ANÁLISE: HyperX Cloud MIX

Um ótimo headset gamer e fone Bluetooth, mas com um preço inadequado

Anotem bem isso, o HyperX Cloud Mix é um "Headset Gamer" através do fio e um "Fone de Ouvido" via Bluetooth.

Ele não é um "headset gamer Bluetooth". Aliás, isso atualmente não existe e eu vou explicar a razão.

Não quero perder o tempo de vocês e quero que vocês leitores saibam qual é o público indicado para este headset, então vamos inverter a ordem da análise, largando a primeira bomba logo na introdução:

Bluetooth não é adequado para headsets para jogos

"Mas e o headset da marca X?!?!?!", "Como assim, eu uso meu fone Bluetooth para jogar!"

Calma! Deixa eu explicar!

A razão pela qual o Bluetooth é inadequado para headsets para jogos, não é apenas a questão do atraso que vários fones Bluetooth possuem, que é causada pelo Codec utilizado.

Bons Codecs como o aptX e principalmente o aptX Low-Latency, ambos os quais o HyperX Cloud Mix possui, não possuem atraso perceptível, mas tanto o fone, quanto o aparelho, precisam ter suporte para eles, caso contrário será utilizado o SBC, que é compatível com maioria dos aparelhos, este sim tendo um atraso perceptível.

Também, o maior problema do Bluetooth não é a qualidade, isto também é questão do Codec e o HyperX Cloud Mix possui o aptX, que garante que em dispositivos compatíveis ele terá um áudio de alta qualidade, fora que sua assinatura sonora apresenta um bom nível de "tolerância" pois seus agudos são recuados, eu não consegui notar diferença na qualidade de áudio entre o SBC e o aptX nos testes com o fone, apenas na questão de atraso.

O maior problema do Bluetooth é a incapacidade de ter áudio de alta qualidade e microfone ao mesmo tempo.

O Bluetooth é incapaz de receber áudio de alta qualidade e transmitir o microfone ao mesmo tempo

"Que besteira! E eu atendo ligações e falo com meu fone Bluetooth usando o poder da mente por acaso?"

CALMA! Quando você recebe ligações, seu celular automaticamente altera o áudio para o modo Hands-Free, o qual diminui drasticamente a qualidade do áudio para que possa existir áudio e microfone ao mesmo tempo.

Você também pode escolher o modo Hands-Free em computadores. Através dele, é possível ter o áudio do jogo e falar no microfone ao mesmo tempo, mas o som é horrível e mono (um canal só).

A qualidade no modo Hands-Free pode ser descrita como "Rádio mal sintonizado embaixo d'água dentro do vaso de um banheiro fechado". Sim, é horrível assim mesmo. E é mono. M O N O.

E é por isso que os headsets gamer sem fio de marcas como Astro, Logitech, Corsair, Razer, Turtle Beach e outras marcas, em quase sua totalidade utilizam protocolos 2.4 GHz proprietários ao invés de usar o Bluetooth (que curiosamente também opera em 2.4 GHz e é apenas um dos milhares de protocolos que trabalham nesta frequência).

É por isso que quase todos os headsets gamer do mercado não utilizam Bluetooth e os poucos que usam, oferecem outras opções também

Alguns dos mais caros, tal como o SteelSeries Arctis Pro Wireless, chegam ao ponto de oferecer as três opções: protocolo 2.4 GHz proprietário, Bluetooth ou Com fio, sendo o Bluetooth a pior opção em qualidade, atraso e recursos.


Fonte: Review SteelSeries Arctis Pro - The Next Web

E os poucos "Bluetooth" similares ao HyperX Cloud Mix, tal como o SteelSeries Arctis 3 Bluetooth, também aconselham a utilização de cabo durante jogos devido à limitação do microfone no modo Bluetooth.

Aliás, é por isso que a própria HyperX coloca o Bluetooth como sendo um "extra" do produto. Notem que a descrição na página oficial coloca "+ Bluetooth" ao invés de ser o ponto chave do produto.


Fonte: https://www.hyperxgaming.com/us/headsets/cloud-mix-wired-gaming-headset-with-bluetooth

O HyperX Cloud Mix é um "headset gamer com fio" e também um "fone de ouvido Bluetooth".

Ele não é um "headset gamer Bluetooth", isso atualmente nem existe por limitações do próprio Bluetooth, limitações que fogem do controle da HyperX.

"Mas e se eu quero jogar totalmente sem fios no PC e usando o microfone do headset, o que eu faço?"

Você compra um headset que use um protocolo 2.4 GHz proprietário, tal como o Cloud Flight ou outro concorrente.

Devido a limitações do próprio Bluetooth, o propósito do HyperX Cloud Mix não é eliminar completamente os cabos de sua mesa, mas sim proporcionar um fone prático para que você possa usar ele no PC com o cabo tendo a melhor qualidade tanto no áudio quanto no microfone, e quando sair do computador para ir para a faculdade, ir deitar na cama, sair para casa de seus amigos ou outras atividades, possa usar ele no modo Bluetooth com seu celular.

O HyperX Cloud Mix não é o fone para quem quer eliminar os cabos de sua mesa, mas sim para quem quer facilmente utilizar o mesmo fone no PC com fio e no Celular via Bluetooth

Claro, dependendo o que você joga, a falta de microfone no modo Bluetooth pode não ser um problema, mas para boa parte do público será. Também, se você já tiver um microfone dedicado, tal como o HyperX QuadCast ou similar, a falta do microfone para jogos no modo Bluetooth não vai ser um problema.

Espero que no futuro essa limitação do Bluetooth seja resolvida, mas esta limitação é uma das razões pelas quais headsets sem fio para jogos são tão escassos no mercado enquanto fones Bluetooth existem aos montes.

Fazer um "headset gamer sem fio" não é só colocar um microfone em um fone de ouvido Bluetooth.

Também, embora todos os consoles atuais possuam Bluetooth, infelizmente nenhum fone de ouvido no modo Bluetooth é compatível com o PS4, Xbox One ou Nintendo Switch por estas empresas não permitirem. O único console que é compatível com fones Bluetooth (não contando o PS3, que envia apenas o áudio do Chat), é o PS Vita.

Seria cômico se não fosse trágico, mas felizmente existem alguns adaptadores de terceiros para utilizar fones Bluetooth nestes consoles, embora eu não tenho experiência com estes.

Enfim, é por isso que a HyperX oferece três opções sem fio, o Cloud Mix (Bluetooth), o Cloud Flight (2.4 GHz proprietário) e o Cloud Stinger (2.4 GHz proprietário), cada um deles com seu propósito.

Cloud Mix para usar com fio no PC e Bluetooth em celulares, Cloud Flight para eliminar os fios no PC e no PS4 e o Cloud Stinger Wireless como uma opção mais acessível para PC e PS4.

Os propósitos do Cloud Mix e Cloud Flight são diferentes

Se as limitações impostas pelo Bluetooth lhe desagradarem, você pode parar de ler a análise aqui e ler análises de outros headsets sem fio, tal como o Corsair Void Wireless e Logitech G933.

Também, a HyperX possui interesse em trazer para o Brasil outros headsets wireless como o Cloud Stinger Wireless e Cloud Flight no futuro para satisfazer este público que quer uma experiência "100% Wireless" no PC e PS4.

Já se você não se incomoda em usar o cabo quando precisa do microfone em jogos e quer também a "praticidade" de um fone Bluetooth, vamos em frente.

Construção Externa

A estrutura do HyperX Cloud Mix é a mesma que vários outros headsets da marca, uma tira de alumínio sendo usada para conectar as earcups, sem a capacidade de "girar", mas sem a fragilidade que fones deste tipo possuem, tendo inspiração no design dos fones da Beyerdynamic.

Mesmo com um tamanho reduzido em comparação com outros headsets da HyperX, o HyperX Cloud Mix ainda assim é um fone com um grande nível de ajustes, para que pessoas com cabeças de diversos tamanhos possam se sentir confortáveis com ele, até mesmo eu, que tenho uma "cabeça avantajada" e utilizo óculos.

Na lateral direita encontramos o controle de volume (o qual funciona apenas no modo Bluetooth), um LED que indica quando o Bluetooth está ligado, o botão para ligar o Bluetooth, e a entrada micro-USB para recarregamento.

Na lateral esquerda temos um pequeno buraco na forma de uma "listra", que é onde está o microfone do modo Bluetooth (não funciona via cabo), em seguida o local de encaixe do microfone (não funciona no modo Bluetooth), o buraco de encaixe do cabo e em seguida o botão Play/Pause/Assistente para o modo Bluetooth (não funciona via cabo).


Como podem perceber, há uma mistura de recursos que funcionam apenas no cabo ou apenas no Bluetooth.

Há recursos do HyperX Cloud Mix que funcionam apenas no Bluetooth ou apenas no cabo

Um detalhe que não me agradou nestes fones, é que parte do acabamento das laterais, na parte onde estão os botões e conectores, é emborrachado.

Embora de início isto não seja um problema, acabamentos emborrachados tendem a riscar com facilidade, desgastar com o tempo e após alguns anos ele estará descolando, grudento e muito feio, considero extremamente desnecessário a utilização deste tipo de acabamento em fones de ouvido e me pergunto se é proposital ou não.

Pesando 260 gramas, o HyperX Cloud Mix me impressionou com este peso, sendo mais leve do que o seu irmão HyperX Cloud Alpha mesmo tendo o Bluetooth e uma bateria interna capaz de aguentar 20 horas com um volume mediano.

Ele é menor e mais leve do que headsets sem fio como o Logitech G933 ou Corsair HS70, especialmente devido aos falantes de 40mm que ele utiliza. E mais confortável também.

Mas o que realmente me impressiona, é como a HyperX conseguiu fazer algo tão confortável em uma earcup tão pequena, em um fone com tão pouco peso mesmo tendo uma estrutura em metal. Os designers estão de parabéns.

O peso, conforto, tamanho e construção do HyperX Cloud Mix me impressionaram, os designers estão de parabéns

Continuando, temos agora as almofadas deste fone de ouvido, as quais são de courino. Embora sejam extremamente confortáveis e fofas, o courino é um material polêmico, ainda mais para um fone que custa R$ 1.300, faixa de preço onde maioria de seus concorrentes utilizam outros materiais, tal como camurça sintética, veludo ou malha esportiva.

O courino possui melhor isolamento e proporciona melhor resposta nos graves. O problema do courino, é que ele tende a desgastar com o tempo e não possui nenhuma ventilação, fazendo com que alguns usuários tenham problemas de suor, o que também acaba acelerando o processo de desgaste.

Já "malhas esportivas" são laváveis, são superiores em durabilidade e permitem que haja circulação de ar, assim usuários com problemas de suor não se sentirão desconfortáveis. O problema da malha, é que ela acaba permitindo o vazamento e entrada de áudio, havendo menos isolamento acústico e também uma pior resposta nos graves.

O gamer que mora em um local quente vai preferir malha esportiva, a pessoa que quer usar o fone no ônibus vai preferir courino, a pessoa que quer usar ele em exercícios físicos vai preferir malha esportiva, o outro que mora em um local barulhento e quer isolamento, vai preferir courino...

Para mim, a malha esportiva é a melhor por ser mais durável, mas dependendo o uso, o courino pode ser aconselhável.

Então qual deles a HyperX deveria ter usado na minha opinião? Bom, que tal incluir os dois tipos na caixa, já que este fone custa R$ 1.300 / US$ 200? Ou pelo menos um único par de almofadas extras?

Falando em extras, assim como o HyperX Cloud Alpha no qual ele é baseado, temos um cabo removível de 1.3 metros com um conector que deixa ele bastante firme e um conector 3.5mm TRRS (popular "P3") na outra ponta.

Como já falei em várias outras análises e vou continuar falando, por favor, se for para projetar o cabo para ele ser usado em consoles e celulares, por tudo o que é mais sagrado, façam ele curvado (no formato de um "L"), pois o conector "reto" só atrapalha, ocupa espaço, dificulta o encaixe e impede que você descanse com o celular/controle/console no colo.

E por último, temos uma extensão para uso em PCs de 2 metros, tendo na outra ponta os dois cabos necessários para conectar na maioria dos Desktops.

Enfim, a construção externa do HyperX Cloud Mix é muito boa, houve todo um cuidado para trazer apenas os melhores aspectos do HyperX Cloud Alpha, mas corrigindo outros que poderiam ser ruins para um fone Bluetooth. As almofadas não estão tão grossas, a earcup é menor, o peso é consideravelmente menor, mas mesmo assim ele mantém uma estrutura muito robusta.

Mas, para um fone de R$ 1.300 / US$ 200, ele deveria no mínimo incluir um par de almofadas extras, o ideal sendo que ele acompanhasse almofadas em malha esportiva para que jogadores com problemas de suor, que morem em locais quentes ou pessoas que queiram utilizar ele em exercícios, possam usar o fone confortavelmente.

Ah, antes que eu me esqueça: PAREM DE USAR ACABAMENTO EMBORRACHADO EM FONES DE OUVIDO!

Qualidade Sonora

O áudio do HyperX Cloud Mix é muito parecido com o HyperX Cloud Alpha, até porquê ambos são alguns dos headsets mais recentes da HyperX e ambos utilizam a tecnologia "Dual-Chamber", que separa em câmaras diferentes as áreas do alto-falante responsáveis por frequências diferentes, para que supostamente uma frequência não afete e outra e haja mais profundidade nos graves junto com clareza nos médios e agudos.

A assinatura sonora do HyperX Cloud Mix é bastante quente, muita ênfase nos graves, médios aceitáveis e agudos recuados. Embora o foco deste tipo de assinatura é proporcionar um som "agradável para tudo", não é o que eu consideraria como "melhor para jogos", já que o recuo nos agudos é o suficiente para dificultar a audição de certos sons que pertencem a esta faixa de frequência, seja em músicas ou jogos.

O HyperX Cloud Mix possui uma assinatura sonora "quente", com graves fortes, médios aceitáveis e agudos recuados

Na minha opinião, ele parece até um pouco pior nos detalhes dos agudos e palco sonoro do que o próprio Cloud Alpha, possivelmente por utilizar um alto-falante e câmaras internas menores, mas não tenho certeza pois não tenho mais ele em mãos. Ainda assim, este é um dos pontos fracos deste fone na minha opinião, a HyperX focou demais em tornar o áudio dele "agradável" e acabou não se focando muito em "detalhamento".

Enfim, o HyperX Cloud Alpha é um excelente headset da faixa dos R$ 500, mas será que vale a pena pagar R$ 1.300 por uma versão Bluetooth dele sem melhoras no áudio? Não. Preços diferentes, exigências diferentes.

Será que vale a pena pagar quase três vezes por uma versão Bluetooth do Cloud Alpha?

Para esta diferença, se espera um melhor controle e impactos nos graves, além de uma nitidez muito superior em seus médios e principalmente agudos, para que detalhes estejam mais expostos.

E se o fone não entregar um melhor áudio, se espera que seus novos recursos e extras façam compensar tal diferença, o que infelizmente não é o caso do HyperX Cloud Mix, só o Bluetooth não é capaz de justificar quase o triplo do preço.

O HyperX Cloud Mix não consegue justificar os R$ 1.300 nem em seu áudio, nem em seus recursos e extras

Continuando, o HyperX Cloud Mix possui o certificado "Hi-Res Audio". O que isso quer dizer?

Hi-Resolution Audio é um formato e certificação da Sony para gravações de áudio e equipamentos capazes de reproduzir áudio com qualidade superior à disponível em CDs e na maioria dos serviços de streaming, com bit-rate de 24 bit e sample-rate de 96 kHz ou até mais do que isso, para que detalhes da música não sejam perdidos com a compressão e haja uma melhor representação de como o áudio realmente era na gravação original.

Claro, para que você possa usufruir do Hi-Res Audio, você precisa de um equipamento capaz de reproduzir ele e também músicas que estejam neste formato.

Então, vamos testar isso, temos uma placa EVGA Nu Audio de US$ 200 e algumas músicas "Hi-Res" (24 bit/96 kHz) em formato WAV que acompanham a placa de som. Também, temos o Sennheiser GSP 550 e o Beyerdynamic DT990  para comparativo, ambos na mesma faixa de preço que o HyperX Cloud Mix.

Nenhum deles possui o selo "Hi-Res" e os dois possuem uma faixa de frequência menor que o HyperX Cloud Mix (10 hZ até 40 khz), sendo o Sennheiser GSP 550 capaz de reproduzir sons entre 10 hZ~30 kHz e o Beyerdynamic DT 990 sendo capaz de 5 hZ até 35 kHz.


E na prática, o resultado é uma surra. Não consigo ver o HyperX Cloud Mix como um fone "audiófilo" e o "Hi-Res Audio" acaba não tendo valor algum para ele, especialmente quando a nitidez de seus agudos não é nada impressionante, ficando bem atrás em detalhamento perto destes dois fones e até de fones mais baratos que estes dois.

Embora sejam excelentes no papel e prometam melhor qualidade, selos como o "Hi-Res Audio", "THX" e tantas outras certificações pagas, não passam de selos utilizados para marketing, o fato de um fone ter ou não ter um selo destes, pouco importa...

Enfim, não estou dizendo que o áudio do HyperX Cloud Mix é "ruim", não é de forma alguma, é bom, mas não o suficiente para um selo "Hi-Res" ou para custar R$ 1.300.

Microfone

O HyperX Cloud Mix possui dois microfones, um para o modo Wired (com fio), o qual é removível, e outro para o modo Bluetooth, que é esta pequena "listra" na lateral. Não é possível usar o microfone de um modo no outro.


O HyperX Cloud Mix possui dois microfones, um para o modo Wired, outro para o modo Bluetooth

Este é o microfone do headset no modo Wired (com fio), lembramos que em nossos testes utilizamos a placa de som EVGA Nu Audio para sempre extrair a melhor qualidade possível do microfone, e com todos os efeitos desligados. Caso o seu não fique no mesmo nível, sugerimos que invista em uma placa de som externa.

O microfone é ótimo, capta todas as frequências da voz extremamente bem, embora não está no mesmo nível que os headsets Sennheiser GSP que estão nesta faixa de preço.

Há um pouco de vazamento dos próprios alto-falantes do fone, especialmente em volumes médios ou altos, mas nada exagerado. Ainda assim, para o preço é de se esperar um pouco mais. efeitos como "cancelamento de eco acústico" irão fazer o retorno sumir completamente, embora ao custo de um tanto da claridade da voz.

Já este é o áudio no modo Bluetooth, conectado em um computador:

Conclusão

 

Avaliação: ANÁLISE: HyperX Cloud MIX

Preço - R$ 1300
3
Construção
9
Conforto
9.5
Qualidade de Áudio - Relativa ao Preço
7
Microfone
8

O HyperX Cloud Mix é "quase" uma versão Bluetooth do Cloud Alpha, tendo várias das mesmas características, qualidade sonora similar, microfone similar, almofadas similares e um cabo quase idêntico, mas tendo melhorias na questão de portabilidade graças ao menor tamanho e peso.

E assim como o HyperX Cloud Alpha, o HyperX Cloud Mix é um ótimo headset, com uma construção bastante caprichada, uma assinatura sonora focada em entregar um som bem "quente", com forte ênfase em graves mas sem deixar completamente de lado as outras frequências.

Porém, na minha opinião ele poderia ter um pouco mais de controle sobre estes graves e mais de nitidez em seus agudos, o Sennheiser GSP 550 faz algo muito parecido, mas com resultados consideravelmente melhores.

Ele é um excelente headset para uso geral, seja em jogos, músicas ou filmes, e sua praticidade para alternar entre o modo com fio para jogos e Bluetooth com 20 horas de bateria, é o seu maior ponto positivo, mas a sua qualidade de áudio não impressiona para o preço atual. Aliás, nenhum aspecto impressiona para o preço de R$ 1.300 / US$ 200.

O HyperX Cloud Mix suporta vários Codecs usados por dispositivos Bluetooth, os principais sendo o SBC, aptX e aptX Low-Latency. Embora o SBC seja compatível com maioria dos dispositivos do mercado, apenas o aptX proporcionará uma experiência sem atraso perceptível, então verifique que tanto o fone, quanto seus aparelhos possuam suporte para aptX caso não queiram atraso em seus fones Bluetooth.

É triste saber que o Bluetooth é incapaz de transmitir áudio de alta qualidade e microfone ao mesmo tempo, seria realmente muito legal poder usar o Cloud Mix o tempo todo sem cabos em tudo, mas infelizmente esta é uma limitação que foge do controle da HyperX, todo headset Bluetooth é assim e a qualidade no modo Hands-Free (que permite áudio e microfone ao mesmo tempo), é lastimável.

Atualmente não existe "headset gamer Bluetooth", existem alguns "headsets gamer com fio" que possuem também a funcionalidade de "fone de ouvido Bluetooth". HyperX Cloud Mix e SteelSeries Arctis 3 Bluetooth sendo exemplos.

E agora chegamos ao mais polêmico de tudo: preço. Resumidamente, sim, ele está bem acima do adequado.

O HyperX Cloud Mix foi lançado pelo preço de R$ 1.300 e este valor realmente não combina com ele, especialmente considerando que sua qualidade de áudio e construção é similar a fones da faixa dos R$ 500~600, tal como o headset com fio HyperX Cloud Alpha (R$ 500) e o fone Bluetooth Edifier W855BT (R$ 600). O preço está tão alto, que dá pra pagar os dois, os fretes e algumas pizzas.

Nem o preço no exterior está bom, custando US$ 200 enquanto é possível comprar um SteelSeries Arctis 3 Bluetooth pela metade, o qual só é inferior no Bluetooth por não possuir aptX, mas em outros aspectos sendo equivalente. A faixa de preço adequada para este headset é entre US$ 120~140.

E não há como comparar o áudio e microfone do HyperX Cloud Mix, com o Sennheiser GSP 550 (R$ 1.300), são dois níveis completamente diferentes, o GSP 550 justifica melhor seu preço, mesmo não tendo Bluetooth.

Comprar produtos da HyperX no lançamento é quase sempre mal negócio pois o preço tende a ser consideravelmente menor após algum tempo, mas há outras razões que levaram a este valor, tal como o custo da licença da ANATEL (exigido para produtos sem fio), o Dólar a 4 reais, a atual guerra comercial entre EUA vs China e alguns novos impostos criados pelo governo.

Não é apenas a HyperX, há outras marcas sofrendo com os preços de lançamentos, os mouses da Cougar que recebemos estão ambos quase o dobro do que deveriam... Um headset da Cooler Master que recebemos, e que é um dos "melhores Custo x Benefício" nos EUA, deveria estar na faixa dos R$ 400, mas está por R$ 550... A situação está feia.

O HyperX Cloud Mix é um bom fone, mas que por uma variedade de fatores, muitos fora do controle da HyperX, está com um preço ruim

Enfim, não há como defender este valor, mas quero acreditar que no futuro o HyperX Cloud Mix possa ser encontrado por valores menores, talvez na faixa dos R$ 700~900, que seria ideal para ele, ele é um bom fone, só está com o preço errado.

Mas... Eu só posso ser otimista...

PRÓS
Boa qualidade sonora
Excelente construção, mais portátil do que outros headsets da HyperX mas mesmo assim mantendo uma ótima robustez sem ser pesado
Excelente conforto, especialmente para o tamanho reduzido de suas earcups
Suporta os Codec Bluetooth aptX e aptX Low-Latency
CONTRAS
Assim como qualquer outro headset Bluetooth, é incapaz de transmitir áudio de alta qualidade e microfone ao mesmo tempo no modo Bluetooth
Preço, sendo que o áudio, recursos e extras não fazem jus aos R$ 1.300
  • Redator: Wellington Diesel

    Wellington Diesel

    Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 150 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.