PC Gamer dos Sonhos 2015 - Preço total de quase R$30.000

Por Redação 28/02/2015 10:00 | atualizado 16/08/2019 02:46 Comentários Reportar erro

Poucos meses após lançarmos o artigo PC dos Sonhos Adrenaline 2014, o mercado acabou recebendo novos produtos que atualizaram as peças destinadas a entusiastas, oferecendo novas tecnologias e mais desempenho. Dessa forma também estamos atualizando nosso artigo, montando uma nova máquina dos sonhos, que deve durar alguns meses como uma das melhores opções do mundo para quem está montando um PC Gamer.

Artigo: PC Gamer dos Sonhos 2014 - Valor total de quase R$ 26.000

Abaixo iremos detalhar todos os componentes que utilizamos. Pode ser que um número de nossos leitores preferissem que tivéssemos escolhido algumas opções diferentes, mas temos segurança que optamos por excelentes produtos para quem pretende montar uma máquina com o que existe de melhor. 

Destacamos ainda que a base dessa máquina será utilizada em todas nossas novas reviews de placas de vídeo daqui por diante, inclusive para nosso novo VGA Chart que começa a ser desenvolvido, um mega artigo comparando cerca de 70 placas de vídeo.

Configuração do sistema
Abaixo, em detalhe, todos os componentes utilizados para o artigo. Os preços são em sua maioria do Kabum (pesquisa feita no dia 26/02/2015).

- Processador Intel Core i7 5960X (LGA 2011-v3) - Análise - R$ 4.200

Processador topo de linha da Intel atualmente, com 8 núcleos e 16 threads, clock padrão de 3.0GHz, overclockado para 4.0GHz em nossos testes.


- Placa-mãe Asus Rampage V Extreme - Análise - R$ 2.500+
Placa-mãe topo de linha da Asus com chipset X99, uma das melhores, se não, a melhor do mundo. Lembramos que a ideia era utilizar o modelo Gigabyte X99 Gaming G1 WiFi, mas a placa apresentou incompatibilidades com os kits de memória, como conseguimos com a Asus o modelo topo deles, além de resolver os problemas de incompatibilidade ainda temos a placa que é considerada uma das melhores.


- 4 placas de vídeo GeForce GTX 980 em 4-Way SLI - Análise EVGA Classified e MSI Gaming - R$ 2.500 por placa aproximadamente (x4) = R$ 10.000
Combinação máxima por parte de placas de vídeo da Nvidia atualmente, sonho de qualquer gamer entusiasta. Destacamos que a EVGA Classified custa cerca de R$3.000 e a Asus Podeidon, cerca de R$2.750, por isso poderíamos adicionar facilmente uns R$1.000 reais no total quando se trata de valores no Brasil. O porém é que usando 4 placas idênticas com gpu GTX 980 referência teriam resultados bem próximos ao apresentados nos nossos testes, um pouco abaixo justamente por serem referência com clocks inferiores.

- Kit de memórias Kingston HyperX Predator DDR4 32GB 3000MHz (8x 4GB) - Análise - R$ 1.700 x 2 = R$ 3.400
Dois kits idênticos de 16GB modelo topo de linha da Kingston DDR4, sempre destacando que várias marcas ainda não possuem módulos DDR4 de 8GB, a Kingston é uma delas, sendo possível no máximo 32GB através de 8 módulos de 4GB nesses casos

- SSD - 3 x Kingston HyperX 3k 240GB em RAID 0 - linha de SSDs topo de linha da Kingston - R$ 600 x 3 = R$1.800
A ideia inicial era utilizar um modelo HyperX 3K de 480GB  da Kingston, mas por pedidos de nossos leitores alteramos a config para três drives HyperX 3K de 240GB em RAID0, tecnologia recomendada para quem busca o máximo em desempenho.

- SSHD Seagate 4TB SATA3 - Análise (modelo de 2TB) - R$ 1.070
HD com memória flash para cache em formato hibrido, entre os melhores do mercado com alta capacidade.

- Sistema de refrigeração liquida Cooler Master Nepton 280L - R$ 400
Cooler liquido com radiador duplo da Cooler Master. É o modelo mais recente da empresa e considerado o mais eficiente e robusto.

- Fonte de energia Cooler Master V1200 Platinum - R$ 1.230
Fonte de energia com 1200w capaz de aguentar sem problemas 4 placas de vídeo e vários outros componentes do sistema. Pode ser que combinações com 4 placas que consumam mais energia dos que as GTX 980 utilizadas apresentem alguma instabilidade, como exemplo citamos 4-way de GeForce GTX 780Ti ou 4-Way de Radeon R9 290X.

- Gabinete Cooler Master HAF EVO XB - R$ 600
Apesar do gabinete HAF EVO XB não ser um dos mais bonitos do mercado, é com certeza um dos melhores quem faz testes de componentes, curte overclock e que precisa de acesso facilitado às peças, e esse é o motivo de nossa escolha.

- Monitor ASUS PB287Q 4K - R$ 2.500+
Como a ideia era tirar o máximo do sistema, e na versão 2014 desse artigo utilizamos 3 monitores, na nova versão optamos por utilizar um monitor 4K. Destacamos, entretanto, alguns pontos importantes para quem pretende comprar um monitor com essa resolução. Veja nas especificações se ele possui 4K em 60Hz, caso não, será um grande problema na jogatina, já que 30hz é bastante cansativo. O modelo PB287Q que utilizamos suportava 4K apenas via conexão DisplayPort (versão 1.2, comum em vários monitores e placas de vídeo), já que suas conexões HDMI são baseadas na versão 1.4, sem suporte a 60Hz. Novos monitores 4K lançados este ano trazem HDMI 2.0, que entre suas principais novidades está o suporte a 60Hz. Sempre lembrando que as duas "pontas" devem suportar "60hz", ou seja, nada adianta se o monitor tiver HDMI 2.0 e a placa de vídeo for HDMI 1.4. No caso das GeForce 900, todos os modelos trazem conexões HDMI 2.0.

Também seria interessante utilizar 3 monitores através da tecnologia Nvidia Surround. Para base de comparação, o modelo Philips 242G Gamer custa em média R$ 1.350 e três deles daria R$ 4.050.

- Teclado Razer BlackWidow Ultimate Stealth - Análise - R$ 700
Selecionamos o mesmo teclado da versão passada deste artigo, uma das melhores opções quando falamos de teclados mecânicos.

- Mouse Roccat Kone XTD - Análise -  R$ 400
O mouse foi escolhido dentre os vários modelos analisados em nossa redação.


PREÇO TOTAL com monitor 4K = +/- R$ 28.200
com 3 monitores Philips Gamer FullHD 144Hz o total iria para R$ 29.750

Artigo em vídeo
Abaixo nosso artigo em vídeo do PC Gamer dos Sonhos 2015.

Temperatura e Consumo de Energia
Uma máquina desse porte pode trazer dois problemas: um relacionado à alta temperatura interna, já que o espaço fica menor e os componentes são todos de alto desempenho, e o outro é sobre o consumo de energia, já que o componente que mais consome foi multiplicado por quatro. Confiram abaixo os testes: 

Temperatura da CPU
Começamos os testes mostrando a temperatura do processador, onde podemos ver como é o comportamento do liquid cooler e do próprio gabinete que também é responsável por essa característica.

Primeiro a temperatura com o sistema em modo ocioso: 

Já no gráfico abaixo temos a temperatura rodando o wPrime, colocando todos os núcleos do processador no limite. Vale relembrar que o processador está overclockado para 4.0GHz, seu clock original é 3.0GHz.

Temperatura das Placas de vídeo
Iniciamos nossa bateria de testes com um bastante importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

Confiram abaixo a temperatura das placas com o sistema em modo ocioso: 

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

É notável o aumento de temperatura tanto em modo ocioso quanto em uma carga de trabalho alta com o uso do 3DMark, resultado do menor espaço disponível para o sistema de resfriamento a ar funcionar. A combinação de 4 placas é a mais crítica, quando uma placa praticamente fica encostada na outra, resultando em dois efeitos colaterais: 1) a placa não tem local para lançar o ar aquecido e dissipar o calor e 2) uma placa acaba jogando diretamente no PCB da outra o calor dissipado.

Quatro placas de vídeo resultam em uma combinação desengonçada: as fans jogam o calor de uma na outra

Consumo de Energia
Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da VGA. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Rodamos o 3DMark, um aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games, o resultado é o consumo máximo atingido pelo sistema:

OBS #1.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 20w como margem de erro, devido à grande variação que acontece testando uma mesma placa.

Testes sintéticos
Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho de alguns dos principais componentes do sistema.

CineBENCH R15 (CPU)
Fizemos os testes de desempenho em aplicações com o CineBench, que testa o processador convertendo uma imagem. 


x264 Full HD Benchmark (CPU)
Em um teste de conversão de vídeo Full HD, temos os seguintes resultados:

wPrime (CPU)
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:

AIDA64 - Memory - lantency (Memórias)
Abaixo testes de desempenho em modo lantência do kit de memórias utilizado, na verdade 2 kits de 16GB (4x4GB) cada, totalizando 32GB de memórias através de 8 módulos de 4GB, todos idênticos com 3000MHz.

HD Tune Pro - Read Average (SSDs e HD)
No teste de leitura média do HD Tune Pro podemos ver a real diferença de desempenho entre um drive SSD comparado a dois em RAID0 e também três em RAID0, mostrado como se comporta a tecnologia RAID0 na medida que mais drives são adicionados à combinação. Também colocamos o desempenho apresentado pelo SSHD de 4TB da Seagate, um drive baseado em SATA3 com 7200RPM. Mesmo sendo especificações rápidas para drives HD, fica longe do desempenho apresentado por SSDs.

3DMark Fire Strike (VGA)
Rodamos a versão mais recente do aplicativo de testes da Futuremark com o teste mais exigente da nova ferramenta, o Fire Strike. Abaixo os resultados:

3DMark Fire Strike Ultra - 4K (VGA)

Em nosso primeiro benchmark de performance, notamos mais uma vez uma característica que vem se repetindo em combinações de placas de vídeo. Ao adicionar a segunda placa, obtemos algo muito próximo de cenário ideal do SLI: as placas somam desempenho e o resultado é algo muito próximo ao dobro de performance de apenas uma placa. Partindo para a terceira e para a quarta, a coisa muda: a terceira placa traz um aumento de 40%, enquanto a quarta já representa uma melhoria de apenas 22%, mostrando que o escalonamento já não é capaz de trazer a mesma eficiência.

Testes em games
Agora vamos ao que realmente importa, os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Battlefield 4
"Battlefield 4" é um referencial da plataforma PC quando se trata de gráficos de alta qualidade. O game foi todo desenvolvido sobre a Frostbite 3, nova engine da desenvolvedora DICE.

BioShock Infinite
O game "BioShock Infinite" é outro grande sucesso de crítica desenvolvido pela 2K Games. Abaixo está seu o desempenho das placas comparadas rodando ele:

Crysis 3
Sendo o game "Crysis 3" um dos mais incríveis já desenvolvidos quando o assunto é gráfico, não poderíamos deixar ele de fora de nossos testes em análises de placas de vídeo.

GRID 2
O game "GRID 2" já não é o mais recente da série, mas utiliza a mesma engine de "GRID Autosport", sendo uma boa referência de desempenho em games de corrida.

Metro Last Light
Outro excelente teste que exige o máximo das placas de vídeo é o "Metro: Last Light" que também é referência de qualidade gráfica em games para PC.

Middle Earth Shadow of Mordor
O novo game inspirado no universo de "O Senhos dos Anéis" chegou sem gerar muita expectativa e se tornou um dos grandes lançamentos do ano, com destaque para seus gráficos muito refinados. Nosso teste utiliza a melhor qualidade possível do game, onde placas com pouca memória têm seu desempenho comprometido devido às texturas de alta qualidade.

Tomb Raider
O game marca o reboot da histórica franquia de Lara Croft, desenvolvido pela Crystal Dynamics com sua engine própria, a Crystal Dynamics Engine.

PhysX: Metro Last Light
Para testes de PhysX, utilizamos "Metro Last Light", que tem muito destaque para o uso dessa tecnologia.

Nesta bateria de testes com games vemos que o mundo do SLI é o caos. Enquanto Crysis 3 e Tomb Raider escalonam de forma mais equilibrada, há anomalias como Battlefield 4, onde três placas mal superam duas e em compensação quatro trazem um salto de quase 50%. Metro: Last Light, por exemplo, é pior ainda: o melhor resultado é alcançado por duas placas, e adicionar mais que isso causa perda, ao invés de ganho, na performance.

Em outras situações, como em Shadow of Mordor, percebemos uma possível limitação das memórias, como destacamos no vídeo. As GPUs não ultrapassam muito os 60 a 70% de sua capacidade durante o teste mas, em compensação, a memória de 4GB fica totalmente preenchida, pois infelizmente o SLI não combina as memórias. Com mais espaço dedicado, é muito provável que os quatro chips GTX 980 pudessem entregar um aumento de performance superior aos meros 2% que resultou adicionar a quarta placa.

Artigo: Vou precisar de 4GB de VRAM na nova geração? 

Combinar placas não é combinar memórias, e os 4GB viram uma limitação quando você possui 4 chips GTX 980 à disposição

 

Conclusão
Sabemos que era possível montar uma máquina de desempenho próximo custando bem menos, mas a ideia do artigo é justamente utilizar o que tínhamos de melhor em nossa redação ou no mercado. Lembramos ainda que que a base dessa máquina, em especial o processador, placa-mãe, memórias, gabinete, fonte de energia, cooler e monitor, serão utilizados em análises de placas de vídeo e outros componentes futuros.

A tecnologia SLI está associada diretamente ao desempenho em games, e é capaz de entregar bom aumento de performance mas ainda apresenta suas instabilidades. Outra característica marcante é o ganho cada vez mais limitado na medida em que mais placas são adicionadas, o que torna o incremento de performance com a colocação da segunda placa algo muito mais interessante que inserir a terceira e quarta placa no SLI.

Em termos gerais, o que alguém que busca uma combinação de placas de vídeo pode almejar - mas devido a instabilidade da tecnologia, nem sempre irá alcançar - é a seguinte progressão: quase 100% de aumento com a segunda placa, em torno de 40% com a terceira placa e um incremento de mais 20% ao colocar a quarta placa, isso em média, já que como destacado no artigo através dos testes, cada game se comporta de uma forma.

Preço vs Desempenho
O gráfico de custo vs desempenho pode facilitar a visualização do investimento sobre tecnologias com multiplas placas de vídeo. Reparem que uma única placa tem a melhor posição na tabela, logo atrás temos o SLI com duas placas, que por ficar muito próximo de duplicar o resultado de uma placa conseguiu quase alcançar uma única placa. Agora quando adicionamos a terceira placa de vídeo, pelo fato dela não conseguir aumentar o desempenho de todos os games, passa a cair nesse gráfico, por fim quando se trata de 4 placas a situação piora, complicando ainda mais.

O gráfico deixa claro que o melhor a se fazer para quem busca desempenho é optar por combinações de até duas placas, acima disso além do investimento ficar menos atrativo, outros problemas como maior aquecimento interno, menos espaço, maior consumo de energia, etc., também podem ser complicadores.

Abaixo o gráfico de custo vs. desempenho das placas comparadas nessa análise.

Fórmula do calculo:  FPS somados dos games: BF4, BioShock, Crysis3, GRID2, MLL, Middle Earth Shadow of Mordor e Tomb Raider x100 e dividido pelo valor da placa em dólares. O valor de cada placa está em "Sistema Utilizado".

Se você busca montar um PC para jogos com boa relação custo x benefício, este nosso artigo é uma referência do que não se fazer

 

Quem estiver pensando em montar um computador, e quer extrair o máximo de desempenho por real gasto, este nosso artigo é um dos piores lugares para você se inspirar. Os componentes de mais alto desempenho são os que trazem os ainda mais altos preços, e a combinação de placas de vídeo mostra uma eficiência restrita, especialmente em combinações superiores a duas placas. Outros componentes, como os múltiplos SSDs, até conseguem entregar mais desempenho com maiores combinações, porém o impacto do ponto de vista do usuário é que fica minimizado, pois é pouco perceptível diferença de responsividade entre um sistema com um SSD, dois, ou até três combinados.

  • Redator: Redação

    Redação