Borderlands está rodando bem no PC? Veja benchmarks com 15 placas em FullHD, 2,5K e 4K!

Testamos desde os modelos de entrada até os topo de linha
Por Diego Kerber 19/09/2019 19:13 | atualizado 19/09/2019 19:16 Comentários Reportar erro

Borderlands 3 chegou para fazer a alegria da galera que curte um shooter RPG, senso de humor duvidoso e a possibilidade de jogar com os amigos. E assim como Gears of War 5, felizmente ele chegou com uma ferramenta de benchmark interna, tornando ele excelente para um teste com múltiplos hardwares em um cenário totalmente controlado.

O game é desenvolvido na Unreal Engine 4, mesmo motor gráfico usado em Gears 5, mas dessa vez a viagem não parece que será suave, já que enquanto o game da The Coalition rodou bem mesmo em hardwares intermediários, Borderlands já mostrou que vai dar trabalho já no primeiro gameplay que fizemos com ele.

Placas de vídeo testadas:

AMD
- PowerColor Red Devil Radeon RX 5700 XT - link da análise
- ASRock Phantom Gaming X RX 590 - link da análise
- ASRock Phantom Gaming RX 580 - link do unboxing
- PowerColor Radeon Red Devil RX 570 - site oficial
- Gigabyte Radeon RX 560 Gaming OC 4G - site oficial

Nvidia
- Nvidia Geforce RTX 2080 Ti Founders Edition - link da análise
- Nvidia Geforce RTX 2080 Super Founders Edition - link da análise
- Nvidia GeForce RTX 2080 Founders Edition - link da análise
- Nvidia GeForce RTX 2070 Super Founders Edition - link da análise
- EVGA GeForce RTX 2070 Black - link da análise
- Nvidia Geforce RTX 2060 Super Founders Edition - link da análise
- Nvidia GeForce RTX 2060 Founders Edition - link da análise
- EVGA GeForce GTX 1660 Ti XC Gaming - link da análise
- EVGA GeForce GTX 1660 XC Ultra - link da análise
- Galax GeForce GTX 1650 EX 1-Click OC - link da análise

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i9-9900K - Análise
- Placa-mãe Gigabyte Z390 Aorus Xtreme - Site oficial
- Kit de memórias G.SKILL TridentZ Royal 2x8GB 3200MHz - Site oficial
- SSD HyperX Fury RGB SSD - Análise
- SSD WD Black M.2 NVMe 1TB - Análise
- Sistema de refrigeração liquida Cougar Helor 360 - Site oficial
- Fonte de energia Cougar CMX 1000W - Site oficial
- Gabinete Cougar Conquer - Site oficial
- Monitor Samsung U28E590D 4K 60Hz - Site oficial

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits
- NVIDIA GeForce 436.30
- AMD Radeon Software Adrenalin Edition 19.9.2

Usamos o pre-set do Ultra do game, dando preferência ao DirectX 11 já que o game indica do DirectX 12 como em fase beta (devemos experimentar essa API em um vídeo de teste de performance com nossos vários PCs)

Um dos destaques desse game em termos de tecnologia é a implementação do FidelityFX, uma API da AMD de código aberto, parte da GPUOpen. Além de estar disponível para toda a indústria (ou seja, a Nvidia tem acesso para fazer otimizações do recurso para suas placas). Ela serve para melhorar a nitidez na imagem aplicando um filtro ao final da renderização, em um efeito de nitidez que tem baixíssimo impacto no desempenho. É um mecanismo semelhante ao do Radeon Image Sharpening, que discutimos nesse artigo aqui.

Para os testes colocamos o jogo em sua qualidade gráfica mais elevada, como podem ver nas telas abaixo:

(em algumas resoluções o resultado da RTX 2080 Ti em FullHD não está sendo exibido corretamente, que é de 100fps)

Assim como aconteceu com Gears of War 5,não chega a ser uma surpresa ver a AMD mais uma vez se saindo muito bem nos testes, afinal os dois games são baseados no mesmo motor gráfico. Porém a vitória da AMD acaba tendo diferentes pesos por conta de características do mercado brasileiro.

Começando lá de baixo, a Radeon RX 570 fica em franca vantagem sobre a GeForce GTX 1650, sendo que ambas possuem um preço próximo por aqui, o que dá clara vitória ao lado vermelho da força. O detalhe é que Ultra está fora do alcance das duas, mesmo em FullHD. Pra quem busca 60fps, melhor ir com algo no Médio ou Alto.

A AMD levou a melhor novamente, mas os preços do Brasil de alguns modelos tornam a vantagem menos atraente

Olhando agora para o segmento intermediário, a RX 590 não deu o voo ousado que aconteceu em Gears 5, e dessa vez ficou no patamar da GTX 1660, não da GTX 1660 Ti. O modelo Radeon costuma aparecer um pouco mais barato que a GTX 1660, mas os preços não são distantes, nem foi a diferença de performance. No fim do dia, temos um resultado próximo de um empate.

E agora olhando lá para o topo (mas pra baixo da RTX 2080, já que no topo mesmo só tem Nvidia atualmente), a RX 5700 XT novamente mostrou a que veio e se embolou entre a RTX 2070 e RTX 2070 Super, assim como havia acontecido em Gears 5. Dessa vez ela não ficou tão "embolada com a RTX 2070S, mas ainda assim ficou com uma margem sobre a RTX 2070. 

É muito difícil jogar Borderlands 3 no Ultra

Enquanto no exterior isso é uma vitória pras Radeon, com a RX 5700 XT em projeto customizado sendo vendia a US$ 400, o preço que sai uma RTX 2060 Super, no Brasil a coisa muda de figura. As RX 5700 XT (ignorando os modelos referência, que não recomendamos) aparecem por aqui na faixa dos R$ 2.5 a 2.8 mil, algo que não fica longe do preço da RTX 2070 Super e um pouco acima das RTX 2070 mais acessíveis, fazendo com que tenhamos um equilíbrio na disputa quando analisado pelo preço nacional.

Considerando todos os resultados, é muito difícil jogar Borderlands 3 na configuração máxima. Nem a RTX 2080 Ti deu conta de um 4K/Ultra/60fps, e a RX 5700 XT e RTX 2070 não chegaram no QuadHD/Ultra/60fps, mostrando que o ideal é mirar nos pre-sets do Alto ou ao menos desligar os recursos mais exigentes de capacidade da placa de vídeo. Mas isso é assunto para nosso próximo conteúdo como game, quando vamos colocar nossos diversos patamares de PCs (R$ 1.5 mil, R$ 2.5 mil, R$ 3.5 mil e R$ 5 mil) para tentar dar conta do jogo. PC da Crise e Baratinho mal podem esperar!

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".