GOG Galaxy 2.0 é a estante virtual que reúne seus jogos do PC em um só lugar

Uma das principais vantagens de jogar no PC é a competição entre as lojas de games: como diversas plataformas comercializam jogos de forma digital, não é muito difícil encontrar algo barato ou até mesmo gratuito para jogar. O problema começa, porém, na hora do download. Como muitas empresas do ramo lançaram seus próprios agregadores, como Origin e Epic Games, está cada vez mais difícil gerenciar diferentes bibliotecas e saber quais jogos você tem e onde eles foram comprados. Agora, porém, uma solução chegou para dar fim a esse problemão: o GOG Galaxy 2.0.

Visite o site oficial do GOG Galaxy 2.0

Feito pelas mãos da CD Projekt, a empresa por trás de The Witcher 3 e Cyberpunk 2077, o GOG Galaxy era até pouco tempo atrás apenas mais uma loja para comprar games no PC e seu principal destaque era disponibilizar os softwares sem DRM. Agora, porém, a companhia finalmente nos deu um grande motivo para baixar seu launcher: a nova versão consegue reconhecer e organizar os jogos de diferentes lojas do PC, incluindo Steam e Epic Games, em um só lugar. Além disso, a plataforma também consegue exportar para visualização os games dos consoles PS4 e Xbox One. É uma ferramenta de paz mundial para os videogames.

De plano B para titular

Ainda em beta fechado, que pode ser acessado por convites, o GOG Galaxy 2.0 é a solução perfeita para quem costuma pegar vários jogos gratuitos no PC e costuma se perder com tantos launchers no computador. A versão atual do programa suporta integração com Steam, Origin, Battle.net, Epic Games, Uplay e com os consoles Xbox One e PlayStation 4. Obviamente, os jogos que você tem na GOG também aparecem na lista, que consegue reunir praticamente todos os games que você tem. Com esse poder especial, o serviço já garante atenção para ser baixado e tomar o lugar da Steam como launcher principal dos jogadores do PC, mas ainda tem mais.


Com diferentes integrações, o GOG Galaxy 2.0 permite visualizar todos os seus jogos (ou quase) em apenas um lugar

Além de exportar todos os títulos das diferentes bibliotecas para visualização, o serviço também permite que você instale e inicie os títulos do PC diretamente na plataforma, mas é preciso ter os launchers de cada presentes na máquina para abrir os jogos. O programa da CD Projekt também exporta e reúne suas conquistas em um único feed. Para aumentar a competitividade, o serviço ainda monta um ranking com base nas realizações e horas jogadas de todos os seus amigos.

 Jogos de PC podem ser instalados e abertos
por meio da interface do GOG Galaxy 2.0

A interface também permite mudar o tamanho das imagens de prévia e organizar os games de diferentes formas. As possibilidades incluem dividir por plataforma, gênero, sistema operacional ou também por características como nome e atividade, o que permite ver quais são os títulos mais jogadores recentemente, por exemplo. Uma característica interessante é o contador de horas jogadas, que mapeia quanto tempo o usuário passou em certos games, mas que infelizmente não consegue pegar informações do PS4, o que acaba deixando as estatísticas gerais imprecisas.


O feed do GOG Galaxy 2.0 permite visualizar conquistas de diferentes plataformas, além de mostrar estatísticas de jogo sempre que possível

Trabalho em andamento

Para o futuro, um dos objetivos do GOG Galaxy 2.0 é conseguir integrar listas de amigos de diferentes launchers dentro serviço também, mas, como o beta começou recentemente, com certeza ainda teremos que esperar um pouco para todos os objetivos da plataforma milagrosa serem alcançados

Além disso, a desenvolvedora também precisa cuidar de eventuais bugs e outras ferramentas essenciais faltando no serviço, como o fato de que a biblioteca de jogos do Xbox One e da Microsoft Store ainda não está propriamente separada. Em tempos de Xbox Game Pass no PC, a funcionalidade seria uma grande mão na roda para os assinantes.


A interface permite organizar os games em listas e ver progresso e até mesmo horas jogadas, tudo em um só lugar

Outra funcionalidade que ainda não deu as caras é o suporte para controle, algo que faz a diferença para quem busca mais conforto e joga com joystick sem fio conectado ao computador. Nesse quesito, uma solução já presente no mercado, o programa de código aberto Playnite, acaba saindo ganhando. Para quem não quer esperar o GOG Galaxy 2.0, vale a pena conhecer o software concorrente.

Apesar da experiência já ser interessante durante o beta,
ainda existe espaço para melhorias

Apesar da experiência entregue no beta já ser de grande valia, a CD Projekt ainda vai ter que trabalhar bastante para garantir uma experiência mais abrangente com o serviço, principalmente em um mundo onde cada vez mais publishers lançando seus próprios programas. O launcher da Bethesda e os jogos da Nintendo ainda não podem ser sincronizados com o programa e só podem ser adicionados manualmente, por exemplo, algo que pode fazer falta para usuários das desenvolvedoras que queiram ver todos os seus games e conquistas em apenas um lugar.

A CD Projekt até chegou a liberar códigos para desenvolvedores da comunidade criarem integrações próprias para o GOG Galaxy 2.0, o que pode ajudar a expandir ainda mais a plataforma. Durante o beta, também é essencial que os usuários enviem opiniões para a firma, o que com certeza pode render bons frutos para o futuro do programa.

Como baixar o GOG Galaxy 2.0?

Se você está interessado em testar o GOG Galaxy 2.0, é possível entrar na fila para entrar no beta por meio deste site oficial, que também traz mais informações sobre esse ousado projeto. Para quem não quer esperar, um programa mencionado no texto que é similar e vale a pena conhecer é o Playnite, que desempenha uma função parecida e reúne jogos do PC de diferentes fontes, mas com interface mais simples e sem sincronização com PS4 e Xbox One.


Imagem: GOG/Divulgação

Apesar de ainda estar engatinhando e precisar de melhorias, a solução da CD Projekt é uma salvação no meio de tantos launchers no PC e já consegue cumprir o papel de ser uma bela estante virtual para todos os seus jogos, algo que é muito interessante de se ver em um mundo com cada vez menos mídia física.

  • Redator: Mateus Mognon

    Mateus Mognon

    Meu nome é Mateus Mognon. Depois de viver 16 anos sem internet no interior de Lagoa Vermelha-RS, eu vim até Florianópolis com apenas um objetivo: sobreviver. Para isso, eu comecei a estudar Jornalismo na UFSC e trabalhar no Adrenaline, onde produzo conteúdos e notícias da forma mais ágil possível. Com pouco salário e muito trabalho, eu sou... O Antigo Estagiário (agora colaborador!)