MSI bloqueia suporte a Zen 2 em suas placas da série 300, indo contra política da AMD

Um dos principais destaques da bem sucedida geração Ryzen de processadores AMD é a longevidade que a empresa prometeu para seu socket AM4. A fabricante garantiu que cada placa-mãe feita para seus novos processadores suportaria ao menos quatro edições deles, o que levaria os primeiros produtos a poderem usar CPUs Ryzen até 2020, ficando compatíveis com um simples update de BIOS. A MSI, no entanto, pode ter acabado de "trair" essa promessa.

A fabricante de placas-mãe teria bloqueado a compatibilidade com processadores Zen 2, codinome "Matisse", em modelos de placas X370 e B350 com capacidade de overclock, que não são opções de entrada. A medida ainda não foi divulgada em uma declaração oficial da MSI, mas um dono de uma X370 XPower Titanium recebeu um e-mail da empresa confirmando que ela não pretende trazer suporte para Zen 2 em sua série AMD 300 de placas-mãe.

A maior preocupação, no momento, é que outras fabricantes sigam o exemplo e decidam bloquear o suporte a gerações Ryzen futuras em suas placas-mãe por conta própria, o que poderia se mostrar bastante problemático já que a AMD promoveu tanto o suporte estendido de sua plataforma. Principalmente para fazer contraste com sua principal concorrente, a Intel, famosa por fazer seus usuários trocarem de placa a cada novo processador.

Enquanto não temos um posicionamento oficial, o pessoal do TechPowerUp conseguiu uma declaração de um revendedor de placas que pediu para permanecer anônimo. Segundo essa fonte, o suporte a Zen 2 seria barrado na série 300 de placas-mãe porque elas não suportam a necessidade maior de energia dos novos processadores. O próprio site relembra que este mesmo argumento já foi usado pela Intel a respeito de suas CPUs da 9ª geração e que depois foi desbancado em testes de usuários com firmwares customizadas. Agora é esperar uma declaração oficial e ver o posicionamento da AMD.

Fonte: TechPowerUp
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.