Linha Microsoft Surface pode começar a usar chips ARM e AMD após briga com Intel

A linha de tablets e notebooks Microsoft Surface pode deixar de usar processadores da Intel após a relação entre ambas as empresas ficar estremecida. Com isso, as próximas gerações de dispositivos Surface podem começar a trazer chipsets de fabricantes concorrentes como AMD e ARM — que até hoje estavam sendo preteridas por não terem processadores tão poderosos ou eficientes como os Intel Core.

Site oficial: Microsoft Surface

O site Petri aponta que fontes de dentro da própria Microsoft relatam dificuldades nas negociações entre executivos da gigante da tecnologia com a Intel. Já o site WCCF Tech especula que isso pode ter relação com a atualização da linha Surface para os processadores Intel Core da geração Skylake. Naquela época, foram verificados casos de hardwares falhando, o que causou bastante insatisfação nos consumidores. A adoção de chips de AMD e ARM seria a maneira perfeita de reduzir a dependência da Microsoft na Intel, caso aconteça algo do tipo novamente.

Microsoft confirma que Flight Simulator terá suporte para mods feitos por fãs

Anteriormente, já surgiram rumores de que a Microsoft estava testando um produto da série Surface com processador ARM. Ele utilizaria um System-on-a-Chip (SoC) customizado e desenvolvido em parceria com a Qualcomm, que teria codinome Excalibur. Um dos principais objetivos das companhias nessa parceria seria otimizar a operação do chipset com o sistema operacional Windows 10, entregando uma boa relação entre performance e duração de bateria.

Já no caso da AMD, a expectativa fica para a implementação do SoC Picasso, que poderia ser utilizado no Surface Laptop. Como a AMD está vendendo processadores a preços menores do que a Intel, já se fala que a próxima geração de dispositivos Microsoft Surface pode vir com um preço mais em conta

Fonte da imagem: Abdouj/pixabay

Via: WCCF Tech Fonte: Petri
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Os lançamentos problemáticos de games tem feito você evitar pré-compras?