Créditos: Divulgação/AMD

AMD limitou o Boost do Ryzen 3000 para aumentar sua longevidade, revela ASUS

A restrição foi implementada a partir do firmware AGESA
Por Felipe Gugelmin 27/08/2019 10:13 | atualizado 27/08/2019 10:16 Comentários Reportar erro

Preocupada com a longevidade de seus processadores da linha Ryzen 3000, a AMD limitou a capacidade de Boost deles através do firmware AGESA (AMD Generic Encapsulated System Architecture). A situação, que já estava sob suspeita de alguns usuários, foi confirmada pelo usuário “shamino1978” do Reddit, conhecido por trabalhar na ASUS e por fazer parte da comunidade dedicada a overclocks.

Segundo ele, é esse o motivo pelo qual o sistema de Boost do hardware tende a usar frequências diferentes dependendo da placa-mãe usada. “Eles estavam sendo muito agressivos com o boost anteriormente, o comportamento de boost atual está mais alinhado com sua confiança na confiabilidade em longo termo”, afirmou shamino1978.

O usuário do Reddit garante que não tem informações sobre uma possível mudança de postura nesse sentido. No entanto, ele afirmou que há chances de que uma “versão mais customizável” seja apresentada ao mercado no futuro. A linha Ryzen 3000 adota a tecnologia Precision Boost Overdrive (PBO), que aproveita margens de potência, temperatura e tensão para garantir um desempenho mais alto e estável ao usar o overclock automático oferecido pela AMD.

Diferenças entre placa-mães

A “polêmica” sobre as diferentes velocidades de Boost da linha Ryzen 3000 começou quando consumidores perceberam que elas variavam dependendo da placa-mãe que era usada. Testes conduzidos pelo Guru3D mostram que, usando as mesmas soluções de resfriamento, a frequência máxima podia variar em mais de 100 MHz dependendo do modelo utilizado.

Fonte da imagem - Divulgação/AMD

Na prática, as limitações impostas pela AMD não chegam a restringir a capacidade de overclock de seus processadores — ainda é possível ajustar o clock de forma manual caso você deseje. Os principais afetados devem ser aqueles que usam os sistemas automatizados oferecidos pela empresa que, em contrapartida, devem observar a vida-útil das CPUs se estendendo um pouco mais.

Via: Guru3D Fonte: Reddit
  • Redator: Felipe Gugelmin

    Felipe Gugelmin

    Jornalista com 10 anos de experiência nas áreas de tecnologia e games, gosta de estar por dentro das últimas tendências e novidades. Dedica boa parte do tempo livre a jogar (representante da PC Master Race), mas também arranja um tempo para a vida social, leituras e dar passeiros com seu cachorro.

Half-Life veio, e é em realidade virtual. Agora embala os óculos de realidade virtual?