Lista Adrenaline: Os caninos mais bacanas dos games

da Redação

Redação


Não é de hoje que os cachorros são considerados os melhores amigos do homem na vida real, mas desde a criação dos games, esses caninos têm se mostrado também bem leais na vida virtual. Em comemoração ao Dia Nacional do Cachorro, que aconteceu no dia 26 (isso existe, juro! Nos EUA), o Adrenaline listou seus caninos preferidos do mundo gamer! Vejam quais são os nossos e não deixem de dizer os seus! 


Shiranui (Amaterasu) | Okami (PS2 e PS3)

Andrei Longen (@Long3n)

Shiranui não é um canino qualquer: ele é o lobo protagonista de "Okami" que reencarnou a deusa do Sol Amaterasu para poder salvar as terras japonesas de Orochi, o vilão que transformou toda a beleza da natureza oriental em sombras e dominou as pessoas pelos seus maiores medos e impurezas.

Shiranui não fala, mal demonstra empolgação, mal late ou mal se mexe muito nas cenas de história ou em qualquer diÁlogo do game. Mas isso jamais o impediu de ser simpÁtico, carismÁtico ou igualmente fodão. E o que faz ele ser desse jeito é a sua eterna paciência em aguentar o irritante Issun (que o acompanha em sua longa viagem) e ter poderes únicos, concebidos pela deusa do Sol e seus outros deuses irmãos, para combater o mal.

É aqui que ele mais se destaca: ele é capaz de controlar todos os elementos da natureza numa combinação extremamente poderosa de habilidades únicas e igualmente eficientes. Ele pode fazer anoitecer, amanhecer, moldar a forma da Água, desenhar estruturas, rejuvenescer a natureza, incendiar pontos específicos, criar bombas, subir por paredes, invocar raios e também tempestades de gelo. Boa parte desses poderes pode ser usado, inclusive, em batalha, o que dÁ uma ótima variedade e inovação aos combates.

Para quem não conhece "Okami", um resumo bem rÁpido do que o jogo significa na indústria de games: estética grÁfica inigualÁvel, uma das melhores trilhas sonoras jÁ feitas, personagens inesquecíveis, mescla perfeita entre aventura e RPG, interface inovadora de jogabilidade e uso de poderes para um personagem e muitas tarefas extras para cumprir em mais de 70 horas de pura diversão. É um dos melhores e mais completos jogos de todos os tempos. TÁ esperando o quê pra jogare esta obra-prima?

PaRappa | PaRappa The Rapper (PSOne)

JoãoGAN (@joaogan)

PaRappa The Rapper é um daqueles jogos excelentes, mas que por qualquer motivo, ficam esquecidos nos confins dos baús de memórias dos gamers em geral. Eu adorava esse game e olha que eu costumo detestar jogos de ritmo! Mas tem algo em PaRappa que é diferente, e extremamente cativante... Fora seu estilo muitíssimo original, todo meio "feito de papel", o jogo conta com excelentes personagens. E quem melhor para exalar carisma do que um cachorro?

O cachorrinho PaRappa faz de tudo para impressionar a menina de quem ele gosta e você vai ajudÁ-lo a aprender caratê, a dirigir e até a cozinhar! Tudo com muita música, humor e boas doses de dificuldade. O protagonista desse game entra como meu item pra essa lista porque foi só com seu carisma tipicamente canino que ele conseguiu me impedir de atirar o controle pela janela em momentos de profunda frustração jogando contra aquele sapo preguiçoso...

Missile | Ghost Trick: Phantom Detective (DS e iOS)
Luiz Fernando Menezes (@luizfnmenezes)

Mordin Solus do "Mass Effect 3"? Pft. Não chega nem aos pés de Missile. Tidus do "Final Fantasy X"? Pede benção para esse carinha. Kratos, Chrono, a irmã do Delita que eu nunca lembro o nome mas eu sei que é engraçado... todos eles são meros heroizinhos de novela das seis da tarde se formos comparar ao Missile, de "Ghost Trick: Phantom Detective" - para quem não conhece, um jogo puzzle onde você controla um fantasma que "possessa" coisas para evitar que crimes aconteçam. É demais. Se não jogou, jogue.

"TÁ, e onde entra esse Spitz Alemão Anão nessa história?". Primeiro: nunca diga "esse" quando estiver se referindo ao melhor cachorro da história dos games. E segundo: Missile não entra em história nenhuma; ele rouba ela. Sério. Por mais que o personagem principal do game, chamado de Sissel, seja uma mistura simpÁtica de Johnny Bravo com "Zombies Ate My Neighbors", Missile é o cara mais interessante de todo o jogo.

Missile conquista os jogadores desde a sua primeira aparição no game - jÁ no capítulo 2 - quando ele se mostra um cachorro extremamente leal e carinhoso com suas donas. Missile se sacrifica para tentar salvÁ-las de um assassino e volta em forma fantasma para ajudar Sissel a impedir a morte de Lynne e Kamila mais uma vez. Depois de morrer duas vezes em nome de sua lealdade, ele decide continuar como fantasma para ajudar Sissel a salvar mais pessoas, jÁ que suas donas estão longe do perigo. Olha isso! Ele larga mão da sua vida para ajudar na vida das outras pessoas. Esse cachorro tinha que ganhar um Nobel da Paz, sei lÁ.

Além disso, Missile é um dos personagens mais carismÁticos que jÁ vi: ele é engraçado, estÁ sempre de bom humor, suas frases são inteligentes e... (ah, quem vou enganar?) ele é muito bonitinho! Olha a cara desse filho da mãe! Ele é o cachorro perfeito! Simplesmente impossível não gostar do Missile. E também difícil achar outro personagem que seja tão leal e bondoso quanto ele.

Dog | Half-life 2 (PC, PS3, Xbox 360, Linux, Mac, Shield)
Diego Kerber (@kerberdiego)

Eu tenho 99% de péssimas experiências em games com cachorros. Eles são quase toda vez um inimigo odiosamente Ágil, e quando penso em caninos digitais o que me vem a mente são os cachorros me mordendo em Wolfenstein 3D, me mordendo e me infectando em Resident Evil, e quando eu fui para o espaço em Mass Effect eram os Varren, que tinham como principal hobby me morder. Praticamente toda franquia em que eles são legais e que o pessoal listou aqui, eu não joguei.

Mas como fui obrigado a colocar algo aqui (no início eu pretendia só listar as experiências ruins), vou forçar de leve a barra: meu cachorro não parece um cachorro, nem é um cachorro. É o Dog, de Half-Life 2 e que, apesar do nome, é um gigantesco robô que nem tenta parecer com um cachorro no formato.

No "espírito", porém, ele é um cachorro até o último osso circuito. Busca coisas que você joga, fica todo "pimposo" quando você diz que ele é um bom menino, te protege do perigo e, bem... late. Com um som bem metÁlico, mas late. O guarda-costas de Alex acaba virando uma ajuda e tanto no jogo, te salvando de muita enrascada.

Mas esta é a exceção. Olha lÁ, os cachorros estão de volta no novo Wolfenstein. Agora eles te mordem com dentes robóticos.

Shiba (Mira) | Silent Hill 2 (PC, PS2, Xbox, PS3 e Xbox 360)
Carlos Estrella (@carlos_estrella)

Antes de qualquer coisa, é bom avisar que este cachorro só aparece num final alternativo do game. Apesar de ser mais um easter egg do que um final de verdade, alguns podem considerÁ-lo um spoiler. Dito isso, deixe-me explicar porque este cachorro é tão bacana.

Para começar, tal qual o tão famoso Doge, ele é da raça Shiba. Porém, Silent Hill 2 foi lançado lÁ em 2001 – 12 anos antes do sarcÁstico cachorro se tornar um meme – mostrando que jÁ naquela época cachorros dessa raça poderiam ser bastante divertidos e aleatórios.

O pequeno canino fica na tela apenas por menos de 3 minutos, o que jÁ é tempo suficiente para conquistar minha simpatia, mesmo com todas as maldades cometidas por ele. Sim, pois neste final você descobre que o cachorrinho era quem estava por trÁs de todos os pesadelos de James Sunderland, o personagem principal do game.

Ainda assim, o Doge não parece ter a menor ideia do que estÁ fazendo, mantendo sua cara de feliz o tempo todo. É impossível ficar bravo com uma criatura tão simpÁtica. Para completar, a musiquinha cheia de latidos no final de tudo transforma esse cachorro no mais divertido e aleatório dos games.

  • Redator: Redação

    Redação

Quem você acha que merece o GOTY do The Game Awards?