Créditos: Shacknews

E3 2019 vazou dados pessoais de mais de 2.000 jornalistas, youtubers e analistas

Informações estavam publicadas no site da ESA publicamente, para qualquer pessoa acessar

Todo ano a ESA, empresa responsável pela organização e realização da E3, recebe informações de milhares de jornalistas, analistas, youtubers e todo tipo de influenciador, para oferecer a esses participantes o crachá de "mídia". Esses dados podem ser pessoais, incluindo nomes completos, números de telefone, endereços domésticos, de e-mail e etc. E agora todas essas informações estavam disponíveis online no site oficial da ESA para quem quisesse pegar.

O "vazamento", que foi mais uma publicação equivocada, foi descoberto por Sophia Narwitz, que chegou a mostrar um print da tabela censurada num vídeo no YouTube para alertar o que estava acontecendo. A ESA já tirou a tabela de seu site e, agora, acessar o link retorna uma página fora do ar. Mas a tabela estava lá desde o evento e não se sabe quantas pessoas tiveram acesso a ela ou salvaram o conteúdo antes dele ser removido. A ESA fez uma declaração sobre o ocorrido, através de seu porta-voz:

"A ESA tomou conhecimento de uma vulnerabilidade no site que levou à lista de contatos de jornalistas registrados que visitaram a E3 se tornando pública. Assim que notificados, nós imediatamente tomamos medidas para proteger esses dados e derrubar o site, que não está mais disponível. Nós estamos decepcionados com este acontecimentos e tomamos medidas para nos assegurar que não vá acontecer de novo."

Este erro cometido pela ESA pode ter consequências pesadas para a empresa. Além da questão da segurança das pessoas expostas, essa tabela de informações pessoais é uma espécie de "moeda de troca" para a organização, que oferece esses dados para as empresas que pagam para participar da E3. Com a tabela disponível gratuitamente na internet, a ESA perde uma das vantagens para oferecer em seus acordos.

Mas a ESA pode enfrentar ainda mais problemas na Europa, que tem leis mais pesadas para proteção das informações pessoais de seus cidadãos. Como há membros da mídia europeia que também foram expostos, a empresa norte-americana pode responder a uma violação da GDPR (General Data Protection Regulation), o que pode resultar numa multa de até € 20 milhões (R$ 86 milhões).

Fonte: Venture Beat
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Você se importa com a temperatura da série RX 5700?