Créditos: Nvidia

Serviço de jogos em nuvem Nvidia GeForce Now recebe servidores com GPUs RTX

Fabricante de placas de vídeo revelou a novidade durante a Gamescom 2019

Os serviços de jogos em nuvem estão ganhando destaque na Gamescom 2019. Além da Google apresentar novidades do Stadia, a Nvidia também foi para Colônia, na Alemanha, e revelou que seu serviço de streaming de games, o GeForce Now, agora possui servidores baseados em GPUs RTX.

Os usuários que estão participando do beta gratuito da plataforma, que foi aberto no ano passado, poderão aproveitar os recursos especiais de placas de vídeo da família RTX enquanto jogam via streaming. Por enquanto, porém, os servidores baseados nas mais recentes GPUs Nvidia só podem ser utilizados na Alemanha e também na Califórnia.

A empresa disse que pretende tornar os testes com novos servidores mais abrangentes futuramente, mas ainda não anunciou uma data para isso acontecer. Durante a Gamescom 2019, a Nvidia também revelou que está trabalhando em um aplicativo do GeForce Now para smartphones Android, mas não forneceu uma janela de lançamento para a novidade. A previsão é que o app chegue até o fim do ano.

Segundo o pessoal do Tom's Hardware, a companhia disse que o aplicativo para Android vai funcionar em dispositivos Samsung e LG. A empresa também recomendou o uso de um joystick Bluetooth para jogar no aplicativo móvel. 

Similar ao Google Stadia, o GeForce Now tem como missão levar jogos AAA para qualquer dispositivo, desde smartphones até PCs de entrada, usando computação em nuvem. 

Enquanto a plataforma da gigante da web foi apresentada como uma assinatura mensal e um modelo gratuito, o GeForce Now foi revelado na CES 2017 com um preço de lançamento bem salgado: US$ 25 para cada 20 horas de gameplay com uma GTX 1060 ou 10 horas em uma GTX 1080. Considerando o poder das GPUs RTX, o valor por tempo de uso deve ser ainda maior para usar as placas de vídeo de nova geração.

Desde a apresentação da plataforma, a Nvidia não tem comentado sobre o preço do GeForce Now, mas como a competição no setor de games em nuvem está aumentando, existe a possibilidade da firma acabar repensando o valor de seu serviço até o lançamento.

Via: Tom's Hardware
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Os lançamentos problemáticos de games tem feito você evitar pré-compras?