A GeForce GTX 1660 Super Vale a pena? Veja nossa análise

Memórias mais rápidas turbinam o desempenho e placa rivaliza com ao GTX 1660 Ti
Por Fabio Feyh, Diego Kerber 01/12/2019 16:53 | atualizado 01/12/2019 16:53 comentários Reportar erro

A GeForce GTX 1660 Super é uma placa do segmento intermediário, voltada para quem deseja jogar em alta qualidade na resolução FullHD, com destaque para gameplays em altas taxas de quadros de games competitivos. O modelo mantém boa parte das características da GTX 1660, sendo que a principal novidade acontece na parte das memórias: os modelos GTX 1660 Super vem equipados com a mais ágil GDDR6, com um total de 6GB assim como a GTX 1660 anterior.

Essa é terceira placa da linha 1-Click OC a ser testada aqui no Adrenaline, sendo que já passou por nossos benchmarks a Galax GeForce GTX 1650 EX e a Galax GeForce RTX 2070 Super EX. A placa tem um sistema duplo de fans de 90mm e uma estrutura de heatpipes e aletas para resfriamento.

Site oficial da Galax GTX 1660 Super 1-Click OC
Modelos GeForce GTX 1660 Super à venda na Pichau

A GeForce GTX 1660 Super foi anunciada por US$ 229, 10 dólares acima da GTX 1660 e 50 dólares mais barata que a GTX 1660 Ti, e consideravelmente acima da RX 590 (US$ 179) e abaixo da RX 5700 (US$ 330). No Brasil ela é encontrada na casa dos R$ 1.4 mil, também acima dos R$ 1 mil da RX 590 e abaixo dos R$ 1,7 mil das GTX 1660 Ti. Nesse contexto a GTX 1660 está por aproximadamente R$ 1,1 mil.


Especificações da placa
Começamos pelas especificações da placa comparada com outros modelos:

Comparativo

Galax GeForce GTX 1660 Super 1-Click OCNVIDIA GeForce GTX 1660 TiNVIDIA GeForce GTX 1660AMD Radeon RX 590

Preços

Preço no lançamentoU$ 279,00 U$ 219,00 U$ 279,00
Preço atualizadoR$ 1.680,00 R$ 1.230,00 R$ 1.300,00

Especificações da GPU

Processo de fabricação12nm 12nm 12nm 12nm FinFET
PCI-Express bus3.0 3.0 3.0 3.0
ChipTuring TU116-300 Turing TU116 Turing TU116 Polaris 30
Clock do GPU1530 MHz1500 MHz1530 MHz1469 MHz
Clock do GPU (Turbo)1800 MHz1770 MHz1785 MHz1545 MHz

Especificações das Memórias

Tecnologia da RAMGDDR6 GDDR6 GDDR5 GDDR5
Interface de largura de BUS192 bit 192 bit 192 bit 256 bit
Quantidade de RAM6GB 6GB 6GB 8GB
Clock das memóriass1750 MHz1500 MHz2000 MHz2000 MHz
Clock efetivo14000 MHz12000 MHz8000 MHz8000 MHz
Largura de banda336 288.0 192 256

Características Gerais

Shading Units1408 1536 1408 2304
TMUs88 96 88 144
ROPs48 48 48 32
Pixel Rate86.40 GPixel/s84.96 GPixel/s85.68 GPixel/s49.44 GPixel/s
Texture Rate158.4 GTexel/s169.9 GTexel/s157.1 GTexel/s222.5 GTexel/s
Performance de pontos flutuantes5.069 GFLOPS5.437 GFLOPS5.027 GFLOPS7.119 GFLOPS

Design

Pinos de alimentação1x 8 pinos 1x 6 pinos 1x 8 pinos 1x 8 pinos
Suporte à combinação de placasSEM SUPORTE Sem suporte SEM SUPORTE Até quatro placas
Tipo de SlotDual-slot Dual-slot Dual-slot Dual-slot
Comprimento da placa228 mm229 mm229 mm241 mm
TDP125 W120 W120 W175 W
Fonte recomendada450 W450W W450 W550 W
Conexões de vídeo1x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1x DVI 3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1xDVI 1x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0B, 1x DVI 3x DisplayPort 1.4, 1x HDMI 2.0b

Recursos

DirectX12.1 12.0 12.1 12.0
OpenCL1.2 1.2 1.2 2.2
OpenGL4.6 4.6 4.6 4.5
Shader6.2 6.3 6.2 6.0

Extras


A GTX 1660 Super

A GTX 1660 Super mantém essencialmente a mesma estrutura da GTX 1660, com o chip TU116 parcialmente desabilitado entregando os mesmos 1408 núcleos CUDA, 48 ROPs e interface de memória de 192-bit. Nem os clocks foram modificados, operando nos mesmos 1530MHz como base.

O que muda são os chips ao redor. No lugar das memórias GDDR5, a versão Super ganhou mais robustos chips GDDR6, levantando a largura de banda de 8Gbps para 14Gbps. Isso, inclusive, faz com que ela supere os 12Gbps da GTX 1660 Ti!

Na quantidade de memória foram mantidos os 6GB. Como já abordamos essa questão em um artigo sobre a RTX 2060, para o FullHD, que é o objetivo dessa placa, essa quantidade é suficiente, com raros casos demandando baixar um pouco a qualidade das texturas. Para 2560x1440 há situações que a GTX 1660 Super tem fôlego, especialmente em jogos mais leves ou largando mão do Ultra para o Alto mas, nesses casos, basta mexer um pouco em alguns filtros para os 6GB serem suficientes.

 


Fotos

O design da placa não foge muito a 1650 EX da Galax, com sistema de cooler com 2 FANs e backplate. A placa requer alimentação através de um conector de 8 pinos.

Em se tratando das conexões de vídeo, três no total, todas diferentes, sendo DisplayPort, HDMI e DVI.


Sistema utilizado

Utilizamos uma máquina topo de linha baseada em uma mainboard Gigabyte Z390 Aorus Xtreme com processador Intel Core i9-9900K overclockado para 4.7GHz em todos os cores, além de 16GB de memórias através de 2 módulos de 8GB em dual-channel e frequência de 3200MHz. A ideia é evitar que o sistema seja um limitador para o desempenho das placas de vídeo testadas, já o overclock para 4.7GHz considera evitar mudanças no sistema que acabem influenciando os resultados.

Abaixo detalhes da máquina, sistema operacional, drivers e softwares/games utilizados nos testes, também um vídeo mostrando a máquina de review utilizado em todos os testes de placas de vídeo:

Máquina utilizada nos testes:
- Processador Intel Core i9-9900K @ 4.7GHz em todos os cores - Análise
- Placa-mãe Gigabyte Z390 Aorus Xtreme - Site oficial
- Kit de memórias G.SKILL TridentZ Royal 2x8GB 3200MHz - Site oficial
- SSD HyperX Fury RGB SSD - Análise
- SSD WD Black M.2 NVMe 1TB - Análise
- Sistema de refrigeração liquida Cougar Helor 360 - Site oficial
- Fonte de energia Cougar CMX 1000W - Site oficial
- Gabinete Cougar Conquer - Site oficial
- Monitor Samsung U28E590D 4K 60Hz - Site oficial

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 Pro 64 Bits 1909
- NVIDIA GeForce 441.12

Aplicativos/Games:
- V-Ray Benchmark (aplicativo de renderização)
- 3DMark (Fire Strike Ultra 4K DX11 / Time Spy Default DX12/ Port Royal Default)
- Assassin´s Creed Odyssey (DX11)
- Battlefield V (DX12)
- Forza Horizon 4 (DX12)
- Metro Exodus (DX12 e Ray Tracing)
- Shadow of Tomb Raider (DX12)
- The Division (DX12)

GPU-Z
Abaixo a tela principal do GPU-Z mostrando algumas das principais características técnicas da placa.


Overclock

Não é uma placa com projeto focado em overclock, porém naturalmente consegue ir além dos clocks padrões. Subimos o GPU em 100MHz deixando em 1630 em modo normal e 1900MHz em modo turbo, e as memórias subimos de 14GHz para 15.7GHz, sem nenhuma modificação de tensão, apenas aumentando o power limit em 10%.

OBS.: Faça overclock por sua conta e risco, se mal aplicado pode comprometer o funcionamento da placa.


Consumo de energia

Também fizemos testes de consumo de energia com todas as placas comparadas. Todos os testes foram feitos em cima da máquina utilizada na análise, o que dá a noção exata do que cada VGA consome. Vale destacar que o valor é o consumo total da máquina e não apenas da placa de vídeo. Dessa forma, comparações com testes de outros sites podem dar resultados bem diferentes.

Para o teste de carga, rodamos o 3DMark - aplicativo que exige um pouco mais do sistema e da placa de vídeo do que grande maioria dos games.

OBS.: No teste rodando o aplicativo 3DMark, consideramos 10W como margem de erro, devido a variação que acontece testando uma mesma placa.


Temperatura

Iniciamos nossa bateria de testes com um critério muito importante: a temperatura do chip, tanto em modo ocioso como em uso contínuo.

É importante destacar que algumas placas possuem sistema que desliga os fans quando a GPU não está sendo exigida, como ao executar tarefas simples do Windows ou mesmo games mais simples. Por isso, existem temperaturas consideravelmente acima de alguns modelos nessa situação, mas que na prática não comprometem a placa. De acordo com as fabricantes, esse recurso aumenta o tempo de vida útil além de consumir menos energia. Sendo assim, podem existir diferenças grandes na temperatura do modo ocioso, o que não caracteriza uma placa ruim caso a temperatura seja alta.

Por que a placa ficou com temperatura menor quando overclockada?
Essa é uma situação normal nas placas atuais. A rotação do FAN (ou dos FANs, dependendo o modelo) fica mais rápida e consequentemente fazem o GPU resfriar mais rapidamente, em alguns casos com temperatura menor do que em situação normal.

Por que a placa com sistema de cooler referência tem temperatura em modo ocioso menor que uma placa com cooler teoricamente melhor?
Porque placas de vídeo atuais com projetos de cooler melhores tendem a desligar os FANs quando a temperatura fica abaixo de números como 40, 45 ou mesmo 50 graus, assim quando os FANs ficam desligados a tendência é que a GPU não baixe a temperatura mais do que o limite que desliga os FANs.

Alguns modelos atuais desligam os FANs quando a placa não está sendo forçada, por isso a temperatura mais alta em alguns modelos com o sistema em modo ocioso

Como será possível notar abaixo, o sistema de cooler da MSI vai aumentar a rotação dos FANs quando nota que a placa está sendo mais exigida pelos clocks superiores, na prática vai resultar em temperaturas inferiores tanto em modo ocioso como em uso. Em mosso ocioso os FANs ficaram ligados direto quando ela estava overclockada, com isso naturalmente as temperaturas ficaram muito mais baixas do que com os FANs desligados como acontece com a grande maioria de placas mais recentes se a mesma nao é exigida. Um lado positivo de tudo isso é que não notei nenhuma diferença de ruído com essas rotações mais altas.

Primeiro vamos ao teste das placas com o sistema em modo ocioso:

WTF??? Temperatura em overclock inferior do que com clocks padrão? O cooler aumenta a rotação dos FANs e isso acontece.

Para o teste da placa em uso, medimos o pico de temperatura durante os testes do 3DMark rodando em modo contínuo.

OBS.: As temperaturas podem variar bastante de acordo com a região do país, sistema onde a placa está instalada e teste utilizado.


V-Ray
O teste V-Ray Benchmark utilizado consiste no resultado de renderização com uso do GPU, um bom teste para ver como as placas podem ajudar a diminuir o tempo de trabalho em aplicações gráficas. Quanto menor for, melhor é o desempenho.


3DMark

Começamos pelos testes sintéticos, utilizando aplicativos específicos para medir o desempenho das placas.

3DMark
Rodamos a versão mais recente do aplicativo da Futuremark através de alguns testes, o Fire Strike em modo Ultra 4K, o Time Spy em modo normal baseado em API DirectX 12 e também o Port Royal, um teste com a tecnologia Ray Tracing. Abaixo, os resultados:

Começamos pelo teste Time Spy que roda sobre a API DirectX 12:

O próximo é o Fire Strike em configuração Ultra, que roda em resolução 4K:


Testes em games

Agora vamos ao que realmente importa: os testes de desempenho em alguns dos principais games do mercado.

Para ajudar a entender os gráficos a seguir: acima de 60fps é o ideal para monitores que operam nessa frequência. Quanto mais próximo dos 30fps, pior vai ficando a fluidez e, abaixo dos 30, o jogo começa a ficar "não jogável"


Assassin´s Creed Odyssey
O game de mundo aberto da Ubisoft é muito exigente no hardware, tanto na complexidade das cidades e seu estresse para o processador quanto os detalhes dos modelos e sua carga na placa de vídeo. Em geral, esse é um game que beneficia bastante as placas GeForce, penalizando bastante as placas Radeon mesmo meses após o lançamento e a chegada de novos drivers.


Battlefield V
O game desenvolvido pela DICE segue como uma referência de qualidade gráfica, operando tanto na API DirectX 12 quando 11. O jogo também se tornou um marco nos games para PC ao ser o primeiro a introduzir a técnica de Ray Tracing híbrido da Nvidia através das placas RTX.


Metro Exodus
Novamente a franquia Metro é responsável por introduzir um game com novos níveis de exigência para o hardware. Com gráficos capazes de "entortar" placas de vídeo, o jogo da 2A Games também se destaca por introduzir tecnologias como o Ray Tracing e o DLSS, recursos exclusivos da linha GeForce RTX.


Red Dead Redepmtion 2
Novo game da RockStar, com belíssimos gráficos e uma boa referência para medir o comportamento das placas de vídeo. Nosso teste considera o game rodando sobre a API Vulkam, que se comportou melhor tanto em placas AMD como NVIDIA.


Shadow of Tomb Raider
O mais recente game da franquia da Lara Croft, Shadow of Tomb Raider traz ótimos gráficos, prometendo muito das placas de vídeo, mesmo os modelos de alta performance. O game também tem suporte a DirectX 12 e será um dos primeiros a suportar a tecnologia Ray Tracing.


Tom Clancy's The Division 2
The Division 2 usa um motor gráfico próprio desenvolvido pela Ubisoft Massive, lidando com cenários complexos e grandes quantidades de partículas na tela.


Gameplay em vídeo


Conclusão

Parar com a economia nas memórias da GTX 1660 fez muito bem para essa placa, e a GTX 1660 Super não apenas apresentou saltos em desempenho como também fez a placa colar na GTX 1660 Ti, mesmo com um chip mais potente. 

Links de modelos GTX 1660 Super na Pichau

As duas placas se alternam na frente, com a GTX 1660 Ti ficando com a dianteira quando mais poder de fogo é requerido, como em nossos testes em resoluções mais altas, enquanto a GTX 1660 Super ganha quando temos cenários em que as memórias mais rápidas fazem a diferença, como em situações de altas taxas de quadro, com as placas rodando em 1080p em diversos dos testes, por exemplo.

A memória mais rápida fez muita diferença em games competitivos rodando com muitos FPS

Isso faz com que a GTX 1660 Super se torne bem mais interessante que a GTX 1660, que ao menos no exterior está com preço bem parecido, e põe pressão na GTX 1660 Ti. Para quem está focando em jogar em FullHD e quer altas taxas de quadro, mirando especialmente nos jogos competitivos, não há dúvidas: a GTX 1660 Super é a mais relevante nesse mundo bastante lotado que virou as GeForce final 60.

No lançamento aqui no Brasil, a GTX 1660 Super ainda não é tão competitiva nos preços como no exterior

Na competição com a AMD, a GTX 1660 Super também ganhou uma vantagem em performance sobre a RX 590, que vinha colada na GTX 1660 porém, no momento a Radeon, que tem mais tempo de mercado, conta com um preço mais atrativo. A GTX 1660 Super tem uma margem de performance em diversos cenários, porém também tem um custo mais elevado, e precisa se aproximar mais da GTX 1660 no preço, como acontece no exterior, para ficar na vantagem frente as Radeon Polaris, sendo que não está fácil fazer frente ao "custo x benefício" da balada RX 570/580/590 e os preços agressivos que vem sendo praticado nelas.

A GeForce GTX 1660 Super traz uma evolução relevante comparada a geração anterior, e tem bastante potencial se apresentar uma proximidade de preço maior com a GTX 1660, como aconteceu no exterior. Em seu preço atual, de lançamento, ela ainda é relevante, mas precisa de um preço um pouco mais competitivo para desbancar a RX 590 na relação entre performance e custo.

A GTX 1660 Ti é uma placa competente para quem quer jogar em altas taxas de quadros em FullHD

Com alto desempenho especialmente em cenários de taxas de quadro mais elevadas, a GTX 1660 Super é uma recomendação fácil para quem quer um modelo intermediário está focando me alto desempenho em franquias competitivas, como PUBG, Fortnite, Apex Legends e outros games que se beneficiam de um chip gráfico potente, mas tiram ainda mais vantagem dessas memórias mais rápidas.

PRÓS
Bom potencial de overclock
FullHD em altas taxas de quadro e eventualmente QuaHD
Eventualmente bate a GTX 1660 Ti
CONTRAS
Preço no Brasil menos competitivo
Na desvantagem contra a RX 590 em "custo x benefício"
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.