ANÁLISE: GALAX XANOVA Pulsar XK400

Um bom teclado com um bom preço, mas...

Primeiro de tudo, o Galax XANOVA Pulsar nada mais é do que uma versão maior e com mais recursos do Rantopad MXX, com numérico, controle de volume e software

Isso é ruim? Não, remarcações só são ruins quando o produto remarcado é ruim, o que certamente não é o caso do Rantopad MXX, que é conhecido por ser um dos teclados com switches Cherry mais baratos para importar.

Mas, o que o Galax XANOVA Pulsar traz à mesa? Como ele se compara com seus principais concorrentes? E vale o preço? É o que veremos a seguir:

Construção Externa

O Galax XANOVA Pulsar é um teclado com o que chamamos de "teclas flutuantes", a lateral de seus switches são expostas, e a backplate, a placa utilizada para suporte dos switches, é utilizada como capa frontal, inclusive tendo escrito "XANOVA" nas laterais.


No topo do teclado, encontramos também um controle de volume, que curiosamente também pode controlar o brilho. Para decidir entre o brilho ou o volume, basta apertar um dos dois botões ao lado e então o scroll corresponderá à função de cada botão.

Já no verso do teclado, encontramos enormes pés emborrachados, que mantém o teclado bastante seguro no lugar, e pés de ajuste de altura também emborrachados.

As keycaps são feitas em plástico ABS e utilizando o método de impressão Laser. Toda a camada escura da keycap é tinta, aplicada através de um método de envelopamento, enquanto que as partes transparentes são partes onde a tinta foi removida com o uso de um laser.

Este não é um dos melhores tipos de impressão que há no mercado, mas é o mais versátil, pois permite desenhos translúcidos elaborados e também que o teclado seja lançado em uma ampla gama de layouts (ex: ABNT2, Alemão, Italiano, Britânico, etc...) sem que seja necessário um grande investimento como seria para fazer keycaps Double-Shot.

Ainda assim, no mercado brasileiro já estão surgindo empresas com keycaps ABNT2 Double-Shot, exemplos sendo a Redragon, Havit e Fortrek. Se essas empresas conseguem fazer teclados ABNT2 com keycaps de alta qualidade, não há razão para outras não serem capazes do mesmo.

Falando em ABNT2, o Galax XANOVA Pulsar, assim como vários outros teclados, usa uma fonte que na verdade não possui o Ç e outros caracteres do ABNT2, então o Ç e outros caracteres adicionais usam uma fonte bastante diferente do restante das teclas.

Mas, diferente do que ocorre em alguns concorrentes onde acaba ficando bastante evidente esta diferença, esse não é o caso do Galax XANOVA Pulsar, pois em primeiro lugar ele já usa duas fontes diferentes, uma para os caracteres e outra para todas as teclas ao redor. A fonte utilizada na tecla "A", não é a mesma para o "Alt".

Como já existe essa discrepância, a existência de uma terceira fonte apenas para os caracteres do ABNT2, acaba não sendo tão estranha, embora não seja o ideal.

Ainda assim, na minha opinião a fonte "gamer" escolhida para as teclas principais e muito visível nas teclas Q, A e G, é a pior das três fontes presentes no teclado e seria melhor se não fosse utilizada.

Um ponto positivo do Galax XANOVA Pulsar porém, é que ele segue o padrão de tamanho utilizado por maioria da indústria para o bottom row.

Explicando em melhores palavras, as teclas CTRL, Windows, ALT, Espaço, etc..., seguem o padrão mais comum da indústria e isso permite que seja possível encontrar keycaps compatíveis com maior facilidade, incluindo as keycaps ABNT2 Double-Shot que estão surgindo em alguns teclados de concorrentes e que possivelmente serão vendidas separadamente no futuro.

Se eu quiser, posso usar todas as keycaps de melhor qualidade do Havit KB432L, que eu coloquei no meu Ducky One 2 ABNT2 (atenção: esse teclado é um protótipo cancelado), e elas terão 100% de compatibilidade, diferente do que irá ocorrer com os teclados da Corsair por exemplo, que por possuir um "bottom row" fora do padrão, estas teclas não irão encaixar.

Enfim, a construção externa do Galax XANOVA Pulsar é o que se espera para o preço. Os materiais utilizados são caprichados, todos os pés e os ajustes são emborrachados e a estrutura é muito firme.

Seu único ponto negativo são as suas keycaps, sendo feitas em ABS com acabamento de tinta envelopado e impressão via Laser, e em termos de qualidade são apenas "medianas", não irão desgastar ao ponto de desaparecer a legenda com o tempo, mas podem mostrar pequenos desgastes, marcas escuras (desgaste via polimento) e ficam com aparência de "sujas" quando há muita umidade no ar.

Estas keycaps por enquanto ainda são aceitáveis para seu preço, mas já estão surgindo no mercado brasileiro alguns teclados ABNT2 Double-Shot e espero que em teclados futuros a marca pense em investir nisso.

Construção Interna

Primeiro antes de abrirmos o teclado, quero deixar claro ao público que temos duas unidades do Galax XANOVA Pulsar, a primeira, e que apresenta problemas nas soldas, e a segunda que recebemos e que está consideravelmente melhor, mas não está dentro dos mesmos padrões de teclados que costumamos receber aqui.

Vamos começar pela primeira unidade, a qual apresenta os maiores problemas:

Os resíduos de fluxo de solda e a ausência do processo de limpeza na PCB demonstram uma falta de capricho por parte da OEM, mas não são ruins como as imagens fazem parecer, isso não é oxidação, é só falta de capricho.

Mas, há outros problemas pois as soldas through-hole (que atravessam a PCB) destes teclados parecem ser feitas manualmente, há algumas soldas frias, há respingos de solda na própria PCB e uma das trilhas tem sinais de dano.


Não há nenhum problema em suas soldas SMD, então curiosamente se este teclado utilizasse LEDs SMD (como faz o seu irmão Magnetar) e sockets hot-swap da Kailh (para switches removíveis) ou então switches ópticos, ele não teria problema em solda alguma pois o processo de fabricação seria totalmente automatizado.

Por isso que teclados ópticos gabaritam a construção interna nas análises, todo o processo é automatizado por máquinas especializadas em soldas SMD, e as chances de ocorrerem falhas são menores do que as soldas "through-hole" (soldando pinos que atravessam a placa) que maioria dos teclados mecânicos utilizam.

E aqui temos uma situação bastante complicada, para verificar se seria algum problema específico deste teclado, abri também o Galax XANOVA Magnetar que tenho. Felizmente, a situação interna está bem melhor que seu irmão Pulsar, sem nenhuma solda fria, nenhum respingo e parece que houve uma melhor atenção à higienização. Não está no nível de veteranas como a iOne ou Solid Year, mas sem problema nenhum:

Ao entrar em contato com a GALAX, a mesma ofereceu para enviar uma segunda unidade do Galax XANOVA Pulsar, a qual abrimos abaixo:

Nesta segunda unidade também temos o mesmo resíduo de limpeza "feio", mas não há problema nele. Não encontramos respingos de solda, mas há dois pontos com solda fria nos LEDs e por alguma razão alguns dos pinos dos LEDs foram entortados em 5 teclas, o que também não é uma boa prática.


Mas está bem melhor que a primeira unidade.

Após postar as imagens da construção interna do primeiro Pulsar no grupo do Facebook "Periféricos High End", recebemos a seguinte resposta do representante da GALAX, Ronaldo Buassali:

"Não tenho expertise em periféricos, por isso não teria argumentos (contra ou a favor). Como GALAX, posso assegurar que qualquer pessoa que comprar o produto e tiver qualquer defeito, terá seu produto trocado dentro do seu prazo de garantia.(...) Pode ser também que sejam ES (Engineering Samples), lote defeituoso ou mesmo defeito da unidade, não sei, vou procurar saber.
A GALAX é uma empresa nova em periféricos e investe muito nisso, não deve medir esforços para corrigir (se não for caso isolado). De qualquer forma, não haverá nenhuma importação de teclados a partir de agora até a solução completa do problema."

E como podemos constatar na segunda unidade que abrimos, os problemas da primeira unidade não são regra, mas há de se admitir que mesmo na segunda unidade o Galax XANOVA Pulsar não está no mesmo nível de qualidade que os teclados da iOne ou Solid Year que costumo abrir nas análises aqui no Adrenaline.

A GALAX já está trabalhando para que o controle de qualidade seja melhorado e a garantia de três anos da marca cobrirá qualquer problema. Até o momento não há registro de nenhum caso de RMA dos teclados da linha GALAX XANOVA.

Recursos e Extras

Já introduzimos a roda de volume/brilho antes, mas há outros recursos no teclado através da Tecla FN.

  • FN + F1 = Calculadora
  • FN + F5 = Abre o "Meu Computador"
  • FN + F6 = Play/Pause
  • FN + F7 = Faixa Anterior
  • FN + F8 = Próxima faixa
  • FN + F9 = Liga o modo Gaming, desabilitando algumas teclas (veremos sobre isso no software)
  • FN + F10 = Liga a iluminação customizada, onde apenas algumas teclas ficam ligadas
  • FN + F11 = Troca o efeito de iluminação do teclado
  • FN + F12 = Troca o efeito reativo (efeito ao pressionar uma tecla) da iluminação do teclado

Primeiro de tudo, temos a aba inicial do software:

Antes de mais nada, é muito estranho, senão inadequado, que um teclado vendido no Brasil em ABNT2 não possua um software com interface traduzida para PT-BR.

Mas, ao invés de ficar apenas reclamando, decidi verificar se é possível modificar os arquivos do software para tentar traduzir ele, algo que já fiz em outras análises. E a resposta é sim, mas acabei fazendo uma descoberta muito interessante ao examinar o código fonte do arquivo responsável pelo idioma do software:

Sim, o software do Galax XANOVA Pulsar e também do Galax XANOVA Magnetar, foi projetado pela SteelSeries! E isso explica porquê uma empresa novata como a Galax conseguiu fazer um software muito melhor do que outras empresas com mais experiência na área do que ela (*coff*Motospeed*coff*).

Outro detalhe interessante, é que o software foi projetado para um teclado que teria iluminação RGB nas laterais, algo que o Galax XANOVA Pulsar obviamente não possui. Será que a Galax planejava lançar este teclado com isto e acabou cancelando? Ou seria este um spoiler para futuros teclados da marca?

Continuando, foi possível traduzir o software completamente? Sim! O link para download da tradução é este, basta apenas substituir os arquivos na pasta da instalação do software.

Download da tradução do software do galax xanova pulsar

Infelizmente, não consegui trocar a imagem do teclado americano que aparece no software e também há os seguintes problemas no software devido ao layout ABNT2:

  • A tecla "Contrabarra" de teclados americanos, configura a tecla "Fechar Colchete" de teclados ABNT2
  • Teclas "Contrabarra", "Interrogação" e o "Ponto do Numérico" não podem ser configuradas

Espero que a Galax consiga resolver isto em uma atualização, adicionando também uma tradução oficial para PT-BR.

Começando então, temos aqui então a tela inicial, onde já temos alguns recursos interessantes, incluindo um que quase nenhum outro concorrente possui: ajuste de de-bounce, o qual eu traduzi para "Aumente se há double-click".

E o que diabos é isso? Um pequeno "atraso" BENÉFICO que tem como objetivo evitar o reconhecimento de "cliques falsos" quando você aperta o botão. Resumidamente, switches mecânicos, seja em mouses, teclados e eletrônicos no geral, possuem um efeito chamado "bounce", que é o próprio metal utilizado para contato tremendo e gerando registros falsos, os quais podem acabar sendo reconhecidos se não houver algum mecanismo de segurança.

Um destes mecanismos de segurança, é o de-bounce time, também conhecido como Button Response Time, um atraso para que o pressionar do botão só seja reconhecido depois que o sinal estabilizar. Ou seja, o atraso de de-bounce é um atraso para esperar até que os contatos de metal parem de tremer.

Com o tempo e uso, a maleabilidade dos metais do contato começa aumentar, fazendo ele tremer por mais tempo. Se este tempo for maior que o tempo de de-bounce, aparece o famigerado problema de apertar uma tecla e aparecer duas vezes. Apertar o "A" e aparecer "AA", o double-click.

Mas por quê, então, poucas empresas permitem que esse tempo seja ajustado em mouses e teclados?

Porque gera mais problemas do que resolve! As pessoas irão colocar o menor valor possível, pensando que assim terão melhor desempenho em jogos, e com pouco tempo de uso o teclado ou mouse vai dar double-click.

Depois disso, ao invés de aumentar o valor do Button Response Time/De-Bounce, vão acionar o RMA e vai gerar dor de cabeça para a fabricante, quando ela poderia ter configurado esse atraso para um valor fixo e alto para evitar tudo isso.


Tt eSports Ventus R, um dos poucos mouses com Button Response Time ajustável

Também, o double-click é algo que normalmente ocorre com o tempo, muitas vezes um tempo depois da garantia terminar. Maioria das pessoas não seguem tutoriais para aumentar a tensão dos contatos, limpar os contatos com álcool isopropílico ou então trocar a peça com problema, optando por trocar o teclado ou mouse inteiro.

Se as empresas dessem a opção de aumentar o tempo de de-bounce e assim consertar o problema de double-click de forma fácil, essas pessoas talvez não trocariam de mouse ou teclado.

Obsolescência programada? Imagina, é claro que não! ;)

Outro recurso desta mesma tela, é o Modo Gaming, o qual simplesmente desativa algumas teclas e combinações de teclas que podem atrapalhar você durante um jogo. É possível selecionar quais serão desabilitados.

Também, nesta mesma tela podemos clicar nas teclas do teclado para trocar suas funções:

Há uma grande gama de opções, nesta parte realmente sendo bastante parecido com o o software da SteelSeries:


Em seguida, temos a aba de Iluminação deste teclado, a qual é extremamente caprichada, mesmo o teclado tendo apenas uma cor:

Também, é possível configurar efeitos reativos em cima destes efeitos de iluminação. E o que é isso? Simples, efeitos que são acionados ao pressionar qualquer tecla, tal como uma onda se formar ao redor ao pressionar a tecla "D".

E por último, temos o Efeito Equalizador. Tudo o que ele faz é simplesmente reagir ao que você está escutando e por incrível que pareça o Galax XANOVA Pulsar faz um bom serviço para este efeito, mesmo só tendo uma cor:

Agora no sistema de macros as coisas ficam meio confusas, e juro que não é culpa da minha tradução:

No topo, temos as opções de atraso para execução da macros. Na parte de baixo, podemos inserir manualmente atrasos ou gravar após ou antes de um certo ponto da macro. No lado direito temos a macro em sí, onde é possível editar a ordem e editar a tecla pressionada (clicando no ícone do lápis).

Assim como infelizmente ocorre em MUITOS outros softwares, o software do Galax XANOVA Pulsar na verdade permite que você crie macros com botões do mouse, mas acaba deixando a opção "escondida". Para criar uma macro envolvendo botões do mouse, você deve primeiro criar a macro usando teclas do teclado, clicar no botão do "Lápis" (Editar) e clicar com o botão do mouse que quer nessa nova caixa que abrir.

Enfim, o que acabou impedindo o Galax XANOVA Pulsar de gabaritar este segmento, é a sua interface, a qual precisa de algumas melhorias, especialmente na questão da interface de macros, para facilitar o entendimento do sistema para quem não entende sobre como macros funcionam, assim como a SteelSeries Engine faz.

A "base" do software pode ter sido projetada por programadores SteelSeries e é excelente, mas acabou faltando um pouco mais de capricho na interface gráfica, a qual pode ser "simples e leve", mas não é bonita e nem muito intuitiva.

Também, o teclado poderia ter um SDK Aberto, o que permitiria que seus recursos expandissem através do software de iluminação Aurora, permitindo assim compatibilidade com jogos, novos efeitos, indicadores de uso de hardware, etc... Impossível não parece ser, especialmente considerando que a SteelSeries esteve por trás deste software.

Conclusão

 

Avaliação: GALAX XANOVA Pulsar XK400

Construção Externa
8
Construção Interna - Nova Unidade
7
Recursos e Extras
9.5
Preço - R$ 300
8.5

O Galax XANOVA Pulsar é um teclado com um visual bastante interessante, switches de alta qualidade Cherry MX Brown, rodinha para controle de volume e do brilho, uma excelente gama de recursos em seu software, o qual curiosamente foi feito pela SteelSeries, e um sistema de iluminação muito caprichado mesmo tendo apenas uma cor.

Seu maior concorrente direto é o Corsair K68, o qual apresenta maioria dos mesmos recursos, mas possui um software um pouco melhor trabalhado, apoio para punho, resistência a líquidos e compatibilidade com o Aurora, o que acaba ampliando os recursos que ele possui.

Ambos são excelentes teclados com uma faixa de preço adequada para o seu nível de qualidade e recursos, especialmente para quem não se importa com RGB e procura um teclado ABNT2 de alta qualidade, mas atualmente o Galax XANOVA Pulsar possui a vantagem no preço, estando quase 100 reais mais barato, por R$ 300.

Por este valor, ele vale a pena mesmo com as falhas na construção interna, as quais a GALAX já está trabalhando em cima e que serão cobertas pela garantia de três anos que a GALAX oferece para este teclado, desde que ele seja registrado na página da empresa em até 30 dias após a compra.

De acordo com a GALAX Brasil, não há nenhum caso de RMA para este teclado até o momento.

PRÓS
ABNT2
Boa gama de recursos
Bom Custo x Benefício
Excelente software
Possui ajuste de de-bounce, o que ajuda a prevenir problemas de double-click no futuro
Switches de alta qualidade Cherry MX
CONTRA
Construção interna abaixo de alguns concorrentes
Keycaps de qualidade mediana e com uma fonte exagerada
  • Redator: Wellington Diesel

    Wellington Diesel

    Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 150 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.