Créditos: Future

Usuário lança nova ferramenta que permite overclocking por CCX em processadores Ryzen

Recurso aumenta a frequência geral do processador fazendo alterações em núcleos individuais

[+update]: Alguns usuários já está compartilhando experiências de uso com o software, e definitivamente não recomendamos experimentá-lo exceto se sabe claramente o que está fazendo. 1usmus, famoso por ter desenvolvido o Ryzen DRAM Calculator, apontou em um post que o aplicativo está mexendo em alguns limites de segurança na operação do CPU, o que põe em risco o processador. Aplicações como o Ryzen Master, por exemplo, não mexem nesses limitadores e são bem mais seguros, apesar das óbvias restrições maiores que isso acarreta, são bem mais recomendáveis para buscar um ganho de performance ou iniciar experimentações em OC.

Se ainda for arriscar a nova ferramenta, recomendamos definir manualmente as tensões, já que manter no manual ou somente em offset é o que está causando o risco ao processador, pois aparentemente o sistema define valores excessivamente altos se o usuário não fizer isso por conta.

[+texto original]: Uma nova ferramenta que permite overclocking por CCX (Core Complex), em processadores AMD Ryzen foi lançada pelo usuário shamino1978 nos fóruns do Overclock.net . Esse recurso permite que o processador não tenha a dependência de operar na velocidade de um CCX mais lento para ficar estável, podendo fazer a alteração de frequências em núcleos individuais.

Os núcleos dos processadores AMD são divididos em dois grupos que são os CCX

O CCX é o termo usado pela AMD para descrever os seus núcleos físicos, junto com o cache de nível 3. Esse termo começou a ser utilizado a partir da Zen e Zen+ e é considerado parte importante dos processadores Ryzen. Para exemplificar, cada processador de oito núcleos é dividido em dois grupos de quatro, mesmo que alguns dos núcleos não estejam ativos. Esses grupos são os chamados CCXs. Na prática, dois CCXs formam um processador inteiro, um Ryzen 7 2700, teria quatro núcleos em cada grupo, o Ryzen 5 2600 três núcleos em cada e a lógica segue para todos os demais.

O grande objetivo de usar overclock em processadores Ryzen por CCX é porque é possível controlar a frequência individualmente em cada núcleo, podendo obter um desempenho adicional. Os núcleos podem rodar com diferenças que podem variar até 1GHz, o que significa que se um núcleo está a 4.5 GHz, o segundo núcleo deve estar a 3,5 GHz. A ferramenta foi atualizada para suportar ajustes de tensão conhecidos como VID. Existem duas versões da ferramenta, uma que é menor e tem menos recursos e uma que pode ajustar as tensões, que pode ser acessada clicando neste link.

Controlar a frequência individualmente de cada núcleo pode fornecer um desempenho adicional

Para simplificar, se metade do processador está rodando a uma frequência um pouco menor e o usuário consiga extrair individualmente um resultado um pouco mais alto, isso pode significar frequências maiores de uma forma geral. Em resumo, essa ferramenta pretende extrair mais desempenho dos processadores Ryzen. Mesmo que a série Ryzen 3000 tenha o máximo de frequência possível, as gerações anteriores, como o Ryzen 1000 e 2000, podem ser os maiores beneficiados com o overclock por CCX.

Via: TechPowerUp, Tom's Hardware
  • Redator: Ana Luiza Pedroso

    Ana Luiza Pedroso

Os lançamentos problemáticos de games tem feito você evitar pré-compras?