Activision Blizzard anuncia receita recorde e, mesmo assim, demite quase 800 funcionários

Os rumores sobre a demissão de centenas de funcionários da Activision Blizzard estavam corretos: a empresa anunciou na terça-feira, dia 12, que vai mandar embora 800 pessoas de sua força de trabalho. O que estava errado, no entanto, é o entendimento de algumas pessoas de que a companhia estaria fazendo isso por estar "mal das pernas". Pelo contrário, junto com o anúncio de 8% de seus funcionários ficando sem um emprego, a Activsion Blizzard divulgou também seu relatório financeiro para o ano fiscal de 2018, com o maior rendimento da história da companhia bilionária.

"Nos últimos anos, muitos de nossos times que não são do desenvolvimento expandiram para oferecer suporte a diversas necessidades. O número de pessoas em alguns times está desproporcional com nosso ritmo atual de lançamentos. Isso significa que precisamos diminuir algumas áreas de nossa organização. Sinto muito em dizer que vamos nos despedir de alguns de nossos colegas nos EUA hoje. Em nossos escritórios regionais, esperamos avaliações similares, sujeitas a necessidades locais."
J. Allen Brack, presidente da Blizzard em nota aos funcionários

O número de demissões representa aproximadamente 8% do número total de 9.600 trabalhadores nas duas empresas juntas, Activision e Blizzard. Os executivos da companhia prometeram indenizações e assistência para encontrar outro emprego aos funcionários que serão mandados embora, e a nota acima se refere somente à Blizzard, onde parece que apenas os funcionários que não trabalham diretamente com desenvolvimento foram afetados. Já na Activision, há informações ainda não oficiais de que as demissões não serão restritas a áreas de não desenvolvimento, com relatos de pessoas de alguns estúdios como o High Moon perdendo o emprego. 

Apesar do rendimento recorde para o ano fiscal de 2018, Bobby Kotick, o CEO da Activision Blizzard, acredita que a companhia não atingiu "todo o seu potencial" durante o ano. COD: Black Ops 4 não fez o sucesso que a empresa queria e Destiny 2 vendeu muito bem, mas não tão bem quanto as projeções dos executivos para o jogo. 

Fonte: Guru3D, Kotaku
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Você se importa com a temperatura da série RX 5700?