Créditos: WhatNext

AMD divulga relatório financeiro do segundo trimestre de 2019

O relatório destaca as vendas de GPU, dos processadores Ryzen e EPYC

A AMD divulgou o seu relatório financeiro do segundo trimestre de 2019 (2019Q2). No resultado geral, a empresa arrecadou um total de US$1,53 bilhão (R$5,9 bilhões), com lucro operacional de US$59 milhões (R$229,1 milhões) e lucro diluído por ação de US$0,03. Em base não-GAAP, o lucro operacional muda para US$111 milhões (R$431 milhões) e o lucro diluído para US$0,08.

"Chegamos a um ponto de inflexão significativo para a empresa, pois nossos novos processadores Ryzen, Radeon e EPYC formam o portfólio de produtos mais competitivo de nossa história e estão bem posicionados para impulsionar um crescimento significativo no segundo semestre do ano." - Lisa Su, CEO da AMD

A receita total da empresa caiu 13% ano a ano, mas cresceu 20% em relação ao trimestre anterior. As justificativas foram a receita mais baixa e maiores custos operacionais.

O lucro líquido foi de US$35 milhões (R$135,9 milhões) em comparação aos US$116 milhões do ano anterior e US$16 milhões do último trimestre. Na base não-GAAP, os números mudam para US$92 milhões, US$156 milhões e US$62 milhões respectivamente.

A margem bruta (41%) subiu 4% ano a ano principalmente pelo aumento de vendas dos processadores Ryzen e EPYC. Comparando com o primeiro trimestre deste ano, ela permaneceu estável. Caixa, equivalentes de caixa e títulos negociáveis somaram US$1,1 bilhão.

O segmento de Computação e Gráficos arrecadou US$940 milhões (R$3,6 bilhões). Isso representa uma queda de 13% em relação ao ano anterior, mas 13% a mais que o 2019Q1. O aumento se deu pelas vendas mais altas de GPU, mesmo sem novos lançamentos a altura da concorrente NVIDIA.

O preço médio de venda (ASP) dos processadores subiu em relação ao ano anterior impulsionado pelos Ryzen. Porém, ele caiu no primeiro trimestre por causa do crescimento do mix de vendas de processadores mobile. O ASP das GPUs seguiu por um caminho semelhante, impulsionado pelas GPUs de datacenter que perderam um pouco de mercado no Q2 para os canais gráficos.

Os 12% anuais a menos do segmento Empresarial, Incorporado e Semi-customizado foram resultado da queda na receita de produtos semi-personalizados, parcialmente compensada pelos processadores EPYC. O aumento em relação ao último trimestre se deu pelas vendas dos mesmos produtos.

Alguns dos destaques do relatório foram os processadores de 7nm, o novo chipset X570 e placas de vídeo Radeon RX 5700 e a arquitetura RDNA. A empresa também mencionou suas parcerias para o desenvolvimento do Frontier - potencial supercomputador mais rápido do mundo - e as suas relações com a Microsoft, Samsung, Apple e Acer.

Para o Q3 de 2019, a AMD espera chegar no US$1,8 bilhão com um crescimento aproximado de 18% entre trimestres e 9% anual. Esses resultados devem ser atingidos principalmente pelas vendas dos produtos Ryzen, EPYC e Radeon. Para o planejamento anual, espera-se um aumento de 20% excluindo os semi-customizados.

Via: TechPowerUp
  • Redator: Saori Almeida

    Saori Almeida

    Saori Almeida (ou Sakura, Naomi e no pior dos casos Sônia), veio do nem tão interior do Rio Grande do Sul para estudar Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e ver no que dava. Como gosta de dizer, "com o nome, veio o pacote": adora animes, mangás, doramas e cultura asiática no geral (não só entretenimento, ok?). O interesse por tecnologia e games existia desde pequena e aumenta a cada dia na redação do Adrenaline e Mundo Conectado.

Qual game da TGS você está mais ansioso?