Meus votos no Golden Joystic Awards 2014 e seus porquês

Discussões nível Hard

Luiz Menezes

A votação de um dos maiores prêmios da indústria de games - o Golden Joystic Awards ou, como também é chamado, People's Choice Awards - jÁ começou e qualquer pessoa pode votar até o dia 20 de outubro (aliÁs, quem votar até concorre a um iPad Air!). Segunda premiação gamer mais velha, ela perde apenas para a Arcade Awards e jÁ estÁ na sua 32ª edição - começou em 1983.

Grandes jogos jÁ conquistaram o Golden Joystic: em 2013, "Grand Theft Auto 5" levou o prêmio mÁximo; em 2012 quem ganhou foi "The Elder Scrolls V: Skyrim"; "Portal 2" levou o troféu em 2011; e, em 2010, o prêmio de Melhor Jogo foi para "Mass Effect 2". 

Como qualquer um pode votar em todas as categorias, tomei a liberdade de escolher os meus preferidos e explicar as minhas decisões para vocês. Não pretendo fazer "boca de urna" para nenhum dos jogos, só acho legal suscitar a discussão dos melhores games do ano. Ou seja, se quiserem, divulguem nos comentÁrios o que acharam das minhas escolhas e façam as suas também!

Assim como nas Listas Adrenaline, escolher apenas um de muitos é uma tarefa difícil; logo, em algumas categorias tive uma certa dificuldade e acabei listando os games que me geraram dúvida na hora de votar. Mas enfim, chega de lero lero e vamos ao que interessa: meus votos!


Melhor Jogo Original

- Minha escolha: Shovel Knight (3DS, WiiU e PC).
- Poderiam ser também: Transistor, Child of Light, Valiant Hearts e The Wolf Among Us.
- Meu porquê: Como a própria premiação explica, essa categoria é para aquelas IPs inéditas que mais impactaram a vida dos gamers durante o ano. Logo, a escolha foi para o indie "retrospectivo" "Shovel Knight". Não hÁ gamer que tenha tido um SNES ou um Atari e não sinta falta da dificuldade e da jogabilidade daqueles tempos. "Shovel Knight" resgata tudo isso ao mesmo tempo em que "cita" clÁssicos como "Megan Man", "The Legend of Zelda" e até "Super Mario". JogÁ-lo foi uma experiência prazerosa, tanto pelas lembranças da "era de ouro da dificuldade", quanto pelas pazadas que eu dei na cara dos inimigos.


Mais Esperado

- Minha escolha: The Legend of Zelda (WiiU).
- Poderiam ser também: Far Cry 4, No Man's Sky, Splatoon e Super Smash Bros. 
- Meu porquê: Eu não tenho um PS4 e nem um Xbox One. Logo, eu só poderia esperar jogos de PC, 3DS, Xbox 360 e Wii U. Por mais que "Splatoon" prometa e meu dinheiro de "Super Smash Bros." jÁ esteja separado, o novo "The Legend of Zelda" de mundo aberto me "quebrou as pernas". O vídeo de anúncio jÁ foi uma coisa linda de se ver, e se a Nintendo fizer tudo aquilo que prometeu, não vai ter espaço nem para o "Quantum Break", que jÁ me fez pensar em descolar um XOne.


Melhor Indie Game

- Minha escolha: Shovel Knight (3DS, WiiU e PC).
- Poderiam ser também: Outlast e The Stanley Parable.
- Meu porquê: Se eu o considerei o melhor jogo original do ano, não tem porque não dar este prêmio para ele. É um dos melhores jogos do ano, com certeza. "The Stanley Parable" é um divisor de Águas e me causou dúvidas na hora da votação; pena que não posso escolher um "segundo colocado" ou até dividir o voto.

Melhor Design Visual
- Minha escolha: Child of Light (PS3, PS4, PS Vita, WiiU, Xbox 360 e Xbox One)
- Poderiam ser também: Transistor, Don't Starve e Tearaway
- Meu porquê: Minha teoria é a seguinte: um game tem um bom visual quando segue, durante todo o jogo, o design a que se propõe. Por isso, games totalmente quadriculados receberiam uma nota maior do que um game extremamente realista - como "Crysis" - mas que tenha alguns cenÁrios "preguiçosos". Pensando nisso, o meu voto foi para "Child of Light". Eu não joguei, mas vi vÁrios vídeos de gameplay e acompanhei o Andrei jogando para analisar. A arte é linda, os cenÁrios são bem desenhados e o jogo é um banquete para os olhos. "Transistor", talvez, seria minha segunda escolha.


Melhor Multiplayer

- Minha escolha: Mario Kart 8 (WiiU)
- Poderiam ser também: Battlefield 4 e Titanfall
- Meu porquê: Mario Kart 7, para 3DS, jÁ tem um esquema multiplayer legal. Mario Kart 8, então, nem se fala. O melhor jogo da série de kart da Nintendo teve meu voto, mesmo que "Battlefield 4" não tenha deixado a desejar nesse aspecto.

 


Melhor Áudio

- Minha escolha: Transistor (PC, PS4)
- Poderiam ser também: Nenhum.
- Meu porquê: Gente, se essa trilha sonora não ganhar, é porque poucas pessoas tiveram a chance de ouvi-la. Sério. É uma das únicas que eu posso ouvir inteira sem achar ruim de nada. Combina perfeitamente com o jogo, o vocal da mulher é sexy e os instrumentais tech encaixam com a história da melhor maneira possível. O diretor de Áudio do jogo até criou um novo gênero musical!


Melhor Momento nos Games

- Minha escolha: Rayman: Legends - As fases musicais
- Poderiam ser também: The Last of Us - O beijo; Mario Kart 8 - Olhar psicopata do Luigi
- Meu porquê:  Apenas assistam ao vídeo acima e vocês vão entender. Mas quero deixar documentada aqui a minha indignação por "South Park The Stick of Truth" não ter entrado na votação com a cena em que você batalha contra gnomos enquanto seus pais fazem sexo em cima de você.


Melhor História

- Minha escolha: South Park The Stick of Truth (PC, PS3 e X360)
- Poderiam ser também: The Wolf Among Us, Valiant Hearts ou The Stanley Parable
- Meu porquê: Pode até não ser a mais cativante, a mais dramÁtica ou até, caso queiram falar, a mais artística. Mas "South Park The Stick of Truth" é, nada mais nada menos, a melhor história de game baseada em uma série. Eles conseguiram unir vÁrios personagens icônicos, piadas conhecidas e até os cenÁrios de South Park de uma maneira tão entrelaçada que nem parece um jogo! Muitos consideram o game como outra temporada da série. É uma sequência de acontecimentos que se ligam tão perfeitamente que só poderiam ter sido feitas pelas cabeças por trÁs de Cartman.


Melhor Jogo Online

- Minha escolha: WildStar (PC)
- Poderiam ser também: Hearthstone: Heroes of Warcraft
- Meu porquê: Lindos grÁficos, ótimo sistema de batalhas, raças bem interessantes e um sistema de pagamento inovador (é possível comprar "um mês de jogo" com dinheiro in-game! Para jogadores assíduos, isso é sensacional). O único problema é o preço exorbitante. Mas convenhamos, esse ano não tivemos grandes surpresas na categoria.


Melhor Jogo PortÁtil

- Minha escolha: The Legend of Zelda: A Link Between Worlds (3DS)
- Poderiam ser também: Shovel Knight e Bravely Default
- Meu porquê: Por mais que eu adore "Shovel Knight", "The Legend of Zelda: A Link Between Worlds" ensina como se deve fazer um remake. A Nintendo pegou um dos melhores jogos da série - The Legend of Zelda: A Link to The Past" -, melhorou os grÁficos e quase dobrou o tamanho do jogo! Além de ter todas as partes do jogo clÁssico da série, a habilidade de entrar nas paredes permitiu grandes mudanças e puzzles muito divertidos.


Melhor Jogo para Mobiles

- Minha escolha: Nenhum
- Poderiam ser também: Não faço ideia
- Meu porquê: Não jogo em mobiles. Tenho um Windows Phone.


Plataforma do Ano

- Minha escolha: Steam
- Poderiam ser também: PS4
- Meu porquê: Não tivemos um bom ano para os consoles... e a Steam, por outro lado, me fez bem feliz. A Summer Sale foi uma lindeza, as atualizações foram muito bem-vindas, e... é, PC. Hoje, com a nova geração sem muitos exclusivos, fica difícil competir com a maior plataforma dos computadores, que possuem um desempenho muito melhor em jogos.


Estúdio do Ano

- Minha escolha: TellTale Games
- Poderiam ser também: Blizzard
- Meu porquê: A segunda temporada de "The Walking Dead: The Game" é muito bem feita, "The Wolf Among Us" é genial, e a Tell Tale ainda estÁ trabalhando em dois projetos que têm grande potencial: "Borderlands" e "Game of Thrones". Além disso, os jogos são baratos, até para os brasileiros. Sério, se a Tell Tale Games me pedisse em casamento eu ia fÁcil.


Inovação do Ano

- Minha escolha: Twitch
- Poderiam ser também: Project Morpheus ou Oculus Rift DK2
- Meu porquê: O Twitch permitiu um crescimento gigantesco na indústria de games, seja por transmissão de jogos e-Sportivos ou por streamings que nos fazem conhecer certos games. Por mais que o Oculus Rift e o Project Morpheus sejam inovadores, de certa forma não produziram nada palpÁvel ainda.


Personalidade do Ano

- Minha escolha: Nenhum
- Poderiam ser também: Não faço ideia
- Meu porquê: Conheço pouco sobre eles.


Jogo do Ano

- Minha escolha: South Park The Stick of Truth
- Poderiam ser também: Mario Kart 8, The Legend of Zelda: a Link Between Worlds ou Metal Gear Solid V: Ground Heroes
- Meu porquê: Isso mesmo. "South Park The Stick of Truth" é a minha escolha final. Para um fã da série, é impossível não amar esse game. Com história perfeita e cheia de humor, um sistema de batalhas que funciona, piadas hilÁrias e um grÁfico que nos faz acreditar que aquilo é realmente a cidade de South Park, e não um game, "South Park The Stick of Truth" merece sim o prêmio mÁximo do Golden Joystic. É bem provÁvel que ele não leve, uma vez que "Mario Kart 8" e "The Legend of Zelda: a Link Between Worlds" - que ganhou Game of The Year pela Gamespot no ano passado - estejam concorrendo. Mas, pelo menos, o meu voto ele ganhou. Espero ansiosamente por um novo jogo da série no estilo e na qualidade de "South Park the Stick of Truth".

Assuntos
  • Redator: Luiz Menezes

    Luiz Menezes

    Estudante de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina desde o segundo semestre de 2012 e gamer desde 1999, quando teve a oportunidade de jogar "Adventure" no Atari (mesmo não passando nem da segunda fase). Hoje é estressado com o Xbox 360 e com os ADCs noobs que sempre feedam o Draven. Trabalha na Adrenaline por causa da paixão por games e porque precisa de dinheiro para comprar consoles novos.

O novo visual do Xbox Serie X