ANÁLISE: Teclado Cooler Master CK550 - Um show de luzes e qualidade

Uma das melhores escolhas para quem valoriza o RGB em um teclado

Teclados mecânicos RGB de baixo custo existem aos montes: Redragon, Havit, Pichau, Motospeed, Dazz, Sharkoon... Não faltam marcas no mercado oferecendo modelos desse tipo com preços mais acessíveis.

Mas, teclados mecânicos com RGB, baixo custo e um bom software, com efeitos de Equalizador, Ambilight e Integração com Jogos, similar ao que é possível fazer no software de marcas como Corsair, Logitech, Razer e SteelSeries?

Aí já complicou, seja porque essas marcas mais baratas não querem investir muito no software, ou por elas usarem softwares feitos por empresas terceirizadas que não gostam da ideia de disponibilizar um SDK (a lista de comandos que explica como funciona a iluminação) pois isto permitiria que a própria fabricante faça seu software sem depender desta terceirizada ou que algum concorrente acabe usando estes dados.

Mas será que não existe algo para quem quer efeitos mais complexos sem ter que gastar mais de R$ 500 em um teclado RGB dessas marcas famosas? Algo que tenha a mesma iluminação que um Razer Blackwidow Chroma, mas sem custar R$ 800?

Sim, existe, e esses teclados se chamam Cooler Master CK550 e CK530 (versão sem numérico).

E o que temos aqui para análise é o Cooler Master CK550, no modelo Full-Size (com numérico) e no padrão Português de Portugal, que estava na faixa dos R$ 360 quando recebemos ele para análise.

Mas antes de começarmos, por favor não confundam o CK550, com o CK350, são teclados completamente diferentes em termos de qualidade. O CK350 não possui software e nem é capaz de fazer os mesmos efeitos do CK550, além de utilizar um switch de qualidade bastante inferior (Outemu).


Cima: Cooler Master CK350; Baixo: Cooler Master CK550.

São bem parecidos no design, mas são teclados completamente diferentes. Repito:

ESTA ANÁLISE E QUASE TODOS OS ASPECTOS APRESENTADOS, NÃO SÃO VÁLIDOS PARA O COOLER MASTER CK350

Construção Externa

O Cooler Master CK550 é um teclado relativamente "simples" em design, não há recortes nele e o único detalhe visual que ele possui são os chanfros de metal nas laterais, fora isso nada chama a atenção. Até mesmo a fonte utilizada pelas keycaps é bastante sóbria.

Ele possui design de "teclas flutuantes", ou seja, é possível ver a parte lateral de seus switches, ao invés de ter uma capa de plástico bloqueando eles.

Também, assim como qualquer outro teclado com "teclas flutuantes", ele utiliza a própria backplate (a placa de metal que suporta os switches) como capa frontal, o que acaba dando a impressão de que ele seja "mais durável" do que outros teclados que utilizam uma capa de plástico, mas isso não é verdade, isso não afeta em nada a durabilidade de um teclado.

Quanto às keycaps, temos aqui keycaps ABS Laser, o que pouco a pouco vem se tornando um "ponto negativo", pois não faltam teclados, inclusive da metade do preço, com keycaps melhores do que ele:

Mas, infelizmente keycaps Double-Shot são bastante limitadas na questão de fontes, idiomas e símbolos que podem ser impressos nestas. Até por isso que teclados com keycaps Double-Shot baratas "parecem todos iguais", pois há literalmente centenas de teclados usando as mesmas keycaps.

Além disso, keycaps Double-Shot também reduzem um pouco o brilho da iluminação em comparação com keycaps Laser, então os motivos para usarem keycaps Laser foram para não deixar o teclado igual tantos outros, possibilitar outros idiomas além do americano sem um gigantesco investimento e para iluminar melhor as teclas.

Agora o que realmente diferencia o CK550 de outros teclados da faixa de preço, são estes LEDs:

Estes são LEDs 5mm RGB, idênticos em tamanho e brilho aos usados em teclados como o Razer Blackwidow Chroma ou SteelSeries Apex M750. Eles são mais fortes do que os SMD normais e também devido à maior proximidade da keycap, acabam tendo um brilho mais forte do que maioria dos outros teclados.

E o resultado de LEDs mais fortes é bastante simples: efeitos de iluminação ficam ainda mais acentuados e bonitos neste do que em outros teclados, até mesmo o "flagship" Cooler Master MK850 ou o extremamente caro Ducky Shine 7:

Há duas versões do Cooler Master CK550 à venda no Brasil, a tradicional "americana" e também o "português de Portugal", o qual já foi erroneamente chamado de "ABNT2" por algumas lojas, mesmo não sendo.

Embora tenha o "Ç" (que muita gente acha ser a única diferença), o layout PT-PT tem ainda menos em comum com o ABNT2 do que o ANSI (americano). A localização da maioria dos caracteres especiais, interrogação, colchetes, chaves e acentuação, está em locais diferentes de onde estaria em teclados ABNT2 ou ANSI.

A verdade que muitos não sabem, é que fora a questão do Ç, nosso layout ABNT2 é mais parecido com o ANSI (americano) do que com o PT-PT.

No layout americano, apenas as teclas em vermelho e verde são modificadas, as em azul são apenas deslocadas. É muito mais parecido com o ABNT2 do que muita gente pensa.

Já no layout português de Portugal...

Quinze teclas são modificadas (vermelho), duas são deslocadas (azul) e uma tecla é removida (a tecla onde estaria o "?" no ABNT2, roxo).

Se você não souber a localização de caracteres especiais, vai ter que aprender a digitar neste layout estranho ou memorizar à força a localização de teclas, pois elas não vão corresponder ao que está impresso no teclado.

Por isso minha sugestão é bem simples: se não querem se estressar, comprem o modelo norte-americano, não vale a pena ganhar o Ç e perder todo o resto.

É tão fácil se adaptar com teclados americanos, que a única tecla que maioria das pessoas sente falta, é o Ç, o qual idealmente deve ser feito primeiro configurando o teclado para Estados Unidos - Internacional e depois pressionando ' (aspas simples, do lado do Enter) e então C.

' + c = Ç

Também, diferente do ABNT2, teclados no layout ISO-PT não possuem uma tecla adicional ao lado do Shift direito. Ou seja, se você tentar digitar em um teclado destes como se fosse ABNT2, vai ter que apertar "ALT GR + W" para fazer o "Interrogação", assim como é em teclados de alguns Notebooks.

Enfim, a construção externa do Cooler Master CK550 é boa, mas não é nada "exemplar", devido às keycaps que ele utiliza.

Mas este não é um problema tão grande, pois ele possui um Bottom Row padrão e com a diferença de preço dele comparado a outros teclados com recursos similares e que também utilizam keycaps ABS Laser (ex: teclados RGB da Corsair, Logitech, Razer, SteelSeries), é possível comprar um bom conjunto de keycaps para que ele não fique devendo nada para outros teclados RGB "topo de linha".

Coloque boas keycaps neste teclado e você terá algo tão bom em qualidade quanto um Ducky Shine 7, porém com LEDs mais fortes, um software absurdamente melhor e SDK aberto, além de custar metade do preço.

Construção Interna

Abrindo o Cooler Master CK550, a primeira coisa que vamos notar é uma quantia absurda de fluxo de solda, os quais são provenientes do processo de soldagem.

Ao contrário do que as imagens possam fazer parecer, não há nenhum problema em o teclado ter estas "manchas" e "pontinhos brancos" por todo ele. Claro, não é bonito, mas o processo de limpeza do fluxo de solda das soldas "through-hole" não é algo muito importante para a durabilidade de um teclado, embora o ideal é que ele seja realizado.

Prosseguindo, no coração do teclado encontramos uma MCU Holtek HT32F1654, a mesma que foi utilizada para alguns dos teclados RGB da linha MasterKeys Pro e também nos Ducky Shine 5 e Ducky Shine 6.

E quanto às controladoras dos LEDs, temos três controladoras MBIA043GP, as mesmas que são usadas nos teclados RGB da linha MasterKeys:

E nos switches, o Cooler Master CK550 utiliza switches Gateron, os quais são switches de alta qualidade e dispensam apresentação.

Estes, são considerados escolhas tão boas em termos de qualidade quanto os switches da Cherry, porém com uma melhor relação de Custo x Benefício, o que é uma das razões para teclados como o CK550 e CK530, serem muito mais acessíveis do que modelos Cherry como o MK750 e MK730, que custam quase o dobro do preço.

Recursos e Extras

O Cooler Master CK550 utiliza a primeira versão do Cooler Master Portal, o mesmo software que teclados como os MasterKeys Pro utilizam, mas diferente do novo software MasterPlus que os teclados mais recentes da marca (como por exemplo o MK850) utilizam.

Na primeira janela, podemos escolher os efeitos dos teclados, quais estarão salvos na memória interna do perfil (representado pela caixa roxa no lado esquerdo) e configurações individuais de cada um deles.

Todos os efeitos ficam salvos na memória interna do teclado e não é necessário ter o software rodando após ter configurado estes efeitos para que rodem. Caso você não gostar de um dos efeitos e achar que ele só atrapalha na seleção dos efeitos, é possível desativar ele.

Seguindo, há um sistema bastante simples, mas que faz seu serviço para macros.

 

É possível configurar macros que rodem uma única vez, rodem enquanto o botão está sendo pressionado ou rodem até que o botão seja pressionado novamente. Há como editar atrasos e definir qual tecla irá executar a macro e são possíveis até 198 comandos por cada macro, as quais podem estar em perfis diferentes.

Não é possível criar macros que pressionem botões do mouse e nem editar o botão pressionado, ou seja, caso você errar uma macro durante a gravação, terá que regravar ela até que acerte.

Seguindo, temos a opção de Key Map, onde podemos trocar a função de uma tecla, por outra. É também possível configurar para que teclas correspondam a funções multimídia se você clicar para configurar e logo após usar o comando no teclado (ex: FN + Pg Up para aumentar o volume) referente à função multimídia.

E por fim, há quatro perfis customizáveis, todos ficam salvos na memória interna do teclado e podem ser acessados via FN + 1, 2, 3 ou 4. Cada perfil pode ter efeitos individuais, macros individuais e configurações de teclas individuais.

Enfim, o software da Cooler Master é bom o suficiente, mas não vou mostrar seus efeitos já que isso seria uma perda de tempo, pois há um software ainda melhor com o qual ele é compatível: o Aurora.

O Aurora é um software open-source criado pela comunidade que permite a sincronização entre periféricos de diferentes marcas, além de acrescentar uma multitude de novos efeitos e customizações. Ou seja, através dele é possível sincronizar um teclado da Cooler Master, com um mouse da Corsair e um headset da Logitech, algo que é impossível através do software próprio destas marcas:

A única exigência deste software, é que o periférico tenha SDK Aberto. Pensem em "SDK" como sendo uma espécie de "dicionário de comandos", é literalmente a lista de comandos que o programa precisa saber para conseguir controlar a iluminação do teclado, mouse ou seja lá qual periférico RGB for.

Sem ter SDK, não é possível ter comunicação com o periférico, e apenas a própria fabricante do periférico pode disponibilizar o SDK, não adianta reclamar para a equipe do Aurora por não suportar teclado X ou Y.

A Cooler Master fez algo estranho. O CK550 é compatível com o SDK disponibilizado por ela, enquanto o CK350 não, o que não faz muito sentido. Além de ter um switch inferior (Outemu), o CK350 não possui software, não tem compatibilidade com o SDK e é só um pouco mais barato? Qual a razão desse teclado existir?

Enfim, não vou entrar em muitos detalhes quanto ao Aurora pois ele é completo demais e merece (e terá!) um artigo/vídeo no futuro, mas em termos de software, devido ao Aurora, o Cooler Master CK550 acaba não devendo nada para os "topo de linha" de marcas como Corsair, Logitech, Razer ou SteelSeries.

E por ter LEDs mais fortes e SDK aberto, em termos de iluminação, também não deve nada para o "topo de linha" da própria Cooler Master (MK850), ou o "topo de linha" da Ducky (Shine 7).

Conclusão

O Cooler Master CK550 é um teclado bom e simples em suas especificações. Switches Gateron, iluminação RGB, corpo em alumínio e keycaps ABS Laser.

São boas especificações, porém não impressionam.

Mas o que as especificações não mostram é que, em termos de iluminação e efeitos, é sem sombra de dúvidas um dos melhores teclados do mercado.

Devido às suas avançadas controladoras de LEDs e seu SDK Aberto, temos acesso ao Aurora, o qual torna ele um teclado com um dos melhores softwares de iluminação do mercado, com efeitos de Equalização, Ambilight e até Integração com Jogos.

Acrescentemos isso aos LEDs 5mm RGB que este teclado utiliza, que são LEDs mais fortes do que os utilizados pela maioria dos teclados mecânicos do mercado, os mesmos que os usados pelo Razer Blackwidow Chroma, e está aí a razão para eu gostar tanto dele.

É um teclado que consegue fazer o mesmo que o Razer Blackwidow Chroma, porém com switches de melhor qualidade, keycaps que podem ser trocadas facilmente devido ao Bottom Row padrão e custa metade do preço.

O CK550 faz tudo o que o Blackwidow Chroma faz, custando metade do preço e sendo melhor em qualidade

E se quiser deixar ele ainda melhor, coloque keycaps PBT Double-Shot nele e você terá um excelente teclado, capaz de bater frente, e na minha opinião ganhar, do Ducky Shine 7.

Enfim, entendo que para muita gente, o RGB é uma besteira e só vai ser usado para escolher as cores volta e meia. Para estas pessoas, a complexidade da iluminação do CK550 pode não ser um atrativo.

Mas, para quem está atrás de um teclado que consiga fazer um "show de luzes" e valoriza o RGB, o Cooler Master CK550 e seu irmão menor CK530, são sem dúvidas as atuais melhores escolhas do mercado, combinando alta qualidade, LEDs extremamente fortes, keycaps fáceis de trocar, SDK aberto e um preço bem mais acessível do que seus principais concorrentes.


PRÓS
Excelente construção interna
É o teclado RGB mais barato entre os modelos com SDK Aberto, e mesmo assim é um dos melhores em termos de iluminação
LEDs 5mm RGB proporcionam um brilho mais forte do que maioria dos teclados mecânicos do mercado
Ótimo software, com possibilidade de gravar todos os seus efeitos na memória interna e com 4 perfis internos
SDK aberto e compatibilidade com o Aurora
Switches de alta qualidade Gateron
CONTRAS
Keycaps Laser
Assuntos
  • Redator: Wellington Diesel

    Wellington Diesel

    Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 150 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.