Mercado de PCs cresce apenas 0,5% no Brasil durante o terceiro trimestre

O mercado de computadores no Brasil registrou crescimento no último trimestre, mas os números não foram tão animadores quanto no começo do ano. De acordo com a empresa de mercado IDC, o mercado de PCs teve um aumento de apenas 0,5% no período entre julho e setembro.

Durante o terceiro trimestre, foram vendidos 1,3 milhão de computadores, movimentando R$ 3,7 bilhões. O número é menor do que foi registrado no Q1 e Q2, onde foram vendidos 1,34 milhão e 1,41 milhão de PCs, respectivamente. Os dois primeiros trimestres do ano também registraram crescimento de 21,4% e 14%, números bem mais altos que o índice do Q3.

Um ponto que permaneceu comum e deve continuar presente no trimestre atual é a preferência por dispositivos portáteis. Segundo a IDC, do volume total de computadores vendidos no terceiro trimestre, 935 mil foram notebooks, enquanto 425 mil eram desktops.

De acordo com Wellington La Falce, analista de pesquisa da IDC Brasil, o recuo no crescimento já era previsto. “A pausa no movimento do governo devido às eleições já era esperada, se concretizou e impactou no resultado. Os preços também subiram neste período por conta do dólar”, explica.

Segundo o especialista da IDC, o período de transição política e a alta do dólar mexeram com o preço, o que acabou fazendo os brasileiros deixarem de comprar durante o último trimestre. Outro fator que influenciou os consumidores foi a Black Friday, que acontece no quarto trimestre e traz uma onda de descontos.

Para o final do ano, a IDC espera que sejam vendidos 1,4 milhão de computadores, com expectativa de queda na venda de desktops em 14%.

  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Half-Life veio, e é em realidade virtual. Agora embala os óculos de realidade virtual?