EA fecha estúdio Visceral Games, que trabalhava em game de Star Wars de ação e aventura

Por Carlos Felipe Estrella 18/10/2017 11:41 | atualizado 12/08/2019 22:18 Comentários Reportar erro

A EA decidiu fechar o estúdio Visceral Games, que nos últimos anos trabalhou em games como Battlefield Hardline e a série Dead Space. Mais recentemente, eles estavam desenvolvendo um jogo de Star Wars de ação e aventura, que agora se tornará algo bastante diferente nas mãos de outro estúdio.

O título seria um game single-player totalmente baseado num enredo original e linear. O projeto era liderado por Amy Hennig, responsável por dirigir e escrever os games Unhcarted 2: Among Thieves, Uncharted 3: Drake's Deception e Uncharted 4: A Thief's End.

A única vez que o jogo apareceu em público foi durante a E3 2016. No vídeo, que você confere abaixo, a EA mostra vários estúdios que estão trabalhando em games do universo de Star Wars. Aos 2:30, chega a vez de falar sobre a Visceral Games.

"Através do processo de desenvolvimento, nós estivemos testando o conceito do game com os jogadores, ouvindo o feedback sobre o que e como eles querem jogar, e seguindo de perto as mudanças fundamentais do mercado. Ficou claro que, para entregar uma experiência onde os jogadores vão querer voltar e aproveitar por um longo tempo, nós precisávamos mudar o design. Nós vamos manter os incríveis visuais e a autenticidade do universo de Star Wars e focar em trazer uma história de Star Wars à vida"
Patrick Söderlund, vice-presidente da EA.

O jogo originalmente tinha seu lançamento previsto para o ano fiscal de 2019, mas isso também será revisto. Enquanto isso, a BioWare e a DICE seguem trabalhando em títulos de Star Wars. O próximo a ser lançado será Battlefront 2, que chega no dia 17 de novembro de 2017.

A EA jura que está fazendo o possível para transferir os membros da equipe da Visceral para outras de suas equipes e projetos. O próprio futuro de Amy Hennig é incerto. Seus premiados roteiros dificilmente encontrarão espaço num título no estilo "games como um serviço", que é exatamente o que a EA busca.

O título de Star Wars, portanto, deverá se tornar mais um genérico do já genérico Destiny, lucrando através de expansões, micro-transações, caixas de loot e repetições vagamente baseadas em RPGs, como aponta a Forbes.

Via: Forbes, Telegraph, Kotaku, Tech Radar Fonte: EA
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Você se importa com a temperatura da série RX 5700?