As Geleiras formam 75% da água doce e são os maiores objetos móveis da Terra [FOTOS]

San Andreas

Usuário Colaborador
Colaborador
http://en.wikipedia.org/wiki/Glacier

http://pt.wikipedia.org/wiki/Geleira


As geleiras formam um dos mais belos espetáculos naturais do planeta Terra


As geleiras são os maiores objetos móveis que existem no mundo. São imensos rios de gelo que se formam em áreas em que o volume de neve que cai a cada inverno é maior do que o que derrete a cada verão.

A escala das geleiras é realmente gigantesca - as que formam a cobertura de gelo que existe sobre a Groenlândia detêm gelo suficiente para envolver toda a Terra em um manto nevado de cinco metros de espessura.

As geleiras da Antártida são tão pesadas que efetivamente alteram a forma do planeta. E, talvez o mais importante, 3/4 do suprimento total de água fresca do mundo estão congelados em forma de geleira.

A força inexorável das geleiras escava lagos, desgasta montanhas, dispersa estranhas formações rochosas pelo campo e reduz rochas a uma poeira fina. As águas geradas pelo derretimento de geleiras criaram as mais espetaculares inundações na história do planeta. Algumas geleiras represam rios, criando lagos por trás delas. Algumas se formam sob vulcões adormecidos - caso estes entrem em erupção, o magma quente explodirá o gelo e torrentes de água geradas pelo derretimento deslizarão encosta abaixo. Existe uma boa chance de que a paisagem na qual você hoje vive tenha sido moldada por geleiras milhares de anos atrás, durante as chamadas eras glaciais, quando as geleiras recobriam superfícies três vezes maiores do que as atuais.



Curiosidades sobre as geleiras


• Geleiras alpinas podem ter de 10 a centenas de metros de espessura. Em alguns lugares, a camada de gelo da Antártida tem quatro quilômetros de espessura.

• Cerca de 10% da massa terrestre do planeta está recoberta por geleiras.

• Durante a mais recente era glacial, as geleiras recobriam cerca de 1/3 do planeta.

• Cerca de 75% da água doce do mundo está congelada em geleiras.

• A Antártida está coberta por quase 25 milhões de km3 de gelo.

• Manter toda essa água congelada tem imenso efeito sobre o nível do mar. No fim da última era glacial, o nível do mar era 120 metros mais baixo.

• Se todas as atuais geleiras derretessem (incluindo o gelo da Antártida, do Ártico e da Groenlândia), o nível do mar subiria cerca de 200 metros.






Vista de um glaciar ativo.



Diagrama do atrito glaciário e a abrasão.



Esboço representando uma geleira em retração.



As geleiras classificam-se de acordo com seu tamanho e a relação que mantêm com a geografia.


Geleira alpina

Esta classe inclui as geleiras menores, as quais caracterizam-se por estarem confinadas nos vales das montanhas: razão porque são denominadas geleiras de vale ou alpinas ou de montanha, a taxa de alimentação de neve é elevada e sua velocidade também: 60m/mês.


Calota de gelo

Consiste em enormes coberturas de gelo que podem cobrir uma cordilheira ou um vulcão; sua massa é menor que a atual nas geleiras continentais. Estas formações cobrem grande parte do arquipélago das ilhas norueguesas de Svalbard, no Oceano Glacial Ártico.


Geleira de descarga

As calotas de gelo alimentam geleiras de descarga, línguas de gelo que se estendem vale abaixo distantes das bordas dessas massas de gelo maiores. No geral, as geleiras de descarga são geleiras de vale, que se formam pelo movimento do gelo de uma calota de gelo desde regiões montanhosas até o mar.


Manto de gelo

As maiores geleiras são os mantos de gelo: enormes massas de gelo que não são afetadas pela paisagem e estendem-se pela superfície, exceto nas bordas, onde sua espessura é mais fina. O manto de gelo da Antárctida Ocidental e o da Groenlândia são atualmente os únicos existentes. Estas regiões contêm vastas quantidades de água doce. O volume de gelo é tão grande que se Groenlândia derretesse faria com que o nível do mar subisse uns 21 m a nível mundial, enquanto que se o da Antártida derretesse, os níveis subiriam até 108 m. A fusão combinada resultaria em uma elevação de cerca de 130 m.


Geleira de planalto

As geleiras de planalto são geleiras de menor tamanho. Se parecem com as calotas de gelo, mas neste caso seu tamanho é inferior. Cobrem algumas zonas elevadas e planaltos. Este tipo de geleiras aparece em muitos lugares, sobre tudo na Islândia e algumas das grandes ilhas do Oceano Ártico (Baffin, Ellesmere, Devon, etc.).


Geleira de piemonte

As geleiras de piemonte ocupam terras baixas, amplas nas bases de montanhas escarpadas e se formam quando uma ou mais geleiras alpinas surgem das paredes de confinamento dos vales de montanhas e suas línguas de gelo se unem. O tamanho das geleiras de piemonte varia muito: entre as maiores estão a geleira Malaspina, que estende-se ao largo da costa sul do Alasca. Ocupa mais de 5.000 km² da planície costeira plana situada no sopé da elevada Cordilheira São Elias.






Schlatenkees Glacier - Áustria




Signs warning of the hazards of a glacier in New Zealand




O belo gelo azul cobrindo o Lago Fryxell, nos Montes Transantárticos, origina-se do derretimento das geleiras. A água doce fica próxima a superfície e congela, isolando a água salgada no fundo.


Lake Fryxell is a lake 4.5 km (3 mi) long, between Canada Glacier and Commonwealth Glaciers at the lower end of Taylor Valley in Victoria Land, Antarctica. Blue ice covering Lake Fryxell in the Dry Valleys of the Transantarctic Mountains. The lake is formed from glacial meltwater from the Canada Glacier and other smaller glaciers. The fresh water stays on top of the lake and freezes, sealing in briny water below.





Um rio de gelo - Geleira Aletsch - Suíça


Aletsch Glacier - Switzerland





Geleira Aletsch - Suíça - Inverno


Aletsch Glacier - Switzerland





Uma cascata de gelo - Geleira Briksdal - Noruega


Briksdal Glacier - Norway





Uma das mais incríveis fotos de uma geleira - cientistas acampam perto de um “penhasco de água” - Geleira Canadá - Antártida


Canada Glacier in the McMurdo Dry Valleys - Antarctica
 

San Andreas

Usuário Colaborador
Colaborador
http://en.wikipedia.org/wiki/Ice_age


Eras Glaciais


O termo era do gelo (também idade do gelo, período glacial ou era glacial) é utilizado para designar um período geológico de longa duração de diminuição da temperatura na superfície e atmosfera terrestres, resultando na expansão dos mantos de gelo continentais e polares bem como dos glaciares alpinos. Ao longo de uma era do gelo prolongada ocorrem períodos com clima extra frio designados glaciações. Em termos glaciológicos, o termo era do gelo implica a presença de extensos mantos de gelo tanto no hemisfério norte como no hemisfério sul, e segundo esta definição encontramo-nos ainda numa era do gelo (pois tanto o manto de gelo da Groenlândia como o manto de gelo antártico ainda existem).

Durante os últimos milhões de anos houve várias eras glaciares, ocorrendo com freqüências de 40.000 a 100.000 anos, entre as quais se destacam:


• Glaciação de Günz - há cerca de 700 mil anos
• Glaciação Mindel - há cerca de 500 mil anos
• Glaciação Riss - há cerca de 300 mil anos
• Glaciação Würm - há cerca de 150 mil anos






Variações na Órbita Terrestre - Ciclo de Milankovitch - principal teoria para a existência das Eras Glaciais


O modelo criado pelo cientista iugoslavo é baseado em três elementos. Cada elemento é responsável pela diminuição da quantidade de radiação solar que atinge a Terra.


• Variações na excentricidade da órbita da Terra à volta do Sol,
• Alterações na inclinação, ou seja, as variações no ângulo formado pelo eixo com o plano da órbita terrestre,
• A flutuação do eixo da Terra, conhecido como precessão dos equinócios.


Os cientistas discutem constantemente as razões da existência de ciclos climáticos que fazem as glaciações surgirem e terminarem. A teoria mais famosa, apresentada em 1920 pelo matemático iugoslavo Milutin Milankovitch, defende que o clima da Terra é determinado pelo volume de energia que ela recebe do sol. Segundo Milankovitch, essa insolação — incidência de radiação solar — é ditada, por sua vez, por três fatores astronômicos.

O primeiro é a natureza irregular da órbita terrestre em torno do Sol. Em um período de 100 mil anos a órbita do planeta passa de um círculo quase perfeito para uma forma ligeiramente oval. À medida que tal excentricidade aumenta, ocorre o mesmo com o periélio — distância mínima entre a Terra e o Sol —, causando menor insolação e temperaturas mais baixas.

O segundo fator é a inclinação do eixo de rotação da Terra, que varia de 21,8 a 24,4 graus, a cada 40 mil anos. Com o máximo de inclinação, a insolação e as temperaturas caem. O terceiro fator de Milankovitch, a precessão, se refere ao modo pelo qual a Terra oscila em seu eixo, como um pião. Em períodos de 21 mil anos, tal fenômeno afeta a inclinação do planeta e traz temperaturas mais frias. Quando os três fatores se reforçam mutuamente, eles mergulham a Terra em uma glaciação.

Embora Milankovitch tenha demonstrado que as glaciações do passado coincidem com períodos de insolação mínima, outros cientistas descobriram depois que os fatores astronômicos, isolados, não fazem baixar drasticamente as temperaturas.

Tais fatores podem bastar, contudo, para deflagrar uma cadeia de eventos climáticos que desencadeariam a próxima glaciação. Na verdade, simulações de computador revelaram que a Terra poderia passar de seu atual período inter-glacial para uma autêntica Era Glacial em apenas 60 mil anos; e também que a diminuição das médias de temperatura necessária para isso seria de apenas 6 graus Celsius.




 

San Andreas

Usuário Colaborador
Colaborador
Bernard Glacier - Alaska





Tana Glacier - Alaska





Glacier Bay National Park - Alaska




LaPerouse Glacier





Mendenhall Glacier - Alaska







Coxe Glacier - Alaska





Bryn Mawr Glacier - Alaska





Sawyer Glacier – Alaska





Bear Glacier - Alaska

 

LurtZ

Membro Honorário
Membro Honorário
show demais as fotos!!
 

Fins

Active Member
Registrado
Feel cold man...cold! :D

Fotos mto bonitas...mto bonitas mesmo!

Bom tópico!!!!
 

OverMan

New Member
Registrado
As fotos são lindas...
 

Cristus

Why so Serious?
Registrado
Ae San!
Tópico fera novamente!
Cara sempre quis conheçer um pais com geleiras, acho magnífico!
Parabéns!
 

fmthiago

GRÊMIO NADA PODE SER MAIOR
Registrado
nossa.. muito bom o tópico... e a próxima era do gelo vai acontecer quando será ?
 

San Andreas

Usuário Colaborador
Colaborador
Perito Moreno Glacier, Patagonia, Argentina.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Perito_Moreno_Glacier_Patagonia_Argentina_Luca_Galuzzi_2005.JPG


A Geleira Perito Moreno localiza-se na Argentina e está situada entre os 47º e 51º de latitude sul. Ela se estende desde o Campo de Gelo Patagônico Sul, na fronteira entre Argentina e Chile, até o braço sul do Lago Argentino, possuindo 5km de largura e 60m de altura. Seu nome é uma homenagem a Francisco Moreno, criador da Sociedade Científica Argentina e um renomado pesquisador da região austral daquele país. A Geleira Perito Moreno é considerada uma das reservas de água doce mais importantes do mundo.

É uma das geleiras mais imponentes e já foi chamada de a "oitava maravilha do mundo", devido à vista que se tem de seu topo. Localizada em uma zona rodeada por bosques e montanhas, está dentro do Parque Nacional Los Glaciares, criado em 1937 na Província de Santa Cruz, localizada ao sul da Argentina. Esse parque, de 724.000 hectares possui um total de 356 geleiras.

Em diversos pontos de sua extensão, a geleira represa as águas do Lago Argentino, fazendo com que esse atinja uma altura de até 30 metros. Neste ponto a água começa a fazer pressão sobre o gelo. Essa pressão cria um túnel com uma abertura de mais de 50 metros, por onde as águas do Rio Braço acabam descendo até o Lago Argentino. A pressão da água provoca um desabamento na borda da geleira, formando um espetáculo incrível. Esse processo se repete ao longo de intervalos irregulares: o último desabamento ocorreu em 9 de julho de 2008. Os anteriores em 13 de Março de 2006, dois anos após o desabamento ocorrido em 2004, sendo que o anterior ocorreu somente 16 anos antes, em fevereiro de 1988. Os turistas podem observar o fenômeno a 200 metros de distância, em instalações especialmente construídas para este fim. Este último desabamento foi presenciado por cerca de vinte felizardos.

Também é possível caminhar sobre a geleira, desde que se use sapatos e roupas adequados e acompanhado de guias especialmente treinados.


 

San Andreas

Usuário Colaborador
Colaborador
The Baltoro Glacier in the Karakoram Mountains, Pakistan. At 62 kilometres (39 mi) in length, it is one of the longest alpine glaciers on earth

 

Paradise Lost

Active Member
Registrado
muito bom esses seus tópicos. Faz um sobre os monolitos e outro sobre os megálitos. São pedras imensas que inexplicavelmente foram produzidas por alguém em algum milênio na história da Terra. O homem até hoje não conhece tecnologia para contruí-los e nem para transportá-los com a tanta precisão com as quais foram feitas. Os esoteristas dizem que foram feitos na Atlântida, e por uma tecnologia que o homem de hoje desconhece completamente. Que bom, pois com tanta bomba atômica por aí...
 

Hunt3r

!!!!
Registrado
Muito bonito mesmo...acho que é o sonho de muita gente querer ir para um lugar desses para admirar e ver o que o homem faz com a terra
:)
 

Usuários que estão vendo esse Tópico (Users: 0, Guests: 1)

Topo