Conheça a Uplay, a nova tática da Ubisoft

Entenda como funciona o serviço de serviços de distribuição digital da empresa
Por João Paulo Losada 20/08/2010 11:00 | atualizado 25/11/2019 10:55 Comentários Reportar erro

HÁ um tempo atrÁs, eu escrevi um artigo criticando duramente o sistema de DRM da Ubisoft, que obrigava ao jogador ficar o tempo inteiro conectado, sem possibilidade de salvar o jogo no PC, e ainda correndo o risco de perder todo seu progresso em casos de queda de conexão.

Site oficial Uplay

Isso tudo foi dito junto com o lançamento mundial do game "Assassin's Creed 2", o primeiro a usar esse sistema. Claro que a comunidade gamer não iria gostar nem um pouco, os jogadores iriam achar um abuso, criticariam a obrigatoriedade de estar conectado, e até mesmo, para piorar, a impossibilidade de se jogar caso não tenha acesso à Internet.

O fato é que houveram problemas no DRM sim, principalmente na parte de ter que ficar conectado ao servidor da UBI, que obviamente poderia não suportar. E não suportou. Resultado? Reclamações e mais reclamações, além de milhares de pessoas sem poder jogar um game pelo qual haviam pago.

Cobertos de razão, os jogadores pressionaram e a Ubisoft cedeu. Cedeu no sentido de corrigir vÁrias coisas nos servidores e ainda, por meio de um patch, consertar aquilo que não era exatamente um problema, mas sim uma ideia ridícula: manter os savegames somente nos servidores e não no PC.

Servidores "consertados", problema do save resolvido (com a possibilidade de desabilitar o salvamento online ou de manter os saves tanto nos servidores quanto no PC) e a Ubisoft, como uma forma de pedir desculpas, ofereceu vÁrios dos seus jogos àqueles que haviam comprado o Assassin's Creed 2 através do site. ElogiÁvel, diga-se de passagem.

{break::Parte 2}

O fato é que o DRM foi lançado e, para minha surpresa, não é nenhum bicho de sete cabeças como se falava antes mesmo do seu lançamento e durante o aparecimento dos problemas citados na pÁgina anterior.

Acontece que o propósito do tal DRM não é basicamente inibir a pirataria, até porque foi quebrada algumas semanas depois, embora tenha dificultado bastante em um primeiro momento. Mas de oferecer um serviço, que ao meu ver, é elogiÁvel e funcional. Pelo menos na ideia.

O serviço, que vem "acoplado" aos novos games da Ubisoft, se chama UPLAY. Ele funciona como um gerenciador dos games da companhia, de forma que obriga o jogador a estar sempre conectado à Internet. Talvez o único problema real dos jogos novos da Ubisoft, embora imperceptível e até mesmo útil para quem tem banda larga. Caso contrÁrio, o assunto fica mais complicado.

O UPLAY é ativado junto com o game e pode ser acessado a qualquer momento, desde que  o jogador esteja no menu dele. Ele engloba vÁrias coisas úteis e a principal, com toda certeza, é o acesso a add-ons para o jogo em execução. O interessante é que, enquanto outras empresas andam colocando no mercado jogos absurdamente "inacabados" apenas para poderem lançar DLC´s um tempo depois e assim tirar mais grana dos jogadores, a Ubisoft vai na contramão e coloca os DLC´s disponíveis gratuitamente no seu sistema, seja na forma de pequenos add-ons ou até mesmo mapas e fases.

Claro, para se obter os add-ons serÁ preciso "comprÁ-los" com seus pontos. Mas calma, nada isso envolve dinheiro real, mas sim um tipo de "moeda" chamada "U" que o jogador conquista no decorrer da jogatina.

Um exemplo de como conseguir U's é no game "Assassin's Creed 2." Basta o jogador pular de uma certa altura, ou bater tantas carteiras no jogo, ou completar um certo número de missões, e até mesmo apenas alcançar determinados locais. Na verdade, existem dezenas de formas de se obter U´s e o próprio sistema UPLAY avisa ao jogador dentro do game, a qualquer momento, com uma mensagem na parte de baixo da tela, quantos U´s ele ganhou e por qual motivo.

{break::Parte 3}

JÁ com os U's em mãos, o usuÁrio pode acessar o sistema UPLAY e lÁ adquirir itens para o jogo, que são transferidos ou habilitados na hora, como por exemplo, armas novas, roupas, mapas, itens para o Windows e até mesmo fases novas, tudo isso referente aos games da Ubisoft que estão instalados. Existe, inclusive, a possibilidade de usar U's de um jogo em outro, porque a conta do usuÁrio é única e acumula todos os U's de todos os títulos. Ou seja, se você é bom em um determinado game, junte bastante U's e use em outro no qual você tenha dificuldade.

No game "Prince of Persia: The Forgotten Sands", o jogador ganha U's derrotando exércitos inteiros, vencendo determinados chefes, entre outras coisas. Mas o interessante nesse caso é que, como prêmio, existe até a roupa de Ezio, do Assassins Creed II, que pode ser comprada pelo jogador e utilizada durante todo o jogo. Imagina jogar Prince of Persia como o Ezio? Curioso, não?

JÁ em "Splinter Cell: Conviction", o jogador ganha U's, por exemplo, se comprar todos os acessórios de todas as roupas disponíveis no game. Como bônus para troca, existem armas novas, e até  um modo de jogo adicional, o Infiltration.

Isso serÁ vÁlido para todos os jogos da Ubisoft daqui pra frente, como "The Settlers 7", "Splinter Cell Conviction", "R.U.S.E.", "Prince of Persia: TFS", "Silent Hunter 5" e os próximos lançamentos.

Mas o sistema não serÁ apenas isso. Ainda em fase beta, o UPLAY oferecerÁ, em breve, a compra - dessa vez com dinheiro de verdade, - de jogos da Ubisoft diretamente através do sistema, além de disponibilizar conteúdos como imagens, vídeos e recordes dos próprios jogadores e permitir que se compartilhe com toda a comunidade.

{break::Parte 4}

É bom lembrar que a distribuidora oficial no Brasil desses games da Ubisoft é a Synergex, que tem lançado aqui umas versões que podem ser chamadas de "semi-Deluxe" de todos os títulos. LÁ fora, essas versões Deluxe por download vêm com bônus e são mais caras. Um exemplo disso é o "Splinter Cell Conviction" que custa US$59 dólares em sua edição normal, enquanto a Deluxe custa "míseros" US$ 64,00, na qual vem com um modo novo de jogo (Infiltration), armas novas, entre outras novidades. E a maioria dessas coisas pode ser obtida através do Uplay, caso o jogador use a versão lançada aqui.

Isso é vÁlido para todos os jogos. Em "Assassins Creed II", por exemplo, você terÁ acesso a alguns itens referentes à versão deluxe, como mapa e armas.

JÁ em "Prince of Persia", além da roupa de Ezio, o jogador poderÁ "comprar" uma arena nova para o Challenge Mode, ou pontos para adicionar em Experiência, adquirindo novos poderes.

Devido a todos esses bônus que a Ubisoft oferece dentro de seus games, é até aceitÁvel que cedamos um pouco à política usada pela empresa, como esse novo DRM. Pode não ser um mar de rosas, mas estÁ longe de ser um problema real.

A não ser que sua operadora de Internet tenha problemas...  mas isso é outra história!

Assuntos
  • Redator: João Paulo Losada

    João Paulo Losada

    Gamer por natureza, JP Losada, ou simplesmente DJLosada como é conhecido por toda a comunidade gamer, é um grande conhecedor de games em geral. Eventualmente analisa lançamentos e comenta sobre os sucessos e decepções relacionadas aos games que chegam ao mercado através do portal Adrenaline. Jé escreveu para revistas de games, artigos para produtoras, além de ter citações em seu nome em caixas de jogos de PC lançados no Brasil. Possui parceria com algumas produtoras, principalmente de corrida

Com esses adiamentos dos games...

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.