AMD oferece "kit de boot" para donos de Ryzen 3000 que estão tendo problemas

A AMD anunciou que está oferecendo "kits de boot" para ajudar usuários que compraram um dos novos processadores Ryzen 3000 e enfrentam problemas para ligar o seu computador. Isso geralmente acontece com quem possui uma placa-mãe das séries de chipsets 300 ou 400, mas nunca atualizou o firmware em preparação para a chegada da sua nova CPU.

Caso esse hipotético usuário tenha vendido o seu processador antigo, ele não terá um jeito de realizar o processo de boot em seu sistema para atualizar a versão da BIOS de sua placa-mãe. É aí que entra o novo kit da AMD, que será enviado gratuitamente (emprestado, na verdade) para usuários que se qualificarem para receber essa ajuda.

O conjunto proporcionado pela companhia inclui um processador Athlon 200GE com solução térmica, que permitirá inicializar o sistema e executar a atualização de BIOS da placa-mãe. O boot kit pode ser obtido através dos serviços de garantia da AMD e atende a usuários qualificados que fizeram uma compra válida de um processador Ryzen de 3ª geração para desktop e não conseguem executar boot porque a BIOS da sua placa-mãe precisa ser atualizada antes.

"Uma vez que você tiver enviado seu pedido para o empréstimo de um kit de boot de processador, a AMD irá exigir fotos de seu processador Ryzen de 3ª geração para desktop e de sua placa-mãe de série AMD 400 com socket AM4, mostrando de maneira clara os números de modelos e números de série únicos, assim como uma cópia do recibo de compra para autorizar o pedido. Adicionalmente, um resumo ou cópia de comunicação com a fabricante da placa-mãe é exigido para indicar o motivo que fez com que o suporte do Original Design Manufacturer (ODM) não é adequado".
Comunicado oficial da AMD

Quem mora nas regiões atendidas por essa ação pode entrar na página de garantias da AMD. Até o momento, não há qualquer indicativo de que a empresa oferecerá o kit de boot no Brasil.

Fonte da imagem: Guru3D

  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Os lançamentos problemáticos de games tem feito você evitar pré-compras?