Call of Duty Modern Warfare: as missões mais intensas do modo campanha

Crianças na guerra, ataques em centros urbanos e seções de tortura marcam presença na história do game
Por Mateus Mognon 27/10/2019 14:42 | atualizado 27/10/2019 15:13 Comentários Reportar erro

Call of Duty Modern Warfare chegou ao mercado trazendo bastante foco no multiplayer, mas, felizmente, deixou de lado a filosofia de Black Ops 4 e também conta com uma bela campanha principal. A história é um reboot que marca o retorno de clássicos personagens da série, como o Capitão John Price, e é contada de uma maneira bastante cinematográfica, mas sem deixar de lado o gameplay de ação. Logo de cara, o jogo também avisa que cenas cheias de violência estarão presentes durante a experiência single-player.

Assim como nos jogos originais da série MW, os antagonistas principais continuam sendo russos malvadões e terroristas que querem explodir tudo. A Infinity Ward, porém, não economizou nas sequências de jogabilidade que mostram, de forma mais crua e incômoda, como funciona a guerra. 

Após minha primeira aventura na campanha principal de Modern Warfare, elenco aqui, com o mínimo de spoilers possível, as missões com momentos mais intensos e que com certeza vão ficar na memória de alguns jogadores, seja pelo grau de violência ou as doses de empatia passadas durante o gameplay.

Piccadilly

Enquanto a primeira missão do jogo funciona mais como um tutorial e introdução para o reboot, a segunda fase do novo Modern Warfare já faz justiça ao aviso de conteúdo adulto apresentado na Home da campanha. Em Piccadilly, você deve impedir uma célula terrorista durante um ataque em Londres, mas a situação sai do controle logo após uma grande explosão.

A ação acontece em uma região movimentada e todo o gameplay traz a aflição das pessoas no meio da zona de terror, com homens-bomba atacando e dezenas de terroristas armados atirando de forma organizada. O sentimento de confusão e frenesi gerados pela situação são o grande destaque da jogabilidade. Além de ter que impedir os criminosos, porém, o jogador também precisa tomar cuidado para proteger inocentes durante a ação, o que a história deixa claro que nem sempre é possível de fazer.

Casa Limpa 

Nesta missão liderada pelo experiente John Price, o jogador invade um prédio de terroristas para obter informações de um alvo valioso. A jogabilidade dá bastante foco no uso de táticas de stealth e visão noturna, mas ajuda a mostrar que os inimigos também tem família. Apesar do foco na ação, a sequência traz um tom cinematográfico que lembra muito produções como a série Jack Ryan, da Amazon, é uma das primeiras que pode te fazer sentir o peso da hora de puxar o gatilho.

O ápice dessa temática, porém, acontece na parte final do game, em que um dos protagonistas chega a ameaçar a esposa e filho de um terrorista para obter informações importantes para a missão. Ao mesmo tempo, Modern Warfare também te coloca no papel de torturado na missão “Cativeiro”, protagonizada por dois irmãos rebeldes presos pelos russos. Com tudo isso, o título não esconde a vontade de mexer com a  bússola moral do jogador e mostrar que guerras não são feitas por santos. 

A Embaixada

Uma das fases que melhor equilibra a ação clássica de Modern Warfare com passagens cinemáticas, a missão mostra um grupo rebelde invadindo a embaixada do Urziquistão para salvar seu líder. Aqui, o extremismo também é a temática principal: os terroristas não economizam balas para matar inocentes e o jogador é colocado em situações que precisa decidir entre o bem da missão e a vida das pessoas.

Outro destaque fica por conta de uma passagem do gameplay em que é necessário auxiliar uma refém a sair do prédio com as câmeras de segurança. Além de trazer uma variação para a jogabilidade que é recheada de intensidade, a sequência e seu desenrolar mostram como a vida é volátil em um ambiente de conflito.

Terra Natal

Uma das fases que mais vai render debates, Terra Natal coloca o jogador no lugar de uma criança no decorrer de uma guerra com armas químicas. A sequência já começa com a protagonista soterrada e tentando sair dos escombros de uma construção. Após ser salva e finalmente encontrar seu pai, a jovem sobrevivente volta para casa em busca de seu irmão, mas tudo fica ainda pior.

Após um conflito com um soldado russo, as duas crianças precisam correr e são obrigadas a empunhar armas pela primeira vez na vida para tentar escapar do gás venenoso e não serem mortas por inimigos. Enquanto algumas passagens da narrativa acabam parecendo forçadas, a fase em questão consegue mostrar a perspectiva de um inocente em uma situação de terror. 

Além disso, Terra Natal serve para a construção dos personagens principais da história e dá um pano de fundo aprofundado para a guerra civil que domina o local em que o enredo que rege o gameplay se passa. Ou seja, o produto final não está ali apenas para “polemizar” e, no fim das contas, serve muito bem como ferramenta narrativa.

Já está jogando Call of Duty Modern Warfare? Quais suas missões favoritas do modo história? Deixe sua opinião nos comentários e fique ligado no Adrenaline, pois em breve teremos uma análise completa com o jogo da Activision.

  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Mateus Mognon é formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. Vencedor do prêmio SET Universitário na Categoria Reportagem Digital, atua nos sites do grupo Adrenaline desde 2014. Atualmente, colabora para os veículos com notícias, análises e artigos envolvendo tecnologia e games.

Os lançamentos problemáticos de games tem feito você evitar pré-compras?