Nvidia confirma que não planeja suportar FreeSync em placas Maxwell e anteriores

A Nvidia confirmou que não possui qualquer plano de adicionar suporte ao padrão Vesa Adaptive Sync (incluindo monitores AMD Freesync) para placas de vídeo da geração Maxwell (série GTX 900) ou modelos mais antigos. Ou seja, caso você deseje usar um monitor com suporte para Adaptive Sync ou Freesync com uma placa de vídeo Nvidia, será necessário ter uma GPU Pascal (GTX 10) ou Turing (GTX 20).

Análise: Nvidia GeForce GTX 980 Ti

A informação foi divulgada pelo usuário ManualGuzmanNV do fórum oficial Nvidia GeForce, que possui um distintivo da equipe de atendimento ao consumidor da empresa. Essa resposta deu margem para algumas interpretações por parte de usuários e da comunidade de entusiastas de tecnologia.

Para alguns, isso seria apenas a Nvidia sendo gananciosa e buscando forçar os usuários a atualizarem suas placas de vídeo – da mesma maneira que eles não suportavam Freesync para promover monitores mais caros com G-Sync.

Outra explicação, porém, está na versão do conector DisplayPort que é suportada pelas diferentes arquiteturas da Nvidia. Afinal, o padrão Vesa Adaptive Sync requer o uso de DisplayPort 1.2a ou mais recente. As GPUs Maxwell, como a GTX 980 Ti, apenas trazem a especificação DisplayPort 1.2.

Por outro lado, placas de vídeo como a AMD Radeon R9 290 suportam Freesync, mesmo não tendo DisplayPort 1.2a e tendo sido lançadas antes mesmo da tecnologia de taxa de atualização variável da AMD ser lançada. Além disso, GPUs AMD podem usar a tecnologia através do cabo HDMI, mas as da Nvidia apenas a suportam através do DisplayPort.

A Nvidia incluiu o suporte aos monitores com AMD FreeSync nos drivers 417.71, lançados no dia 15 de janeiro de 2019. Apenas 12 monitores são suportados de maneira nativa, mas os usuários podem testar a tecnologia com qualquer display Freesync para ver se funciona.

Via: Reddit, TechPowerUp Fonte: Geforce forum
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

O gameplay de Marvel’s Avengers mudou sua primeira impressão do jogo?