ANÁLISE: Headsets Cooler Master MH751 e MH752

Um dos melhores headsets abaixo de 100 dólares, mas no Brasil...

Assim como o headset Galax Xanova Juturna, os headsets Cooler Master MH751 / MH752 são baseados no Takstar Pro 82, e quem já teve contato com algum deles, já sabe metade do que vou falar nesta análise.

O Takstar Pro 82 é consagrado como sendo um dos melhores headphones para seu preço, combinando uma construção premium, extremo conforto, excelente áudio e um preço na faixa dos R$ 240 importado, podendo chegar a menos em promoções (e quando o dólar colabora).

Mas, os modelos Cooler Master MH751 / MH752 não são apenas remarcações, diferente do Galax Xanova Juturna.

Os headsets da Cooler Master são modificações, buscando alterar alguns aspectos do Takstar Pro 82 e tentando construir um fone dedicado para o público gamer em cima de um excelente headphone.

Antes de iniciarmos a análise, tenho que esclarecer algo ao público: tecnicamente, nós não temos o Cooler Master MH751, apenas o Cooler Master MH752 foi enviado para análise.

Mas, ele é apenas a versão 3.5mm (P2) do MH752, ou seja, se deixarmos de utilizar a placa de som que acompanha o MH752, teremos o mesmo fone que o MH751, logo esta análise é válida para ambos.

Construção Externa

Os headsets Cooler Master MH751 e MH752 são modificações do Taktsar Pro 82 com cabos mais reforçados, então quem possui o Pro 82 ou o Juturna, sabe exatamente como esse headset é em sua construção.

Pesando 280 gramas, a construção destes headsets grita "premium", são utilizados plásticos de alta qualidade, alumínio onde necessário, é utilizado courino para o acabamento das almofadas e arco, fora que tudo é muito bem acolchoado, seja o arco do headset que suportará a sua cabeça, ou as almofadas de courino.

Um material negativo que foi utilizado em sua construção porém, foi uma camada de tinta emborrachada na parte que segura os "falantes" do headset. Embora seja bastante confortável ao tato, esse tipo de material tende a literalmente "derreter" após alguns anos, começa riscar, ficar grudento e encher de sujeira, o que pode denegrir muito a aparência do fone. E isso irá acontecer entre 3-5 anos após o fone ter sido comprado.

Sobre o "isolamento" do headset, ele faz o seu serviço, mas não foi o foco deste fone. O design do Takstar Pro 82 (e de suas modificações) prioriza conforto, ele não "pressiona muito a cabeça" e essa ausência de "clamping" (a pressão contra a sua cabeça) acaba tornando seu isolamento inferior quando comparado a alguns concorrentes, o HyperX Cloud Silver ou Cloud Alpha por exemplo.

Ao mesmo tempo, esse "clamping fraco" e seus ajustes permitem que pessoas com cabeça "XGG" (autor da análise) e/ou óculos, utilizem o fone confortavelmente, então você sacrifica um aspecto em prol do outro. O isolamento dele é apenas "decente", mas o conforto é espetacular.

O Cooler Master MH751/MH752 é um dos fones mais confortáveis que já usei, a impressão é de não ter nada na cabeça

A combinação dos materiais, pouquíssimo clamping e ajustes disponíveis deste headset, tornam ele um dos fones mais confortáveis que já usei. Juntemos estes fatores ao seu peso, e a impressão é de "não ter nada na cabeça".

Sobre possíveis desgastes do courino com o tempo, sim, eles vão acontecer, assim como irão acontecer em qualquer fone que utilize courino, o que pode mudar de um usuário para outro são fatores de utilização tais como suor, a limpeza constante ou excessiva do headset com produtos corrosivos para o courino, utilização do fone com a cabeça molhada... E há também fatores ambientais que aceleram o desgaste, tais como maresia, umidade, etc...

Até existem courinos mais "duráveis", mas também acabam sendo menos confortáveis, um exemplo é o courino "duro" que o Kuba Disco utiliza, mas não é isso que maioria dos gamers querem.

Se você está tendo problemas constantes com desgaste do courino de seus headsets, sugiro que procure headsets como o SteelSeries Arctis 3, ou outro headset que utilize malha esportiva, que é um tipo de tecido lavável, com melhor ventilação e que não tende a desgastar igual o courino com o tempo. As linhas Corsair Void e alguns dos headsets da Logitech são exemplos.

Para quem mora em locais muito quentes ou tende a suar bastante, eu recomendo que compre um fone com malha esportiva ou então compre este tipo de almofada separadamente.

"Mas se malha esportiva é mais durável, por qual razão empresas gamer continuam usando courino?"

Malha esportiva não isola sons externos, causa vazamento de áudio para o ambiente externo e apresentam um efeito negativo nos graves do fone, o que é indesejável para parte do público gamer.

Cada material possui seus pontos negativos e positivos, não há como agradar todo mundo, mas entre as almofadas de courino que já utilizei até hoje, estas estão entre as melhores.

Um ponto que mudou bastante em comparação com o Takstar Pro 82 e seu concorrente Galax Xanova Juturna, é a questão do cabo. Assim como o Takstar Pro 82, o Cooler Master MH751 / MH752 possui um cabo removível, mas agora ele foi trocado por um conector 3.5mm (P2 TRRS) ao invés de 2.5mm (P1 TRRS).

Embora na teoria isso facilita para encontrar cabos para reposição, a Cooler Master colocou uma espécie de "rosca" para fixar o cabo. Você precisa primeiro conectar o cabo e girar ele para fixar, o que dificulta para o cabo ser removido acidentalmente, mas também pode ser um problema, tanto para conseguir cabos para reposição, quanto por facilitar o dano do cabo caso for puxado com muita força.

É melhor que o cabo desconecte e saia voando quando é puxado com força, do que ele acabe rompendo ou levando o headset junto para o chão quando puxado acidentalmente.

Enfim, mesmo esse conector dificultando a utilização de outros cabos, o Cooler Master MH751 / MH752 é compatível com o cabo com microfone V-Moda BoomPro e com as cópias dele vendidas na Aliexpress.

Ainda sobre o cabo, a Cooler Master optou por utilizar um cabo revestido em nylon, bastante grosso e pouco flexível. Embora isso previna danos acidentais e em teoria torne ele mais "resistente" do que o Takstar Pro 82, esse cabo também dificulta a utilização dele em dispositivos móveis, especialmente pela grossura, pouca flexibilidade e por não possui um conector curvado, algo que mais headsets deveriam usar.

Agora falando sobre os recursos exclusivos de cada um, o Cooler Master MH751 possui uma caixa de controle de volume, contendo também uma chave para ativar/desativar o microfone. Sei que infelizmente este tipo de controle de volume é sempre um ponto de falha em headsets, causando o famoso problema de "um lado mais alto que o outro" com o tempo, mas infelizmente é isso que o público quer...

O ideal mesmo, seria se o fone nem tivesse esse tipo de controle de volume e o próprio usuário fizesse ajustes de volume através do sistema, atalhos do teclado, mouse, etc...

Já o Cooler Master MH752, possui uma placa de som USB, com uma simulação mal feita de áudio 7.1 via efeitos de áudio (e não via downmix de áudio 7.1 como faz o Dolby Headphone), botões para controle de volume e sensibilidade do microfone. Como este sistema é digital, você pode usar os botões de volume à vontade sem medo nenhum de um lado ficar mais alto que o outro, esta sendo a única vantagem dessa placa de som.

Considerando as suas falhas, as quais vamos discutir adiante, essa placa me lembra muito a placa do HyperX Cloud II, a qual eu também não considero "boa".

Mas enfim, fora a questão do courino, o qual tem seus pontos positivos e negativos, não há muito que reclamar da construção do Cooler Master MH751 / MH752, ele não dá a impressão de ser "construído igual um tanque" igual o HyperX Cloud Alpha, mas é bem construído apenas onde necessário, sendo consideravelmente mais leve e portátil.

Há aspectos como o cabo e conector, que também possuem pontos positivos e negativos, mas diferente do Takstar Pro 82 e o Galax Xanova Juturna, o Cooler Master MH751 / MH752 realmente foi projetado tendo o público "PC Gamer" como foco e consegue uma nota bem alta neste segmento da análise, perdendo pontos apenas pela besteira do uso de acabamento emborrachado em uma pequena parte.

Áudio

Os headsets Cooler Master MH751 e Cooler Master MH752 são baseados no Takstar Pro 82, mas não são exatamente "idênticos" ao Takstar, há mudanças que foram feitas na acústica e o recurso de "controle de graves" também foi removido, o que pode parecer uma grande perda, mas na verdade não é.

Maioria das pessoas usam o Takstar Pro 82 na opção do meio (2) ou então com os graves no máximo (3), sendo que os graves no máximo também se tornam exagerados em muitos momentos.

O que a Cooler Master fez, foi tentar juntar estas duas opções, ao aumentar a câmara acústica e projetar ela de forma que ficasse uma espécie de "2.25", com um pouco mais de grave do que a opção 2, mas não o exagero da opção 3. Um som bastante natural, mas ainda com aquela leve puxadinha de graves que maioria do público gosta, então realmente não sinto falta do ajuste de graves.


Frequency Response do Takstar Pro 82

Ao mesmo tempo, esta maior câmara acústica também acaba afetando a profundidade de sons, dando um pouco mais de "palco sonoro" ao headset em comparação ao original da Takstar e Galax, atendendo um pouco melhor as necessidades do público gamer.

Ele não dá tanto a sensação do "som estar vindo da frente" como faz o Galax Xanova Juturna.

Assim como o Takstar Pro 82, o áudio do Cooler Master MH751 / MH752 é bastante "doce". Há uma puxada nos graves, mas sem exagero, os médios são extremamente bem detalhados, enquanto os agudos tentam puxar a nitidez ao máximo, mas sem chegar ao ponto da estridência ou agressividade, lembrando muito a pegada de outros headphones como o Audio Technica M50x e similares.

Assim como no Takstar Pro 82, o som do MH751 / MH752 é extremamente agradável para qualquer coisa

Seja em Synthwave, Heavy Metal, Pop Rock ou Instrumental, o Cooler Master MH751 / MH752 é agradável em qualquer coisa, assim como é o Pro 82.

Já a questão do palco sonoro, não é exatamente a ênfase desse fone, mas foi melhorada em comparação com o Pro 82 e Juturna, especialmente por sua câmara interna estar maior.

Há um bom palco, especialmente para um fone fechado, mas não é o foco dele ou de qualquer outro headset dessa faixa de preço. O detalhamento de sons é ótimo e é fácil notar a direção de sons, mas a sensação de "profundidade" de sons, não é comparável a fones como o Sennheiser GSP 550 ou Philips Fidelio X1, embora não é justo comparar o MH751 / MH752 com fones que custam quase o triplo do preço.

Em jogos, o Cooler Master MH751 / MH752 faz o seu serviço, mas o desempenho especialmente em FPS, não será diferente de alguns outros headsets da mesma faixa de preço como o Logitech G Pro ou HyperX Cloud Alpha, todos são "bons", mas nenhum é "espetacular", o que é normal para esta faixa de preço.

O destaque que o Cooler Master MH751 possui contra tais concorrentes, é seu extremo conforto, portabilidade, excelente qualidade de áudio e o fato de custar US$ 70, sendo mais barato do que até o próprio Takstar Pro 82, razão pela qual é considerado um dos "melhores Custo x Benefício" por diversos reviewers estrangeiros.

E o ruim é que no Brasil custa bem mais do que o Takstar Pro 82 e Galax Xanova Juturna sem ter boas justificativas para isso...

Microfone

E aqui é a área onde o Galax Xanova Juturna, "irmão" dos headsets Cooler Master MH751 / MH752 acabou falhando, será que o headset da Cooler Master apresenta as mesmas falhas? Infelizmente sim.

Não se enganem, o microfone do Cooler Master MH751 / MH752 foi bem feito, a captação sem a placa de som do MH752 (ou seja, igual à do MH751), é excelente, uma voz extremamente limpa e clara, vocês podem conferir o áudio dela a partir dos 1:19 no vídeo logo abaixo.

Também, como podem ouvir no início do teste, a placa de som USB do Cooler Master MH752 deixa o microfone tão abafado e cheio de filtros, que quase não dá pra notar o problema de crosstalk (vazamento do áudio que você está ouvindo, para o microfone). Ao mesmo tempo, a nitidez da voz é simplesmente horrível com ela, similar ao que ocorre no concorrente HyperX Cloud II.

Me pergunto se esse excesso de filtros é proposital para que seja possível ouvir o microfone em ambientes barulhentos, ou se ele foi abafado dessa forma justamente para "mascarar" o problema do crosstalk...

"Ah, mas para corrigir isso é só ligar o "Cancelamento de Eco Acústico" nas configurações da placa de som"

Sim e não. Isso ajuda diminuir consideravelmente o problema, mas também acaba também diminuindo drasticamente a qualidade do áudio do microfone, como podem ver no teste abaixo:

O ideal mesmo é que o headset não tenha crosstalk e não precise desse tipo de efeito ativado na placa de som.

Mas, diferente do que possa parecer, o problema do MH752 não é o microfone dele. O problema na verdade é o cabo, o qual acaba gerando esse crosstalk, o vazamento de áudio que deveria ir para os alto-falantes, indo para o microfone.

Trocando o cabo do Cooler Master MH752 pelo cabo V-Moda BoomPro, foi possível remover completamente o problema de crosstalk, o que indica que a Cooler Master ainda pode resolver este problema em revisões futuras deste produto, talvez até enviar cabos novos para quem está sofrendo com isso.

"Ah, mas é só comprar esse cabo V-Moda BoomPro então, é simples para corrigir".

Sim, mas pagar R$ 160 para corrigir um problema que o headset não deveria ter, não é vantagem.

Aliás, falando em troca e revisões futuras, a Galax parou de produzir o Galax Xanova Juturna devido a este mesmo problema, que foi exposto na análise dele. Também, a Galax já havia nos enviado vários cabos diferentes para tentar resolver o problema nestes oito meses desde que a análise foi publicada, e há poucas semanas recebemos o cabo que parece ter resolvido o problema de vez:

A Galax estará enviando estes novos cabos gratuitamente para todos aqueles que tiverem a versão antiga do Galax Xanova Juturna, e o fone voltará a ser vendido com este novo cabo (mas não nesta cor). Assim que estes cabos estiverem sendo enviados e se o preço se manter, a análise do Galax Xanova Juturna será atualizada e ele se tornará o primeiro headset com o selo "diamante" aqui no Adrenaline.

Sugerimos que a Cooler Master também mostre o mesmo nível de empenho para seus clientes e também trabalhe para resolver o problema do cabo dos headsets Cooler Master MH751 / MH752.

Conclusão

Avaliação: Cooler Master MH751 e Cooler Master MH752

Construção
9
Conforto
10
Áudio
9,5
Microfone - MH751
6,5
Microfone - MH752 (na placa USB)
3,5
Preço MH751 EUA - US$ 70
9,5
Preço MH751 Brasil - R$ 490
6
Preço MH752 EUA - US$ 90
6
Preço MH752 Brasil - R$ 623
3

Os headsets Cooler Master MH751 e MH752 nada mais são do que modificações do Takstar Pro 82, que é um dos melhores headphones para seu preço. Com uma construção um pouco mais robusta do que o Pro 82 e algumas modificações na acústica e acabamento, estes são excelentes headsets em quase todos aspectos, seja conforto, áudio ou portabilidade.

Mas, assim como é o caso do HyperX Cloud Silver/Core vs Cloud II, não vejo razões para recomendar o MH752 ao invés do MH751.

A placa de som do MH752 não acrescenta nada significativo para ele, a simulação de surround é extremamente mal feita, a amplificação dela não extrai o melhor do áudio do headset e nem do microfone, o qual parece pior do que realmente é devido ao excesso de filtro de ruído, igual o caso do HyperX Cloud II.

Uma placa de som inclusa ou embutida, só é boa quando ela consegue extrair a "melhor qualidade possível" do headset em qualquer aparelho que você conectar, mas esse não é o caso do MH752.

Mesmo se você tiver áudio de baixa qualidade no seu PC ou quiser utilizar no PS4, acaba sendo muito mais vantagem comprar o Cooler Master MH751 e uma placa de som USB como a Sharkoon Gaming DAC Pro S ou a Creative Play! 3 do que optar pelo MH752. Sinto muito, mas não há razões para recomendar ele.

E chegando à minha principal crítica, o Cooler Master MH752 e possivelmente o MH751 apresentam o problema de "crosstalk", que é o vazamento do áudio que você está escutando, para o microfone. Este vazamento ocorre exclusivamente devido ao cabo e só não é tão evidente no caso do MH752 pois sua placa de som USB deixa o microfone tão abafado ao ponto de mascarar o problema.

Quanto ao preço, nos EUA o Cooler Master MH751 custa US$ 70, um excelente preço que torna ele um dos melhores headsets abaixo de US$ 100, mesmo com o problema no microfone.

O MH751 poderia ter sido o primeiro headset a receber o "selo diamante", mas...

Mas, a situação no Brasil é completamente diferente...

Custando R$ 490, fica difícil defender a escolha pelo MH751, especialmente quando seu maior concorrente, e que também é baseado no Pro 82, o Galax Xanova Juturna, consegue se situar na faixa dos R$ 300~350.

Assim como o Cooler Master MH751 / MH752, o headset da Galax também tem um problema de crosstalk, mas a própria Galax já está trabalhando em cima disso e já nos enviou um novo cabo sem o problema, que também será enviado gratuitamente para pessoas que tenham o headset.

Ou seja, além de estar mais barato, o headset da Galax em breve não terá esse mesmo problema que o MH751.

Enfim, é extremamente triste o caso do Cooler Master MH751, ele é um headset com potencial, mas que por questões que ainda podem ser corrigidas, especificamente o cabo (que é removível) e o preço, acaba tendo sua nota consideravelmente reduzida. Ele poderia ter o selo "diamante", mas por estas falhas acaba levando o "prata".

Torço para que a Cooler Master tome as mesmas atitudes que a Galax tomou, buscando enviar novos cabos para corrigir o problema e também trabalhando para melhorar seus preços. E se assim fizerem, o MH751 também terá sua nota aumentada.

PRÓS
Cabo removível e microfone removível
Excelente Custo x Benefício nos EUA
Excelente conforto, um dos headsets mais confortáveis do mercado devido às almofadas, ausência de clamping e baixo peso
Excelente qualidade sonora
CONTRAS
A placa de som USB do MH752 atrapalha mais do que ajuda, a simulação de Surround é péssima e o excesso de filtro de ruído dela faz o microfone parecer muito pior do que realmente é
Mesmo tendo um excelente microfone, infelizmente o cabo original da Cooler Master apresenta um problema de crosstalk (vazamento de áudio do jogo para o microfone)
Preço bastante alto no Brasil
Assuntos
  • Redator: Wellington Diesel

    Wellington Diesel

    Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 150 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.