Google, Apple, Facebook e Uber fazem carta para Donald Trump contra ordem anti-imigrantes

Grandes nomes da tecnologia incluindo as empresas Alphabet, dona do Google, Apple, Facebook e Uber fizeram uma carta mostrando-se contra a lei anti-imigração do presidente Donald Trump. Na semana passada, o líder dos Estados Unidos assinou um decreto que impede a entrada de determinados grupos de estrangeiros no país, prejudicando companhias de tecnologia do país.

De acordo com o Recode, as empresas de tecnologia estão entrando em contato com outros setores da indústria para o movimento contra o decreto do presidente ganhar força. O site também divulgou um rascunho da carta enviada para Trump.

Amazon promete aos funcionários que vai lutar contra ordem anti-imigrantes de Trump

Na abertura da carta, as empresas destacam a importância dos imigrantes na história e desenvolvimento dos Estados Unidos.

"Caro presidente Trump,
Desde que nosso país nasceu, a América tem sido a terra das oportunidades - recebendo recém-chegados e dando a chance de criarem famílias, carreiras e negócios nos Estados Unidos. Nós somos uma nação fortalecida por imigrantes. Como empresários e líderes de negócios, nosso habilidade para expandir nossas companhias e criar novos empregos depende da contribuição de imigrantes"

Na continuação do texto, os empresários dizem que estão dispostos a auxiliarem no programa de admissão de refugiados e programas de apoio para imigrantes, como o Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA), que beneficia cerca de 750 mil crianças estrangeiras que vivem no país.

A decisão de Donald Trump, assinada na semana passada, tem como objetivo diminuir drasticamente o número de estrangeiros no país e, segundo ele, "impedir a entrada de terroristas radicais islâmicos". O decreto prevê a suspensão de vistos para cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão, Síria e Iêmen por, pelo menos, 30 dias.

Um dia após a aprovação da medida anti-imigração, no dia 28 de janeiro, a juíza federal Ann Donnelly, do tribunal federal do Distrito Sul de Nova York, aprovou uma ordem de emergência impedindo a validade do decreto até o dia 21 de fevereiro.

Via: Recode
  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Você já começou a segurar suas compras de games e hardware pra se preparar para a próxima geração de consoles?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.