D-Link: não à briga de preço

Frente à entrada de novos competidores no mercado de networking e ao movimento de commoditização do setor, a D-Link desenha uma linha de combate baseada em amplitude de portfólio, apoio ao canal e aproximação com o consumidor final. "Sempre tivemos novos concorrentes e sempre teremos. Mas queremos nos diferenciar pelo atendimento e suporte ao parceiro, pois não é interesse da D-Link entrar na guerra de preços", diz Victor Fernando Proscuchin, à frente da nova divisão de volume da companhia.

A partir de uma reestruturação que resultou na integração das Áreas de distribuição e de varejo, batizada de Consumer Business Unit, a D-Link procurou construir uma base multicanal, alinhando a estratégia das duas camadas de negócios. "A comunicação não era 100% eficaz, o que gerava alguns gargalos no canal", explica o diretor-comercial, que ressalta a unificação da política de preços, em um esforço voltado a garantir da rentabilidade da revenda.

Após um ano de renovação do portfólio de produtos - que atingiu todas as linhas voltadas ao mercado de consumo, além do leque de ofertas para o enterprise, segundo Proscuchin -, a D-Link busca agora a aproximação com o consumidor final, a fim de posicionar os lançamentos e gerar demanda para o ecossistema de parceiros. "A ideia é continuar com todo o trabalho no ponto de venda, mas também abordar o usuÁrio fora da loja", conta André Teixeira, gerente de marketing da unidade de negócios que se forma.


Com apelo de qualidade do produto e design, a D-Link aposta nas novas linhas de equipamentos 3G, câmeras IP, wireless, switches, servidores de impressão e firewall. "Evoluímos o produto e, assim, entramos em um novo patamar", reforça Teixeira, que menciona também um cronograma de ações voltadas à capacitação dos distribuidores e das revendas, em 2010, em cima do novo portfólio.

Em termos de disponibilidade de crédito, a D-Link criou uma unidade focada em soluções financeiras para o cliente, com opções de leasing e financiamento voltadas a viabilizar projetos para o parceiro. "Estamos olhando mais para o nosso quintal do que para o quintal do vizinho", reforça Proscuchin.

A D-Link conta hoje com CNT Brasil, Alcatéia, Network 1 e ATC como distribuidores Masters; Handytech, Isonic, Local X, Martins, Mazer, N3, Nagem, Pauta e SND completam a distribuição como parceiros Associados. Com esse time, a fabricante contabiliza 40% a 45% dos negócios totais em volume. JÁ as operadoras respondem por 40% dos resultados, enquanto a unidade de Business Solutions detém 15% a 20% de participação na operação.

De acordo com o diretor-comercial, os resultados de 2009 ainda não foram fechados. Em 2008, a D-Link faturou US$ 93 milhões no País, com 1 milhão de caixas vendidas.

Fonte: Resellerweb.

Assuntos
  • Redator: Filipe Braga

    Filipe Braga

    Filipe Braga é um cearense extremamente simpático formado em Ciências da Computação e apaixonado por computadores e tecnologia em geral. Também participa de reviews de hardware, especialmente placas de vídeo, processadores e placas mãe.

Você já começou a segurar suas compras de games e hardware pra se preparar para a próxima geração de consoles?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.