Intel detalha o Aurora, HPC capaz de fazer 1 quintilhão de cálculos por segundo

A Intel anunciou, em conjunto com o o Departamento Americano de Energia, o Aurora, supercomputador capaz de trazer o nível de performance para a escala dos exaFLOPs, ou seja, superando um quintilhão de cálculos por segundo. Para dar uma noção de escala, estamos falando do número 1 seguido de 18 zeros de operações por segundo, ou de algo que é preciso que cada pessoa do mundo resolva 140 milhões de operações por segundo para manter um ritmo semelhante.

O sistema usará um conjunto de tecnologias como a arquitetura Intel Xe, GPUs de futura geração da Intel em desenvolvimento, além de uma nova geração de Intel Xeon, para tornar possível escalonar a performance para a casa dos quintilhões. Outro fator de performance é o uso de memórias Intel Optane DC de próxima geração, que une alta velocidade de comunicação com registro de dados de forma persistente.

O contrato com o órgão americano tem previsão de entregar o PC em 2021 e tem valor de US$ 500 milhões. Além das tecnologias da Intel, também será usada tecnologia da Cray, o sistema para supercomputadores Shasta, que já está sendo otimizado para a plataforma da Intel.

O altíssimo nível de desempenho que o Aurora irá prover será usado em múltiplas aplicações que necessitem dessa "força bruta" em cálculos, em áreas como previsão do tempo, estudos científicos em áreas como medicina, mapeamento do cérebro humano, criação de novos materiais e até pesquisas complexas sobre o Universo.

A Intel não é a única a empresa com iniciativas nessa casa de performance. Além dos Estados Unidos, o Japão também pretende ter um computador desse até 2021, e a Europa tem planos de inaugurar o seu HPC na casa dos exaFLOP entre 2022 e 2023.

Via: TechPowerUp Fonte: Newsroom Intel
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".

Half-Life veio, e é em realidade virtual. Agora embala os óculos de realidade virtual?