ANÁLISE: Razer Naga Trinity

O melhor mouse para MMORPG e um dos melhores mouses modulares
Por Wellington Diesel 01/06/2019 19:30 | atualizado 18/08/2019 01:30 comentários Reportar erro

Mouses para MMORPG são muito diferentes de mouses para uso geral/FPS pois há uma grande quantia de botões para permitir o uso de skills, itens e que diversas ações sejam feitas através de seus botões.

Mas... E se o mouse pudesse se adaptar para públicos diferentes? Muitos botões para quem joga MMORPG, botões de fácil acesso para MMORPG/MOBAs ou então apenas dois botões laterais para FPS e uso geral?

Modularidade é a principal ideia por trás do Razer Naga Trinity e a razão pela qual ele possui três diferentes laterais, uma no estilo do Razer Naga 2014, uma no estilo do Razer DeathAdder Elite e outra no estilo do Razer Naga Hex, misturando o que poderiam ser três mouses diferentes em um só, logo o "Trinity" do nome, que significa "Trindade".

Então, vamos começar a análise dele.

Construção Externa

O Razer Naga Trinity é um mouse que não é tão cheio de detalhes e recortes como o Havit MS735, Corsair Scimitar ou Elecom M-DUX70BK, mas é de longe um dos mais bonitos e elegantes pelo contraste de sua cor escura brilhante com um design marcante e uma iluminação RGB de bom gosto.

No topo, temos o mesmo plástico fosco que o utilizado pelo Razer DeathAdder Elite e outros mouses atuais da marca, é um plástico visualmente simples, mas de extrema qualidade, levemente texturizado, não possui acabamento emborrachado e não aparenta ser um material que apresentará desgaste com tempo.

O único emborrachado que encontramos, e que aparenta ser de melhor qualidade do que maioria das borrachas vistas em mouses, está na lateral direita, na lateral de 2 botões e na lateral de 7 botões, mas já são lugares onde sujeira tende a acumular.

Na parte inferior do mouse, encontramos três enormes pés de teflon com excelente deslize e também um botão para troca de perfil, podendo trocar entre os perfis do software (se estiver aberto) ou os quatro perfis salvos no hardware.

Em seguida vamos aos botões laterais, primeiro temos a lateral com doze botões, a qual visualmente está idêntica à lateral do Razer Naga 2014:

Estes botões possuem uma excelente resposta, melhor do que concorrentes como o Logitech G600, Corsair Scimitar, Elecom M-DUX70BK, Multilaser MO206, Havit MS735, Redragon M901 e diversos outros mouses que há no mercado.

Em um mouse para MMORPG, o mais importante é a resposta dos botões laterais, e nisso o Naga Trinity é um dos melhores do mercado

Para quem já utilizou "celulares com botões", a lateral do Naga Trinity é bastante familiar e fácil de se adaptar, embora o fato de muita gente não saber o que isso é, faz eu me sentir velho...

Jogos que se aproveitam disso são jogos onde você precisa pressionar uma grande quantia botões para usar skills/itens/macros, tal como MMORPGs, mas atualmente há outro gênero que se beneficia muito, já que há muitas armas/itens/habilidades para serem selecionadas: Battle Royale

Tendo o Razer Naga Trinity com a lateral de 12 botões, você não precisa tirar o dedo do WASD para trocar de armas, utilizar ferramentas, escolher granadas, usar itens de cura, etc, etc... Estes botões laterais só não serão úteis em jogos onde você possui um inventário e ações limitadas, tal como CS:GO.

O Razer Naga Trinity é útil não apenas para jogos de MMORPG, mas também para jogos onde você precisa selecionar uma grande quantia de armas/itens/habilidades, tal como maioria dos jogos Battle Royale

Agora, temos a lateral com dois botões, a qual acaba tornando o Naga Trinity um tanto parecido com o DeathAdder:

A resposta dos botões desta lateral não é exatamente a mesma que o DeathAdder, pois embora sejam maiores, são o mesmo tipo de botões miniaturizados que são usados pela lateral com 12 botões.

Não é ruim de forma alguma, mas não há o mesmo "clique" e resposta agradável que há na lateral do DeathAdder. Ainda assim, são fáceis de pressionar quando necessário e difíceis de pressionar acidentalmente.

Seguindo em frente, eu não consegui me adaptar à lateral de sete botões que pertence ao Razer Naga Hex, mas creio que seja questão de costume.

A ideia por trás desta lateral, é poder apertar os botões apenas dobrando em direções diferentes seu dedão, sem ter que levantar ele para alcançar cada botão. Botões como o 1, 2, 6 e 7 são extremamente fáceis de pressionar e é possível apertar eles rapidamente feito um louco, o que pode ser útil para alguns jogos.

Também, esta lateral fica muito melhor para usuários da pegada Claw do que a lateral de 12 botões, já que há espaço no meio para seu dedão segurar bem o mouse.

Assim como outros mouses recentes da Razer, o Naga Trinity possui um dos melhores cabos de nylon do mercado, aparenta ser bastante durável, mas mesmo assim é fino, leve e bastante flexível, se assemelhando a cabos de borracha durante o uso.

O Razer Naga Trinity pesa 120 gramas (sem o cabo), contra 105 gramas do seu antecessor Razer Naga 2014, um acréscimo de peso considerável, especialmente para um instrumento de precisão como o mouse.

Entendam, eu não sou louco ao ponto de falar exageros como "todo mouse acima de 100g é pesado" como alguns fazem, mas há de se admitir que para o tamanho deste mouse, seus 120 gramas estão acima da média.

Para o tamanho do Naga Trinity, os 120 gramas estão acima da média

Claro, com o tempo você pode acabar se acostumando, tenho este mouse há 3 meses e já me acostumei muito bem com este peso, mas esse foi um dos fatores que mais estranhei nos primeiros meses de uso mesmo eu já estando acostumado com mouses mais "pesadinhos", e algumas pessoas poderão se sentir incomodadas ao ponto de não gostarem.

"Ah, mas é só usar a lateral com 2 botões ao invés da lateral com 12, daí o mouse fica mais leve"

Não, eu também pensei o mesmo quando vi este mouse, mas a diferença de peso entre cada lateral é ínfima, o que mais pesa não são os botões, mas os ímãs, a PCB para os botões (que parece ter um peso idêntico entre cada uma das laterais) e a própria carcaça. Usar a lateral com apenas "dois botões" não torna o mouse mais leve.

O que torna o mouse mais leve, mas fica bem estranho para utilizar, é remover qualquer lateral. Ele funciona, mas para indicar que os botões laterais não foram reconhecidos, os LEDs ficam desligados.

Quanto às pegadas, depende bastante do tamanho da sua mão e sua preferência por peso.

Dependendo a lateral usada, o Razer Naga Trinity pode se tornar melhor ou pior para cada pegada

É possível utilizar a pegada Palm no Razer Naga Trinity, mas apenas por quem possui mãos pequenas e algumas mãos médias, homens com mãos maiores, não conseguirão utilizar esta pegada nele. Também, com esta pegada a lateral de sete botões pode se tornar incômoda devido ao "desnível" causado pelo espaço vazio no meio dela.

A lateral de dois botões fica excelente para Palm e por incrível que pareça a lateral de doze botões também.

Já a pegada Claw fica especialmente bem com a lateral de sete botões ou a de dois botões, já que há espaço para você utilizar seu dedão para segurar com força o mouse. A lateral de 12 botões também pode ser usada com esta pegada, mas não fica tão boa quanto as outras duas e você não pode fazer força no dedão ou irá pressionar algum dos botões.

A pegada Fingertip é a mais prática para utilizar a lateral de 12 botões, já que seu dedão fica recuado, o que facilita para pressionar eles. Qualquer uma das outras laterais também fica boa com esta pegada.

Porém, ela é também uma pegada complicada com este mouse, pois quem usa ela tende a ter preferência por mouses leves e as 120 gramas do Razer Naga Trinity podem afastar alguns usuários desta pegada, embora para outros será apenas questão de costume.

Enfim, a construção externa do Razer Naga Trinity é impecável. Um acabamento em plástico de altíssima qualidade que não desgastará com o tempo, as poucas borrachas são de alta qualidade, o conceito de laterais modulares é fantástico e bem implementado, a resposta dos botões laterais é excelente, o deslize é ótimo e o cabo em nylon é bem feito e bem flexível, fazendo com que o mouse gabarite este segmento da análise.

Mas, recomendo muito que a Razer faça algo para diminuir o peso em um futuro Naga Trinity v2 para algo na faixa dos 100~105 gramas.

Construção Interna

A construção interna é a principal responsável pela durabilidade de um mouse, se forem utilizados componentes de baixa qualidade, a expectativa de durabilidade dos mouses será ruim. Já se forem utilizados componentes de alta qualidade, a expectativa de durabilidade do mouse será boa.

E estes são os componentes do Razer Naga Trinity:


Créditos da foto utilizada para Svenge @ Reddit r/mousereview

Muitos dos switches utilizados pelo Razer Naga Trinity, são switches SMD sem nenhuma identificação, mas suspeito que a fabricante deles possa ser a Kailh, TTC ou até OMRON, não parecem ser switches ruins, não são switches genéricos e a resposta de todos os botões é muito boa.

A grande novidade do Razer Naga Trinity, são os switches OMRON 50M encomendados especialmente pela Razer.

A princípio, eles parecem um pouco mais firmes do que os switches anteriores e possuem uma excelente resposta, mas não posso garantir se há alguma real melhora em termos de durabilidade. Vale lembrar que quando os switches OMRON 10M e OMRON 20M foram lançados, estes números serviram apenas para marketing, pois não afetam em nada a ocorrência do problema de "Double-Click", que sempre foi o maior problema de todos.

Agora o interessante, é que a Razer corrigiu um problema de scroll do Razer Naga 2014 neste novo modelo.

No Naga 2014, ao tentar pressionar o botão do meio, você acabava pressionando também o botão horizontal esquerdo, sendo que este poderia estar configurado para alguma função (no meu caso, voltar a página) e isto atrapalhava bastante.

Felizmente o Razer Naga Trinity não possui este problema e os botões horizontais do scroll não estão duros como são em alguns mouses da Logitech (onde não dá nem vontade de usar eles). Já houveram alguns casos onde pressionei eles acidentalmente, mas é raro.

Enfim, a construção interna do Razer Naga Trinity é ótima, mesmo não tendo marca, os switches usados nos botões pouco utilizados não parecem ser os mais baratos o possível como são em alguns concorrentes, são utilizados componentes de alta qualidade nos botões mais utilizados, há os switches OMRON 50M, é utilizado um codificador mecânico da TTC e o sistema de botões lateráveis removíveis é genial.

Desempenho

Primeiro de tudo, o Razer Naga Trinity é o mouse que marca o fim da utilização de sensores Laser da Philips pela Razer. Já vai tarde e ninguém sentirá a falta deles, a Razer foi a última empresa a deixar de usar essas bombas, outras empresas já fizeram isso em 2014.

Além de problemas de precisão, o maior problema dos sensores da Philips, era a durabilidade. A família de sensores Philips é extremamente sensível a vibrações (ex: cursor do mouse tremia se você tinha uma caixa de som próxima a ele) e principalmente poeira, ao ponto dele deixar de rastrear com apenas um pouco de sujeira no sensor.

Mas, o mais triste é que eles poderiam deixar de rastrear em uma direção e/ou também morrer completamente, sendo que o segundo ocorreu com o Razer Naga 2014 que comprei alguns anos atrás e infelizmente é um problema comum.

Não comprem o Razer Naga Chroma, Naga 2014 ou Naga Epic Chroma pois estes utilizam sensores Philips.

Já o Pixart PMW 3389 que o Razer Naga Trinity utiliza, resolve completamente estes problemas e também possui melhorias em precisão, sendo tido como o "melhor sensor disponível no mercado".

Vamos aos testes, primeiro temos o teste de consistência de rastreio. Basicamente, ele testa o que o nome diz, mostrando se por acaso há distorções no rastreio do mouse. Para realizá-lo, é usado uma ferramenta chamada MouseTester.

E estes foram os resultados do Razer Naga Trinity no mousepad RISE M4A1, em 1000 Hz:

E para surpresa de ninguém, o Pixart PMW 3389 não aparenta ter nenhum problema.

O próximo teste é o teste de aceleração. O ideal sempre é que se o mouse for movido rapidamente 10cm para a direita, ele tenha o mesmo resultado que teria se fosse deslocado lentamente a mesma distância. 

Caso o mouse for mais longe do que o necessário no movimento rápido, é dito que o mesmo tem aceleração positiva. Caso a distância que ele percorreu seja menor no movimento rápido, ele tem aceleração negativa.

E se o mouse parou no mesmo lugar que antes, ele não tem aceleração nenhuma, o que caracteriza um resultado perfeito.

Sendo que este foi o resultado do Razer Naga Trinity usando o mousepad RISE M4A1, em 1000 Hz:

E temos um resultado perfeito, o que é de se esperar para o Pixart PMW 3389.

Chegando ao software, não há como eu fazer uma análise profunda do Razer Synapse 3 pois ele é gigantesco, por isso vou deixar apenas os positivos e negativos:

Pontos Positivos

  • Capaz de detectar cada uma das laterais, cada uma podendo ter funções e macros diferentes
  • Capaz de gravar e reproduzir movimentos do mouse, o que torna possível a criação de macros impossíveis em alguns concorrentes
  • Compatível com o Project Aurora devido ao SDK Aberto, sendo possível sincronizar ele com periféricos de outras marcas
  • Extremamente bem traduzido para PT-BR (embora as imagens mostram a interface em inglês)
  • Iluminação possui integração com diversos jogos e aplicativos
  • Interface prática e extremamente completa
  • Possui função "Hypershift", onde ao segurar um botão, a função de todos os outros botões/scroll muda, permitindo mais botões e macros
  • Possui quatro perfis para salvar na memória interna
  • Um dos melhores sistemas de macros do mercado

Pontos Negativos

  • Não é possível salvar as configurações de iluminação para a memória interna
  • O mouse trava um pouquinho ao abrir o software e fazer algumas mudanças em configurações
  • Requer registro e as informações do usuário

Um dos recursos mais interessantes deste mouse, é que cada uma das laterais possui configurações diferentes, a função dos botões com a lateral de 12 botões, pode ser completamente diferente da função da lateral de 7 botões.

Ou seja, você pode ter a lateral de dois botões configurada para funções básicas, a lateral de sete botões configurada para um certo jogo e a lateral de 12 botões configurada para outro jogo. Sensacional.

Agora, o que mais me incomodou com o software do Naga Trinity, é que se você tiver mais do que uma DPI configurada, algumas ações fazem o cursor do mouse travar por meio segundo, ações como trocar DPI, desligar e depois religar o monitor, bloquear o Windows e depois desbloquear...

E tudo isso deixa de acontecer se eu fechar o Synapse ou se eu deixar ele com apenas uma única DPI.

Trocou de DPI? O software faz o cursor travar por meio segundo. Religou o monitor? Trava por meio segundo. Bloqueou o PC e depois desbloqueou? Trava por meio segundo.

Claro, se você não trocar de DPI constantemente, isso pode não lhe incomodar e você pode se acostumar com as outras travadinhas, mas para quem usa DPIs diferentes e troca constantemente elas, a única forma dele deixar de travar, é usar os perfis internos.

E chegando aos perfis internos, embora mais das metades das funções e também as macros fiquem salvas nos quatro perfis internos que ele possui, se você tentar utilizar eles, o mouse não salva a iluminação atual para o perfil.

Não há como escolher as cores para os perfis, no modo hardware o mouse fica no modo "ciclo de cores" o tempo todo, trocando suas cores no espectro RGB até que você instale o software da Razer para fazer ele parar.

O Razer Naga Trinity não salva a iluminação para a memória interna

Mas, tirando estes dois problemas, o restante é realmente excelente, chegando ao ponto de permitir macros que movam o cursor do mouse e mostrando o quanto ainda há de memória interna para salvar macros, sendo que macros avançadas ocupam mais espaço do que macros simples.

Gostando ou não, o Razer Synapse é um dos melhores softwares do mercado para quem quer algo bem "completo", embora tende a não agradar quem prefere softwares mais leves, mais simples, sem necessidade de registro e que não tenham estes "problemas" que citei acima.

Enfim, estas são minhas principais críticas, são coisas que a Razer poderia muito bem resolver com uma atualização de software e firmware para o mouse e são a única razão para o mouse não gabaritar esta parte da análise.

Conclusão

 

Avaliação: Razer Naga Trinity

Construção Externa
10
Construção Interna
9
Desempenho
9,5
Preço - R$ 550
5

O Razer Naga Trinity é sem sombra de dúvidas o "melhor mouse para MMORPG" e também "um dos mouses mais modulares do mercado".

O sensor Pixart PMW 3389 que ele utiliza é o atual melhor sensor do mercado e muito superior aos sensores Philips utilizados previamente, a construção externa está impecável, a construção interna está bem feita, quase todos os problemas dos Nagas anteriores foram resolvidos e embora o Synapse não agrade a todos, há de se admitir que ele possui uma das melhores interfaces gráficas do mercado.

O Razer Naga Trinity resolveu quase todos os problemas de Nagas anteriores

O conceito de modularidade é excelente e hoje em dia mouses como o Razer Naga Trinity são úteis não apenas para MMORPG, mas também para jogos de Battle Royale, já que muitos possuem uma grande quantia de botões e pode não ser vantagem para o jogador tirar o dedo do WASD apenas para apertar a tecla "9" para usar um curativo. Aliás, essa é grande vantagem deste e de outros mouses, não ter que tirar os dedos do WASD para fazer diversas funções.

Enfim, minha principal crítica a este mouse é em relação ao peso. Embora mouses para MMORPG em sua totalidade sejam mais pesados que mouses normais, a proposta do Razer Naga Trinity é justamente sua modularidade para que possa satisfazer públicos diferentes e o peso de 120 gramas considerando o seu tamanho, é um tanto acima da média e pode desagradar alguns jogadores de FPS, especialmente quem está acostumado com mouses leves.

Não acho que seja necessário "encher de furos" e nem reduzir o peso dele para 80 gramas, mas se a Razer tivesse mantido as 105 gramas do Razer Naga 2014, não haveriam problemas.

E quanto ao preço? Aqui a coisa complica.

No exterior, o Razer Naga Trinity pode ser encontrado na faixa de US$ 80. Ele não é um mouse "custo x benefício", mas é um mouse topo de linha que vale este preço, ainda mais considerando sua modularidade.

Já no Brasil, ele está na faixa dos R$ 550 e é um tanto difícil defender este valor, mas maioria dos mouses similares, tal como o Corsair Scimitar PRO, estão na faixa dos R$ 300~400 e não oferecem os mesmos recursos que ele.

Enfim, para quem não se importa com o preço e quer um mouse modular que seja o "melhor para MMORPG", vá em frente e compre/importe o Razer Naga Trinity.

E para quem gostou da proposta, mas quer algo mais acessível, espere a análise do Havit MS760 que faremos em breve.

PRÓS
Construção Externa excelente
Botões Laterais modulares, com três opções para utilizações diferentes
Ótima Construção Interna
Sensor topo de linha Pixart PMW 3389
Software extremamente completo, bem traduzido e com um dos sistemas de macros mais completos do mercado
CONTRA
Peso de 120 gramas é um tanto acima da média para seu tamanho e pode incomodar algumas pessoas
Preço
  • Redator: Wellington Diesel

    Wellington Diesel

    Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 150 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.