PC baratinho para jogar: o máximo de frames pelo mínimo de reais

Montar o PC dos sonhos é divertido e ver até onde vai o desempenho de uma máquina dessas é interessante. Mas os 30 mil reais necessários são totalmente fora do orçamento da maioria esmagadora de nós, que precisa fazer o salário durar 30 dias para comida, aluguel e o que sobrar... em games. Mas, não se desespere. Na ressaca pós-PC dos sonhos, apresentamos o PC Baratinho pra Jogar Adrenaline 2015!

A proposta é simples: queremos jogar em resolução FullHD, o mais próximo possível dos 60 frames por segundo (fps) e em uma qualidade alta. O que não queremos é gastar. Vamos economizar cada real que der e enxugar o orçamento, mas ao final desta dura e econômica jornada, queremos terminar com um computador digno de um bom gameplay, rivalizando até mesmo com plataformas como o Playstation 4 e Xbox One que também suam para conseguir 1080p.

Queremos FullHD, queremos o jogo fluindo bem e queremos qualidade alta. O que não queremos é gastar

Componentes testados

Processadores
Na área dos processadores, testamos tanto Intel quanto AMD. Partimos desde o "quase indefeso" dual-core sem hyper-threading Pentium G3258 - mas está tudo bem, DirectX 11 não sabe usar direito muitos núcleos - chegando ao Core i3-4150. Por parte da AMD, testamos a APU A8 5600K e um processador da linha FX, o FX-6300, CPU mais potente do comparativo com seis núcleos.

- Intel Pentium G3258 - R$ 328
- Intel Core i3-4150 - R$ 484
- AMD A8 5600K - R$ 329
- AMD FX-6300 - R$ 446

(Preços pesquisados em 10/04)

WPrime nos dá uma noção do desempenho dos processadores em si, algo que não é central nos games mas ajuda a nos dar perspectiva da diferença de potências das CPUs do comparativo (lembrando que nesses teste MENOS É MELHOR):

 

Placas-mãe 
Com múltiplas plataformas, precisamos de diversas placas-mãe para conseguir suporte a todos esses processadores. Novamente, temos variantes para atender a linha de APUs e processadores FX da AMD, enquanto uma placa H81 consegue atender todos os modelos Intel, desde o Pentium até o Core i5. (Preços pesquisados em 10/04)

- AMD FM2+ (A8) - Asus A58M-A/BR - R$ 180
- AMD FX (FX-6300) - Asus M5A78L-M LX/BR - R$ 262
- Intel H81 (Core i3 e Pentium) - Asus H81M-A/BR - R$ 220


Placas de vídeo
No segmento gamer de entrada temos representantes da Nvidia e da AMD. A R7 265 é o modelo do lado vermelho da força, enquanto a GTX 750Ti é o representante da rival, ambas com um preço muito próximo. Porém a placa da Nvidia conta com uma vantagem: demanda uma fonte de 300W, enquanto a placa da AMD recomenda 450W. Aí cria-se uma margem para economizar mais alguns reais com uma fonte mais leve. Também testamos uma das placas mais populares segundo o Steam, a GTX 660, que também aparece nesta faixa de preço. Forçando o limite da economia, pegamos a R7 250 e a GTX 650, só pra ver o resultado quando descemos um pouco mais no orçamento. (Preços pesquisados em 10/04)

- AMD R7 265 - R$ 709 - Análise da placa
- AMD R7 250 - R$ 365
- Nvidia GTX 750Ti - R$ 651 - Análise da placa
- Nvidia GTX 660 - R$ 636 - Análise da placa
- Nvidia GTX 650 - R$ 348


Demais componentes

- HD de 1TB Seagate Barracuda 1TB - R$ 270
- 2GB de memória RAM -  R$ 107
- Fonte 450W - R$ 220
- Fonte 350W -  R$ 110

Preço: de R$ 487 (350W) a R$ 597 (450W)  

Tá, e o gabinete, mouse, teclado...?

Estamos economizando por aqui, então nada de abundância. O gabinete vai ser aquele velho, de um computador esquecido em algum canto de sua casa. Todo mundo tem um PC assim, ou algum conhecido que tenha. Teclado, mouse e tela também vão ser "desenterrados".

Sim, vamos com ele mesmo, o gabinete melhor avaliado da história do Adrenaline

Caso você não tenha nada disto, tudo bem, o custo não vai ser tão grande assim. Um gabinete pode ser encontrado por R$ 100, um teclado e um mouse qualquer  por R$ 50 resolvem, e uma tela FullHD vai custar mais uns R$ 300. Com tudo isto, encarecemos nosso aparelho em R$ 450, mas é bem provável que você vá preferir gastar um pouco mais em algum desses componentes, afinal jogar com um mouse muito ruim, ou uma tela muito pequena, não é fácil. 

Preço: de R$ 0 até R$ 450

Os preços oscilam demais no Brasil, logo, quando você for fazer sua pesquisa, pode encontrar valores bem diferentes

 

Formando todas as combinações possíveis, em ordem do PC mais barato para o mais caro, temos:

 A8 + GTX 750Ti  = R$ 1.647
 Pentium + GTX 750Ti  = R$ 1.686
 A8 + GTX 660  = R$ 1.776
 Pentium + GTX 660  = R$ 1.815
 A8 + R7 265  = R$ 1.815
 Core i3 + GTX 750Ti  = R$ 1.842
 FX-6300 + GTX 750Ti  = R$ 1.846
 Pentium + R7 265  = R$ 1.854
 Core i3 + GTX 660  = R$ 1.871
 FX-6300 + GTX 660  = R$ 1.875
 Core i3 + R7 265  = R$ 2.010
 FX-6300 + R7 265  = R$ 2.014
(Preços encontrados em 10/04)

 Uma boa pedida para quem quer encontrar alguma promoção boa de componentes é ficar de olho no Adrenaline FOR SALE!, parte do forum Adrenaline focada nas ofertas mais atrativas que o pessoal encontrar pela rede.

Como entender os gráficos a seguir: 60fps ou mais é ótimo. Entre 60fps e 30fps dá pra levar. Perto ou abaixo de 30, a vaca foi pro brejo

2 ou 4 GB?
Como a palavra de ordem por aqui é economizar, testamos o sistema com apenas 2GB, abaixo do que games mais recentes recomendam. Somos pragmáticos, e resultados são o que importam. Em nossos testes, o upgrade para 4GB não apresentou um incremento significativo em vários momentos, e por mais que o indicado seja mais memória, vamos enxugar uns reais e parar nos 2GB.

GG logo de cara

Duas placas que colocamos no comparativo só para ver "qual é" caem fora logo nos primeiros testes. A R7 250 e a GTX 650 não têm condições de alcançar o desempenho que buscamos, como dá para ver nesse comparativo:

A realidade dessas placas é outra, com uma resolução HD e gráficos em nível intermediário, e nem assim vencem jogos mais pesados.

Primeira bateria: os games leves 

Começamos a bateria de testes com dois jogos bastante leves, apesar de excelentes: "Tomb Raider" e "Bioshock Infinite" são ótimos jogos da geração passada e que costumam ser "gentis" com os hardwares, não pegando pesado com chips indefesos.

Como deu para perceber, os processadores pouco influenciaram e, no caso de Tomb Raider, os resultados se alinharam perfeitamente baseados na placa de vídeo. Em Bioshock, a margem de erro dos testes e a proximidade do desempenho da R7 265 e da GTX 660 fizeram com que elas se "embolassem". Mas, em geral, o comportamento foi o mesmo: a placa de vídeo foi determinante e a CPU pouco influenciou.

Segunda bateria: games pesados 

Chega de pegar leve! Vamos para os dois testes mais desafiantes, afinal queremos um computador capaz de encarar qualquer parada. Nesse caso, é hora de fritar os chips com "Metro: Last Light", um jogo que apesar de ser da geração passada não perdoa computadores de menor potência, e "Terra-Média: Sombras de Mordor", jogo que se mostrou exigente principalmente quando o assunto é ativar texturas de alta resolução.

 

 

Em Sombras de Mordor até houve um pouco mais de respeito, mas Metro: Last Light avacalhou com toda a ordem que víamos em testes anteriores, e o vilão é bem claro: são os processadores. É evidente a linha que divide os resultados do topo, todos com as CPUs Core i3 e FX-6300, e os inferiores, uma mescla das combinações que usam o Pentium e o A8. 

Para finalizar, aqui vai nosso último comparativo. Somamos os desempenhos das combinações de hardwares ao longo dos jogos e dividimos pelo custo de montar a plataforma. O resultado é um gráfico com uma relação performance x preço:

Conclusão

Não foi fácil. Com um total de 125 testes ao longo de todo este artigo, que envolvem desde benchmarks até tabelas do Excel, nem tudo foi apenas números, e foi preciso tomar algumas decisões ao final. E elas são:

1) A GTX 660 e a R7 265 trouxeram os resultados mais interessantes, principalmente quando pensamos na relação custo vs benefício. Mas como nosso foco é preço, fomos de GTX 750Ti. Para quem aceita gastar um pouco mais, e está na dúvida sobre qual das duas pegar, siga esta lógica: ESCOLHA A QUE ESTIVER MAIS BARATA, pois no geral a briga é equilibrada, com uma leve vantagem na soma geral para a R7 265.

2) A disputa entre A8 e Pentium foi apertada. O processador da AMD tem a vantagem de ter quatro núcleos e ser mais barato (contando custo com a placa-mãe), enquanto o Pentium entregou mais desempenho no geral. Mesmo custando R$50 a mais, fizemos este investimento no Intel por alguns motivos: a) tem porta USB 3.0, algo que não estava presente na placa-mãe AMD e, mais importante b) a plataforma H81 tem mais possibilidades de upgrades, o que significa que este Pentium pode dar lugar a até um Core i7, no futuro, dando uma margem muito superior para melhorar este sistema.


Orgulhosamente apresentamos o nosso PC BARATINHO PARA JOGOS ADRENALINE 2015:

CPU:  Intel Pentium G3258
Mainboard: Asus H81M-A/BR
RAM: 2GB
Placa de vídeo: Nvidia GeForce GTX 750 Ti
Gabinete Maxxtro Caprincorn II


Este computador irá encarar qualquer game e, apesar de não fazer cravado 60fps, vai entregar uma qualidade satisfatória para alguém que quer entrar no mundo dos jogos de computador mas não quer chegar já gastando demais. Outro ponto alto de nossa combinação é justamente isso: a possibilidade de upgrades futuros, principalmente por parte do processador.

Este computador não é imbatível, e já conhecemos até seu Nêmesis: games de estratégia. Jogos da série Total War, por exemplo, que têm muitos soldados na tela, conseguiram fazer o pobre Pentium suar (enquanto a GTX 750Ti ficava em apenas 50%), e os frames em Rome II oscilam bastante entre 20 e 30, algo que não é o ideal mas aceitável, justamente por se tratar de um jogo de estratégia, onde dá para ser mais permissivo com estas quedas de desempenho. Simplificando: dá para jogar, mas se o seu foco é mesmo jogos de estratégia, o investimento no processador é mandatório. 

Este PC já tem um desafeto: games de estratégia. Se está pensando em um Total War da vida, com muitos soldados na tela, definitivamente recomendamos um processador mais potente

 

Outra dica para quem quer jogar, e já tem um PC "mais ou menos", é só incluir a GTX 750 Ti. Pedindo apenas uma fonte de 300W e tirando toda a energia do slot PCI Express, esta placa tem baixíssimos requerimentos para ser instalada, e pode ser uma opção de upgrade barato e que já torna seu computador "tradicional" em um sistema pronto para jogos.

Antes e depois de uma placa de vídeo no PC

A dica final é a seguinte: NEM TODAS AS NOSSAS ECONOMIAS FIZERAM SENTIDO. Um sistema de 2GB é OK, mas com certeza 4GB teria sido muito mais seguro e o investimento não teria sido muito caro. Esta quantidade de RAM que usamos já está sob perigo na hora de encarar jogos de mundo aberto, por exemplo. Uma fonte de melhor qualidade e potência também é uma boa pedida: terá melhor durabilidade e estará pronta para acompanhar a evolução de seu sistema, caso um dia decida ir mais na direção do PC dos Sonhos Adrenaline do que no PC Baratinho para Jogos Adrenaline.

Nossa máquina está montada. Vamos ver os lançamentos deste ano de 2015, e descobrir qual game nos forçará a fazer um upgrade. Alguém aí apostando que GTA V quebra esse nosso PC?

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube