Fundador da Rebellion diz que Epic Store está pagando muita grana em exclusivos

O co-fundador do estúdio Rebellion, Jason Kingsley, disse que a Epic Games está pagando uma grande quantidade de dinheiro para manter jogos exclusivos na sua loja de games para computador, a Epic Store. A fala do executivo aconteceu durante o evento Develop, em Brighton, no Reino Unido, e vem depois da desenvolvedora aceitar um contrato de exclusividade para seu próximo game, Zombie Army 4: Dead War.

Site oficial: Epic Games Store

"Geralmente eu penso que eu preferiria não fazer exclusivos, mas eu entendo a posição da Epic com isso e francamente eles estão pagando tudo e mais um pouco para construir sua loja. Todo o crédito para eles, é fantástico e nós vamos pegar um pouco desse dinheiro, muito obrigado".
Jason Kingsley, co-fundador da Rebellion

Desenvolvedores terão a opção de não permitir reviews
de usuários na Epic Games Store

Geralmente, as negociações costumam acabar com os games sendo distribuídos apenas na loja da Epic Games por um período de seis meses ou de um ano. Apesar da empresa não divulgar os valores publicamente, eles costumam pagar grande quantias por esses contratos. Como mostra um tópico do Reddit, a exclusividade de Phoenix Point custou cerca de US$ 2 milhões.

O cálculo foi feito por um usuário considerando as receitas geradas pelo game e o valor levantado através do site de financiamento coletivo Fig. Essa pessoa também colocou na conta uma declaração do gerente de comunidade do jogo, que disse que o negócio ainda compensaria financeiramente mesmo se todo mundo que fez a pré-venda do produto pedisse seu dinheiro de volta.

Um detalhe interessante é que esse mesmo funcionário da Snapshot Games depois publicou que na verdade o contrato se trata de uma garantia de vendas mínimas. Ou seja, a Epic Games garantiria que uma quantidade mínima de cópias seriam vendidas. Caso não aconteça, a dona da Epic Store iria tirar do próprio bolso para pagar pelo dinheiro que faltou.

Fonte das imagens: Epic Games

  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Os lançamentos problemáticos de games tem feito você evitar pré-compras?