Basemark anuncia o VRScore; agora existe benchmark para os óculos de realidade virtual

O Basemark anunciou o VRScore, uma nova ferramenta de benchmarks voltada para a realidade virtual. Enquanto muitos dos testes estão focados no hardware do PC, há uma outra parte da experiência que é bastante importante mas que ainda não temos muitos recursos para medir: a eficiência do gadget responsável pela exibição da realidade virtual.

O teste é desenvolvido em parceria com a Crytek, e utiliza a CryEngine durante a demonstração para testar o desempenho do VR. Um acessório fotossensível fica responsável pela medição das latências dentro do óculos de realidade virtual, sendo compatível com modelos como o Oculus Rift, HTC Vive e o Razer OSVR. Esse sensor também pode ser utilizado em uma tela tradicional, para quem ainda não possui um gadget de realidade virtual.

Para fazer a captura, o acessório desenvolvido pelo Basemark irá analisar os novos quadros gerados em ambos os displays de aparelhos como o HTC Vive, verificando características como a latência, drop frames e até quadros duplicados, entregando assim uma visão de qual a eficiência e qualidade da experiência que o gadget de VR está entregando.

No momento o teste está disponível apenas para consumidores corporativos através do acesso antecipado. As versões para consumidores finais (paga e gratuita) será lançada em meados de junho.

Quem ainda não tem um gadget de realidade virtual já pode testar se seu sistema tem performance o bastante para lidar com o VR através do SteamVR Performance Test, um aplicativo desenvolvido pela Valve que testa a capacidade do seu sistema em lidar com a renderização em VR. É bom lembrar que a realidade virtual necessita de duas imagens diferentes para gerar o efeito de profundidade, o que duplica o "estresse" sob os componentes do sistema. 

{fonte}Basemark|https://www.basemark.com/VRScore/{/fonte}

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Com esses adiamentos dos games...

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.