AMD promete performance "comparável" com Intel em sua nova geração Ryzen 3000

A AMD detalhou algumas mudanças de sua próxima geração de processadores Ryzen, a série 3000 baseada em 7 nanômetros e na microarquitetura Zen2, e um dos enfoques foi melhorar a performance em single-thread e em games, duas situações que a empresa fica em desvantagem comparado a rival Intel.

De acordo com a empresa, as modificações nas latências das memórias e, especialmente, a maior quantidade de cache, vão possibilitar a empresa encostar nos modelos Intel Core quando o assunto é games. Inclusive, a empresa está usando uma nova nomenclatura para o L3 cache, chamando ele de gamecache, para indicar o nível de importância dessa especificação para jogos. Segundo a AMD, essa mudança na quantidade de cache é mais relevante para a performance em games que o aumento das frequências das memórias, um tema sempre relevante entre entusiastas que montam sistemas Ryzen para jogos.

O resultado das evoluções em sigle-thread e especialmente nas latências das memórias trazem, segundo os slides da AMD, um equilíbrio muito grande entre os modelos Ryzen e seus concorrentes diretos em múltiplos segmentos de preço:

Equilibrando o jogo no segmento gaming, a empresa aposta que será a produção de conteúdo que trará o consumidor para seu lado, já que graças a uma contagem superior de núcleos e threads comparado aos modelos da rival no mesmo segmento de preço, os processadores da AMD levam vantagem em aplicações que demandam muitos núcleos, como aplicativos profissionais, por exemplo.

Os Ryzen 3000 chegam em 7 de julho, ou 07/07, em uma referência proposital ao uso da litografia em 7 nanômetros da nova microarquitetura da empresa. Quando tivermos acesso a produtos para testes vamos colocar a prova as alegações da AMD de que enfim encostou na rival quando o assunto é taxa de quadros em games.


Créditos de imagem: AMD e MakeUseOf

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".

O gameplay de Marvel’s Avengers mudou sua primeira impressão do jogo?