvido pela Remedy renderizado em 720p com saída em 1080p. Enquanto de um lado temos o título rodando usando as soluções de escalonamento em sua engine, do outro o DLSS é usado para entregar mais detalhes e reduzir artefatos gráficos perceptíveis.

Sistemas complexos

A NVIDIA compara seu sistema de aprendizado profundo com o usado em carros autônomos. Segundo ela, criar códigos que levem em consideração questões como distância, cores de veículos e a forma de cada um deles é um processo complexo, que só é possível com a inteligência artificial. O mesmo se aplica ao mundo complexo de um game, que torna difícil codificar manualmente as cores e movimentos de todos os pixels.

Fonte da imagem - Divulgação/Remedy Entertainment

Em vez de tentar solucionar o problema através de infinitas declarações condicionais, o aprendizado profundo aprende o algoritmo a partir de dados”, explica. Usando um supercomputador, redes neurais profundas são expostas a dezenas de milhares de imagens e aprendem como elas funcionam.

As redes neurais integram informações incompletas de frames em baixa resolução para criar um vídeo suave e exato”, promete a NVIDIA. Embora garanta que o DLSS usado em Control é o mais sofisticado até agora, a empresa se compromete a otimizar seu modelo de IA para atingir framerates ainda maiores. A promessa é que isso será entregue aos consumidores futuramente através dos drivers Game Ready, com benefícios mais evidentes para quem possui uma GPU da linha .
      

Fonte: NVIDIA
  • Redator: Felipe Gugelmin

    Felipe Gugelmin

    Jornalista com 10 anos de experiência nas áreas de tecnologia e games, gosta de estar por dentro das últimas tendências e novidades. Dedica boa parte do tempo livre a jogar (representante da PC Master Race), mas também arranja um tempo para a vida social, leituras e dar passeiros com seu cachorro.

Qual game da TGS você está mais ansioso?