PC gamer de R$ 1.500, R$ 2.500 e R$ 3.500 (março/2019)

Estamos começando aqui um formato que, se receber um feedback positivo, pode se tornar um quadro recorrente no Adrenaline: montar configurações de PCs em diferentes tetos de orçamento. O conceito passa meio perto do que já fazemos com caras como o PC Baratinho, PC da Crise e PC Ideal, mas com a diferença que preços são mais intuitivos para todos, sendo mais fáceis de serem entendidos mesmo por aqueles fora do "lore" do Adrenaline e sua horda de PCs. 

Tentamos montar a melhor configuração dentro de cada patamar de custo

Fizemos o levantamento considerando apenas peças novas e buscando preços em lojistas online de grande alcance. Quem quer ver componentes mais antigos em ação, temos o quadro "Ainda Vale a Pena?" em que brincamos com uma peças mais antigas. Aqui o foco são os atuais hardwares das empresas, e quais estão entregando mais por cada real gasto.

Separamos em três patamares de custo, que lembram um pouco alguns de nossos PCs tradicionais do Adrenaline. A primeira faixa é dos "até R$ 1.5 mil", onde normalmente cai o PC da Crise, os "até R$ 2.5 mil", onde costumamos inserir o PC Baratinho, e por fim "até R$ 3.5 mil", custo que em geral temos o PC Ideal.

PC Gamer até R$ 1.5 mil

Nosso PC mais barato vai precisar se virar em um orçamento bem apertado. A melhor forma de alcançar essa faixa de preço é comprar uma solução única para processador e chip gráfico, e hoje sem dúvidas a melhor opção para quem está pensando em jogar é a linha de APUs da AMD.

Até R$ 1500 é praticamente obrigatório usar gráficos integrados

Como estamos indo de gráficos integrados e também um CPU Ryzen, é bom buscar memórias um pouco mais rápidas, e a melhor relação entre custo e desempenho no momento está na casa dos 2666MHz. Outro cuidado importante, e que a maioria dos lojistas não estão fazendo, é usar dois módulos de memória para viabilizar o dual-channel, algo que faz diferença para a situação do chip gráfico Vega 8 integrado dentro do Ryzen 3 2200G

As peças que montamos são:

- Processador AMD Ryzen 3 2200G - R$ 470
- Placa-mãe MSI B350 Pro-VH Plus - R$ 340
- Memória RAM 2x4GB DDR4 2666MHz - 2x R$ 160 
- HD WD 1TB - R$ 208
- Fonte CoolerMaster Elite 300W - R$ 152

 

PC Gamer até R$ 2.5 mil

Subindo o orçamento é hora de trazer peças de mais capacidade. Então saem os gráficos integrados e entra em ação uma placa de vídeo dedicada para entregar mais performance. O processador também é um mais parrudo, para dar mais estabilidade ao sistema e aguentar o aumento de taxa de quadros que a GPU mais potente traz. Outro upgrade necessário é na fonte, que agora também precisa comportar o consumo de uma placa dedicada.

RX 570 é a grande placa custo x benefício hoje no mercado

Os Ryzen estão imbatíveis na relação entre custo e benefício, e o nome que mais impressiona é o Ryzen 5 1600, com seis núcleos e custo abaixo dos R$ 700, eventualmente. Mainboard e memórias mantivemos as mesmas do PC de R$ 1.5 mil, enquanto a placa de vídeo da vez é sem dúvidas as RX 570 da AMD, que entrega performance sufi ente para jogar em FullHD com boa qualidade.

- Processador AMD Ryzen 5 1600 - R$ 620
- Placa-mãe MSI B350 Pro-VH Plus - R$ 340
- Memória RAM 2x4GB DDR4 2666MHz - 2x R$ 160 
- Placa de vídeo AMD Radeon RX 570 4GB - R$ 650
- HD WD 1TB - R$ 208
- Fonte Corsair VS450 80PLUS 450W - R$ 250

PC Gamer até R$ 3.5 mil

Subindo o orçamento chegamos no patamar em que realmente recomendamos a compra de um computador para jogar. Com as contas na casa dos R$ 3.5 mil temos espaço para investir em um PC com folga para rodar qualquer game em alta qualidade. Aqui começamos a incrementar em outros aspectos, como incluir um bom gabinete e um SSD para deixar o sistema mais ágil.

A GTX 1060 6GB ficou mais barata recentemente, e está em uma disputa interessante com a RX 580

Com mais dinheiro disponível, subimos as placas de vídeo para o patamar das GTX 1060 6GB ou RX 580 8GB, duas placas que entregam um competente FullHD em qualidade alta. Recentemente a placa GeForce saiu dos 1.2 mil que andava estagnada e hoje aparece até por menos de 900 reais, fazendo uma disputa acirrada com a RX 580 que aparece em patamares abaixo dos R$ 1 mil. Com uma gordurinha sobrando pra gastar, também subimos o processador para o Ryzen 5 de segunda geração. O que não teve jeito foi incluir um Intel Core na disputa: os Core i5 na faixa do 8400/9400, que seriam os indicados para esse patamar de performance que estamos buscando, só vão aparecer perto dos 1 mil reais. Vamos ter que esperar as coisas melhorarem no lado azul da força para ver a empresa disputando espaço nesses PCs, tão sensíveis a mudanças de preços.

Os Intel Core segue com um preço consideravelmente mais alto que os equivalentes AMD Ryzen

Nos últimos meses também vem aparecendo muito barato a linha Ryzen 7. Em alguns momentos por pouca coisa a mais dá para pegar um processador com dois núcleos a mais que o Ryzen 2600 que colocamos no PC do mês. Em games, a diferença não será tão relevante, afinal o Ryzen 5 2600 já se vira bem em jogos, mas para quem gosta de editar vídeos ou usa softwares que fazem bom uso de múltiplos núcleos, um investimento adicional no Ryzen 7 vale bastante a pena.

- Processador AMD Ryzen 5 2600 - R$ 870
- Placa-mãe MSI B350 Pro-VH Plus - R$ 340
- Memória RAM 2x4GB DDR4 2666MHz - 2x R$ 160 
- Placa de vídeo AMD Radeon RX 580 8GB - R$ 999
- SSD Gigabyte 120GB - R$ 120
- HD WD 1TB - R$ 208
- Fonte EVGA 500W 80 Plus - R$ 280
- Um bom gabintete - R$ 200

 


Com essas máquinas definidas, o plano é experimentar futuros lançamentos de jogos em cada uma dessas configurações, vendo como um PC de R$ 1.5 mil, R$ 2.5 mil e R$ 3.5 mil rodam cada um dos jogos. Se o feedback for positivo, também vamos atualizando essa publicação e cada mês damos uma nova olhadinha como andam os preços, atualizando as configurações de acordo com a realidade do mercado.

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".

Qual game da TGS você está mais ansioso?