Análise: Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020 tem variedade, mas falta profundidade

Jogo é recheado de modalidades e mini-games, mas acaba sendo superficial em todas
Por Diego Kerber 05/11/2019 18:44 | atualizado 06/11/2019 08:57 comentários Reportar erro

Novamente os antigos rivais da era 16-bits e hoje "parças" Mario e Sonic são protagonistas em um game tematizado dos Jogos Olímpicos de Verão. Com a edição em Tóquio se aproximando, o game é um gigantesco crossover entre o mundo dos dois carismáticos protagonistas, toda sua trupe e também uma quantidade massiva de modalidades olímpicas. Será que tantas estrelas e variedades de gameplays são suficientes para compensar a compra desse game?

Site oficial de compra do game

Se há algo que impressiona nesse game é a quantidade de conteúdo e variedade de gameplays

Se tem algo que impressiona em Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020, além do nome gigantesco do game, é a grande quantidade de modalidades e modos de jogo, buscando trazer um pouco da grandiosidade do evento em si. São 21 esportes diferentes em 3D, 8 modalidades em 8 ou 16-bits e uma quantidade razoável de mini-games e conteúdo adicional. 

Cada jogo possui uma mecânica própria, e a grande maioria deles inclusive possibilita jogar de mais de uma forma, seja usando um esquema tradicional de botões ou mecânicas mais complexas que aproveitam os novos recursos dos controles do Switch. com seus sensores de movimento. Sem dúvida a variedade é um ponto alto desse jogo, então há todo tipo de estilo de jogo, com games mais estratégicos, mais agitados e também aqueles de "balançar o controle o mais rápido possível".  O game pode ser jogado de forma solitária enfrentando NPCs, em até 4 pessoas de forma local e até 8 remotamente via internet. 

A campanha é bem divertida com uma grande quantidade e diversidade de fases

Além dos jogos de forma isolada, há um modo história que leva Mario, Sonic e Cia. a uma volta pela Tóquio de 2020 e, curiosamente, pela Tóquio de 64, quando a capital japonesa teve a oportunidade de sediar os jogos pela primeira vez. A história as vezes ficam um tanto monótona, com muitos diálogos bem estáticos e uma narrativa apenas OK, mas que tem como destaque ir mostrando os vários esportes, alternando entre os games "modernos" e "antigos", além de liberar curiosidades sobre os personagens das duas franquias e dos jogos olímpicos.

A ambientação é um dos pontos altos do jogo, com a recriação de vários dos principais locais onde serão realizados os Jogos Olímpicos, bem como diversos locais turísticos de Tóquio. Pequenos detalhes como as câmeras antigas de televisão nos cenários de 64 e os vários fan-services ao longo da campanha, com direito a ver os personagens em suas primeiras "encarnações" além de vários mini-games tematizados nos conflitos centrais dessas franquias tornam a experiência da campanha algo bem divertido, e com um bom ritmo devido a constante troca de estilo de gameplay e missão de cada fase.

Com tantos esportes diferentes, infelizmente poucos tem profundidade suficiente para valer a pena jogar novamente

Se por um lado a grande variedade de esportes é excelente, essa dispersão traz o principal defeito do jogo: a falta de foco. Todas as modalidades tem algumas minúcias, power ups que surgem se você faz determinadas ações no tempo perfeito, além de uma ou outra camada adicional de estratégia. Mas, no fim, quase todas ficam rapidamente repetitivas e o gameplay fica raso em questão de minutos jogando. 

Isso faz com que o jogo perca muito potencial de replay. Diferente de outros clássicos como Mario Kart ou Smash Bros, que parecem imunes ao teste do tempo, quase nenhum dos múltiplos mini-games que compõem esse game "segura" múltiplas sessões de jogatina. A falta de profundidade das mecânicas faz com que você enjoe rapidamente, e questões como latência dos controles e precisão dos joy-cons também influenciam, especialmente se você opta por usar os sensores de movimento para jogar (que são bem mais divertidos que simplesmente apertar botões, apesar do dano irreparável ao seu ombro que várias das modalidades trazem).

Mario e Sonic em Tóquio 2020 manda bem na grande quantidade de mini-games e no fan service, mas jogos pecam na falta de profundidade

Mario & Sonic no jogo com o nome mais extenso do mundo at the Olympic Games Tokyo 2020 tem como ponto alto a sua diversidade de mini-games e fica especialmente divertido em uma sessão de jogatina com os amigos localmente, porém a qualidade e profundidade de várias das modalidades tornam difícil reaproveitar alguns dos conteúdos em novas partidas. É um game divertido pela quantidade de conteúdo, especialmente na variedade de missões na campanha e o excelente fan-service sobre os Jogos Olímpicos e dos personagens cativantes da franquia Mario Bros. e Sonic, mas que não deve estar na prioridade de sua lista de compras.


  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego colabora com a Adrenaline na produção de notícias e artigos na coluna "Vida Digital".