Nvidia anuncia chip Tegra K1 de 64-bits para Android


Desde o ano passado, a Nvidia tem feito um grande esforço para transformar o Android numa plataforma viÁvel para games. O próximo passo nessa jornada jÁ foi anunciado pela empresa: é o chip Tegra K1 de 64-bits. Ele consiste em uma CPU Denver dual-core  rodando a 2.5 GHz e da mesma GPU de 192 núcleos grÁficos baseada na arquitetura Kepler que é usada no Tegra K1 de 32-bits.

O chip é um dos primeiros a usar a arquitetura ARMv8 de 64-bits – de acordo com a empresa, é o primeiro a fazer isso no Android. Segundo Darrell Boggs, arquiteto do chip, a versão de 64-bits inclui otimizações que permitem aumentar o número de instruções por ciclo de clock para 7. No Tegra K1 de 32-bits, o número mÁximo que dava para atingir era 3 instruções por ciclo de clock.

De acordo com a Nvidia, o novo Tegra K1 tem desempenho comparÁvel ao de um processador para PC, em aplicações diÁrias. A companhia também divulgou um benchmark que ela mesma fez, e compara o novo Tegra K1 com outros chips mobile. A comparação inclui desde o chip do iPhone 5s (o A7 Cyclone) até os processadores de notebook Celeron N2910 (Baytrail) e Celeron 2955U (Haswell), da Intel.

A empresa reforçou que estÁ contribuindo com o desenvolvimento do Android L de 64-bits, e estÁ trabalhando na compatibilidade do sistema com o Tegra K1. Na parte dos games, a Nvida tinha divulgado uma Tech Demo com a Unreal Engine 4 rodando no Tegra K1 algum tempo atrÁs. A demonstração estÁ bem impressionante, mas ainda aguardamos um game com essa tecnologia aparecer na plataforma. Via Fudzilla, PC World e NDTV Gadgets.

  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.

Quem você acha que merece o GOTY do The Game Awards?