Detalhes da AMD Radeon R300, novas tecnologias e GPUs Tonga, Iceland e Hawaii XTX surgem na web

Novos detalhes (extraoficiais) sobre a futura geração de GPUs da AMD acabam de surgir na web.

De acordo com as especulações, a Advanced Micro Devices lançarÁ em breve três novas GPUs: Iceland, Tonga e Hawaii XTX.

Inicialmente imaginava-se que o Iceland substituiria o Hawaii. Entretanto, tal chip serÁ completamente novo e voltado para o segmento intermediÁrio, aposentando finalmente a GPU Cape Verde. Inicialmente o Iceland chegarÁ para o segmento móvel (leia-se laptop) para em um segundo momento equipar as VGAs.

O chip Tonga é basicamente o Tahiti, mas com interface de memória de 256 bits. Especula-se agora que tal GPU serÁ lançado no mercado com um novo nome (provavelmente Radeon R9 285/285X). Até então, os rumores sugeriam que o Tonga substituiria o Tahiti nas atuais R9 280/280X.

A nova revisão do Hawaii serÁ o chip mais poderoso da AMD até a chegada das Radeons da série R300. Entretanto, as especulações de que a GPU teria 3.072 processadores grÁficos (Stream Processors) parecem não proceder. Supostas fontes ligadas à companhia indicam agora que o Hawaii XTX terÁ unicamente como novidade, clocks mais elevados em relação ao atual chip. Apesar da pequena alteração, AMD deverÁ utilizar uma nova nomenclatura: a Radeon R9 295X.

Novas Tecnologias

Ordenamento UAV (UAV Ordering). O recurso de Visão de Acesso Desordenado (UAV) tradicional não garante que cada frame terÁ acesso aos pixels na mesma ordem. Para evitar que alguns artefatos "estranhos" surjam, é necessÁria a realização de triagem. Assim, a AMD desenvolveu um aprimoramento no recurso, chamado pela empresa de UAV Ordering. Trata-se basicamente de uma cópia do PixelSync da Intel, onde um algoritmo especial é utilizado para resolver três problemas: a transparência independente de ordem; cenas complexas com o uso do filtro de antisserilhamento (anti-aliasing) - como é o caso de cabelos ou cercas; e sombras de efeitos transparentes. A promessa é que o UAV Ordering irÁ mudar drasticamente a complexidade da cena nos jogos mais novos. Um bom exemplo de como o algoritmo funcionarÁ pode ser visto na imagem abaixo, onde é empregado o PixelSync no game GRID2.

Rasterização Conservadora RÁpida (Fast Conservative Rasterization). Embora tal iniciativa não seja novidade, trata-se de um aprimoramento empregado pela AMD a nível de hardware, com o intuito de acelerar o seu processamento (quem utiliza ou jÁ utilizou o TressFX sabe muito bem o qual lento é utilizar tal recurso. Uma vez que esta tecnologia também utiliza a transparência independente de ordem, os novos recursos vão acelerar consideravelmente o processo, permitindo assim a renderização de cenas mais complexas de forma mais veloz.

Detalhes da Radeons R9 390X

A Synapse Design - companhia corresponsÁvel por "tirar do papel" e "dar vida" aos chips da AMD - recentemente anunciou o ciclo de design de novas GPUs da Advanced Micro Devices, incluindo dois designs com litografia em 28nm do tipo HPM. 

O primeiro trata-se de um chip consideravelmente grande, com pouco mais de 500 mm2 de Área. A julgar pelo fato de que o o processo 28HPM é tão poderoso quanto um SoC de 20nm, as especulações sugerem que tal chip deverÁ se tratar da Radeon R9 390/390X. Comenta-se nos bastidores que tal GPU poderia rodar a 1Ghz, e que não contaria com o recurso HBM (High-Bandwidth-Memory).

O segundo tem Área pouco mais de 350 mm2, sugerindo assim um chip para o segmento intermediÁrio. É possível que trata-se da GPU Tonga, uma vez que as especulações indicam que o Tonga teria quase as mesmas dimensões do Tahiti.

Assuntos
  • Redator: Filipe Braga

    Filipe Braga

    Filipe Braga é um cearense extremamente simpático formado em Ciências da Computação e apaixonado por computadores e tecnologia em geral. Também participa de reviews de hardware, especialmente placas de vídeo, processadores e placas mãe.

Quem você acha que merece o GOTY do The Game Awards?