Lista Adrenaline: Os personagens nos games que nós nunca escolhemos - e ninguém mais deve escolher também

da Redação

Redação

Toda geração é o mesmo papo: as produtoras anunciam novas versões para suas franquias consagradas com a promessa de terem o maior número de lutadores, de carros (e pistas), de times e de personagens jogÁveis possíveis. Tudo na justificativa da variedade e da inovação desses novos jogos. E às vezes sem mesmo perceber, lÁ vai você em modo automÁtico e acaba sempre escolhendo aqueles que jÁ conhece dos games anteriores, que jÁ domina todas as combinações de ataques e magias, sabe os pontos fortes e fracos, conhece o trajado de alguma pista ou as particularidades de cada caranga.

Pensando nisso, resolvemos escolher os personagens (ou outras atrações nos games) que insistem em continuar aparecendo e que deliberadamente insistimos em continuar não dando a mínima a eles. Tudo por questão de pura preferência, identificação com suas características ou por mera inutilidade das suas existências.

Bulbasaur | Pokémon
João GAN (@joao_gan)

Todo mundo sabe que Pokémon sempre começa com a escolha mais difícil de todas: qual starter eu devo pegar? Essa foi a pergunta que fiz a mim mesmo quando me deparei com aquelas criaturinhas que, na época, eram completamente novas para mim. Eu poderia escolher entre uma salamandra de fogo (uau!), uma tartaruga bonitinha (de um carisma instantâneo) ou um sapo... com uma cebola nas costas (é...). A escolha era difícil e recorri ao manual para descobrir que aquela pequena salamandra iria virar um dragão*! Com asas e tudo. A tartaruguinha também não decepcionou, jÁ que em seu futuro iria virar um verdadeiro tanque, com canhões inclusive! E o sapo? Ia virar um sapo maior. Com uma samambaia nas costas.

Não é difícil adivinhar que não escolhi Bulbasaur, o sapo. Nem eu, nem ninguém. Pokémon era um jogo completamente novo na época e poucos conheciam sua mecânica ou que tipos de time poderíamos montar ali. Deparados repentinamente com uma escolha logo no início, não tínhamos muitos recursos para julgar, além do tipo e da aparência de cada monstrinho. Por isso, é difícil imaginar quem escolheria o sapo da cebola...

E vamos combinar que não estamos sendo justos com o pobre Bulbasaur. Como todo starter, ele é um excelente Pokémon e, tecnicamente, devia ser escolha certa para o jogador iniciante, jÁ que ele aprende ataques poderosos bem cedo e tem vantagem de tipo contra os TRÊS primeiros ginÁsios. Ok, tudo isso é verdade. Mas nada nunca vai mudar o fato de que ele é um maldito sapo com uma maldita cebola presa nas costas...

*Eu sei que o Charizard não é do tipo dragão, mas na época eu nem sabia que tinha um "tipo dragão" e pra mim ele sempre vai ser um dragão e pronto.


Shogun | Sonic All-Stars Racing

Diego Kerber (@kerberdiego)

Na hora de fazer a sua versão genérica de "Mario Kart", a Sega conta com alguns personagens bem carismÁticos, como toda a trupe do Sonic e alguns clÁssicos como o Alex Kidd. Como seu repertório é menor que a Nintendo tem disponível, começaram a surgir algumas surpresas interessantes, como a piloto da NASCAR Danica Patrick e - muito bem acertado por conta do hype do filme e a sua relação com jogos - até "Wreck It Ralph" dÁ as caras nas pistas. 

Aí começou a faltar sugestões e então, alguém lÁ do fundo da sala de reuniões da Sega deve ter sugerido: e se a gente pegar algum personagem da série "Total War"? E aí nasce o Shogun, o personagem mais esquisito que eu jÁ vi, e não sei se alguém veria algum sentido em escolher ele.

O motivo é simples: estes games de corrida/luta/campeonato funcionam muito bem por usar personagens muito conhecidos e que temos uma empatia automÁtica. Como não parar para ver uma luta entre o Zelda o Link e o Pikachu? Pouca coisa é menos carismÁtica que um jogo de estratégia, e para piorar, um jogo de estratégia que nem tem um protagonista! Shogun surge como um personagem totalmente genérico, apenas para aumentar o repertório de opções disponíveis no jogo.


El Fuerte | Street Fighter IV
Andrei Longen (Long3n)

"Street Fighter" é a minha franquia de luta favorita. Desde "Street Fighter II", quando eu apanhava para todos os outros caras no fliperama ao lado da minha casa, Ryu, Ken, Chun-Li e cia fazem parte das minhas ótimas recordações e de alguns dos meus momentos mais divertidos nos games. Desde então, todos os novos games trouxeram personagens inéditos, ajustes precisos nas mecânicas e reformulações grÁficas sempre muito bem-vindas. 

Mas se tem um personagem que até hoje eu não consigo "engolir" é "El Fuerte", o representante mexicano que apareceu pela primeira vez na franquia em "Street Fighter IV". Sério: quem em sã consciência escolhe o especialista em Lucha Libre para duelar contra guerreiros poderosos do naipe de Ryu, Sagat, Akuma, Chun-Li e o brasileiro Blanka, todos com alguma vantagem em termos de ataques de alcances variados, movimentação equilibrada e, sobretudo, magias?

Além de ter um design pocuo atrativo, golpes que não costumam fazer o dano que se espera e não passar nenhuma confiança de que pode ser uma boa escolha do jogador, El Fuerte tem uma movimentação rÁpida demais que diminui as chances de ter algum sucesso nos golpes mais comuns e também tem especiais que demandam muita sorte para encaixÁ-los nos oponentes, pois estes sempre devem estar em uma posição ou em algum contexto de batalha muito específicos.

Por essas e outras, "El Fuerte" é uma das criações mais inúteis da Capcom até hoje em algum "Street Fighter" e não vale um décimo do tempo perdido para tentar aprender suas técnicas (fraquíssimas), pontos fortes (existem?) ou fracos (existem aos montes!). O personagem estÁ entre os que nunca são escolhidos por mim, e, provavelmente, na lista de milhões de outros jogadores.

Urgot | League of Legends
Luiz Fernando Menezes (@luizfnmenezes)

Atack Damage Carrie (ADC) é uma das roles preferidas dos usuÁrios de "League of Legends". Não é difícil ocorrer brigas durante o pick para ver quem vai ser o Draven, a Vayne, o Lucian ou até a Sivir do time. Mas NUNCA houve briga pelo Urgot, o ADC é, provavelmente, o personagem menos escolhido em todo o universo de Summoner's Rift.

Eu, que jogo LoL hÁ quase três anos, tenho preferência por personagens da classe suporte (quem quiser jogar comigo é só adicionar: meu nick é PantieCaptain) e, por isso, acompanho de perto os altos e baixos de cada ADC. O problema é que Urgot nunca teve seu momento alto. Posso garantir para vocês: as únicas vezes que joguei com um na minha lane foi porque eu pedi para meu colega ADC escolhê-lo.

E o pior é que o cara nem é fraco! É muito difícil ganhar de um Urgot e de uma Soraka na bot lane. Seu dano é considerÁvel e ele é o ADC com maior defesa e vida do LoL. Então, só hÁ duas teorias para sua falta de picks: ninguém escolhe ele por causa de sua feiúra (que, convenhamos, é muita) ou por causa da sua jogabilidade característica (poucas pessoas conseguem entender o estilo de Urgot e, dessas poucas, menos da metade compreende o seu Ult).

Ou seja, de qualquer jeito, Urgot não é escolhido por ser diferente. A mesma coisa que aconteceu com a Karma, que era a única personagem capaz de jogar em todas as lanes, mas que ninguém escolhia (mas quem sabia jogar com ela, destruía). A Riot Games acabou refazendo suas habilidades e a transformou em uma maga ou suporte. É muito capaz que isso aconteça também com Urgot: terÁ que ser enquadrado em um modelo só porque poucas pessoas sabem jogar com ele, ou seja, terÁ que facilitar sua jogabilidade para que usuÁrios medíocres* consigam utilizÁ-lo. 

*Medíocres = medianos. 

Assuntos
  • Redator: Redação

    Redação

Quem você acha que merece o GOTY do The Game Awards?