Qual é a diferença entre headsets com surround "real" e com surround virtual

Entenda a diferença entre os dois tipos de tecnologia
Por Redação 15/02/2016 17:39 | atualizado 25/11/2019 12:06 Comentários Reportar erro

Quase todo mundo já se surpreendeu com o sistema de som surround dos cinemas, e muita gente já sonhou em ter algo parecido com isso em casa. É para isso que existem os home theaters, claro, mas eles esbarram em vários problemas, especialmente para gamers. Afinal, aparelhos do tipo são caros e precisam de muito espaço.

Por isso, quem joga – especialmente no quarto – geralmente vai atrás dos fones de ouvido, que são mais baratos e práticos, além de proporcionarem muito mais privacidade. Só que aí vem aquela dúvida: no meio de tantos modelos, qual será o melhor? Será que algum deles oferece uma experiência surround como a dos home theaters ou mesmo do cinema?

Bom, quem pesquisou sobre headsets alguma vez já sabe que existem dispositivos que oferecem o surround chamado de "real" e outros que oferecem surround virtual. Há algumas diferenças entre cada tipo de fone, que nós vamos explicar abaixo, junto de bastante informação (e um pouco de opinião).

Por que "real" e virtual?
Primeiro, é importante explicar o que são os headsets com surround "real". Nesse tipo de periférico, o design inclui 5 pequenos alto-falantes (ou drivers) e uma espécie de mini-subwoofer para resultar no som 5.1. O Objetivo, com isso, é dar uma melhor sensação do espaço em volta do jogador.


Os vários drivers de um fone de ouvido 7.1 dos mais caros

Já os periféricos com surround virtual usam técnicas sofisticadas para simular uma ideia de melhor noção espacial, baseando-se nos 5.1 canais de áudios que muitos filmes e games oferecem. As tecnologias do tipo usam sinais sônicos espaciais e informações ambientais para enganar os ouvidos e fazer com que o usuário pense estar ouvindo um sistema multi-canais. Como, por exemplo, exemplifica esse vídeo.

É lógico que cada opção tem suas vantagens e desvantagens, e nosso objetivo aqui é explicá-las e mostrar porque os headphones a maior parte dos headphones do mercado estão indo para um caminho em comum. E é aqui que entra a parte com maior carga de opinião.

Vantagens e desvantagens
Os fones com 5.1 "real" têm a vantagem de trabalhar com a ideia de tentar fazer o que um home theater faria: reproduzir 5 canais de maneira independente, um em cada driver de som. Com isso, eles propõem uma melhor distinção entre os sons, o que representaria de maneira mais adequada a proposta da tecnologia. 

Só que os aparelhos com sistema surround 5.1 (ou mesmo 7.1) enfrentam dois grandes problemas. Primeiro, eles costumam ser muito pesados, porque precisam abrigar, no mínimo, 5 drivers de som. Além disso, os headsets acabam ou tendo qualidade de som piorada ou custando extremamente caros.

A explicação para isso é muito simples. Um headset estéreo precisa de apenas 2 drivers, que podem ser de alta qualidade. Já no periférico 5.1, o que acontece é que empresa precisa fabricar mais que o dobro de drivers, que acabam sendo menores e de pior qualidade. Ou podem até ser de alta qualidade, mas resultam em headphones que custam o dobro do preço dos fones estéreo.

E o que acaba ficando muito discutível é se 5 drivers tão próximos da orelha do usuário realmente conseguem criar um efeito de espacialidade no som. E, mesmo que consigam, se a perda de qualidade em relação a fones estéreo acaba compensando.

E é por isso que o mercado está cada vez mais abandonando os dispositivos 5.1 e 7.1 "reais". Afinal, o peso extra e a necessidade de escolher entre alta qualidade e preço baixo acabam fazendo com que dispositivos do tipo não compensem para a maior parte dos usuários.

Conclusão
Ao invés disso, o que as empresas (e, consequentemente, os usuários) vão adotando são os periféricos estéreo com surround virtual. Isso porque eles acabam oferecendo uma melhor qualidade de som por um menor preço. 


Cloud II foi o primeiro headset da HyperX a incluir tecnologia surround virtual

Foi isso que levou a HyperX a adotar o sistema surround 7.1 virtual em seus últimos headset – o mais novo integrante da lista sendo o HyperX Revolver S. O periférico, que é o primeiro projetado inteiramente dentro da Kingston, traz dois drivers de 50 mm de alta qualidade.

Eles foram implementados de maneira angulada, e portanto oferecem um sound stage mais aberto. O que isso significa? Maior sensação de espacialidade vinda do surround. Provando que um headset estéreo pode sim aproveitar os 5.1 ou 7.1 canais de games e filmes para trazer uma experiência cada vez mais próxima do cinema.

 

 

 

 

  • Redator: Redação

    Redação

Com esses adiamentos dos games...

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.