ANÁLISE: Gigabyte Z390 AORUS Master

Ótimo acabamento, materiais de alta qualidade e as tecnologias mais recentes do mercado

Recebemos da Gigabyte a placa-mãe Z390 AORUS Master, segunda placa mais poderosa da linha AORUS, já que a empresa anunciou recentemente o modelo Z390 AORUS Xtreme, que passou a ser a topo de linha com o novo chipset da Intel para placas soquete LGA 1151 v2.

Como temos destacado, os processadores Intel Core de 9ª geração são suportados por todos os chipsets série 300, sendo necessária apenas uma atualização de BIOS da placa-mãe. Entre os maiores (únicos) diferenciais, está o suporte para memórias com frequência mais alta, suporte a USB 3.1 Gen2 nativamente pelo chipset e também o suporte ao WiFi 2x2 Wave2 e Bluetooth 5.0 como aconteceu com o chipset H370.

A Gigabyte Z390 AORUS Master foi lançada em cenário internacional por US$289,99, mesmo valor de outros modelos concorrentes que analisamos ou iremos analisar, como a Asus Maximus XI HERO (Wi-Fi). No Brasil ainda não temos preço definido para a placa.

Site oficial da placa-mãe Gigabyte Z390 AORUS Master

Análise do processador Core i5-9600K
Análise da placa-mãe Asus Maximus XI HERO (Wi-Fi)


Tecnologias


As tecnologias são praticamente as mesmas da placa da Asus já destacada acima, sendo essa placa um modelo diferenciado trazendo o que existe de melhor para a plataforma soquete LGA 1151 v2. Destacamos o alto acabamento, tecnologias Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac 2x2 com suporte a MU-MIMO chegando a velocidade de 1.73 Mbps e Bluetooth 5.0.

São no total três conectores para SSDs M.2, todos eles com dissipadores. O  chip de áudio é sempre o mesmo Realtek ALC 1220 utilizado em praticamente todas as mainboards de alto desempenho, adicionando componentes e chip que buscam entregar melhor fidelidade e efeitos de áudio, como o ESS 9118 SABRE DAC.

LEDs RGB e suporte para "fitas" de LED já se tornaram padrão, ajudando a placa a ficar mais bonita visualmente, além de ajudar com o fator personalização do sistema.

Além de tudo, também é um modelo com projeto diferenciado para overclock, buscando tirar o máximo dos processadores da linha "K". São 12 controladores de fases no total, além de outros componentes de alta qualidade utilizados em placas para servidores, que buscam o máximo em estabilidade.


Fotos


Acabamento e visual de primeira qualidade, normal e esperado para esse nível de produto. Talvez, entre os três modelos que estamos analisando com o mesmo valor de US$289,99, essa venha a ser a mais refinada visualmente, não quer dizer que os modelos Asus Maximus XI Hero e MSI MEG Z390 ACE estão muito atrás, mas a primeira vista essa placa da Gigabyte tem um acabamento ligeiramente melhor, sendo também a única com back-plate.

Em se tratando do acabamento, vale o destacar que Gigabyte e MSI já trazem também a proteção metálica reforçando os slots de memória, além de outros locais como os slots PCI-Express, a Asus não adiciona esse tipo de reforço nas memórias, se não é algo que na prática "reforça" muito, ao menos visualmente fica mais legal, mas é um mero detalhe. A Gigabyte tem adotado o sistema de proteção metálica em todos os conectores e slots possíveis, desde o PCI-Express a memórias, nesse modelo até nos conectores de energia de 8 pinos do CPU, faltando apenas o de 24 pinos da placa-mãe.

O sistema de áudio utiliza o tradicional chip presente nos modelos mais caros do mercado, o Realtek ALC 1220. Pelo jeito não existe mais opções com esse perfil, ao menos as fabricantes não buscam adicionar outras chips diferentes, talvez porque não tenha pelo preço e qualidade final que o 1220 entrega.

O painel traseiro é fixo, uma "feature" que tem sido adotada pela Asus, Gigabyte a também MSI em seus produtos high-end, mas já aparecendo em modelos intermediários. Acho muito válido, além de evitar a perda do "espelho", melhora bastante a questão de encaixe evitando que gabinetes "joguem" o espelho para o lado e acabem comprometendo os encaixes.

Em se tratando das conexões do painel traseiro, todas as principais, incluindo botões para ligar o sistema e clear da BIOS, conexões para as antenas Wifi, várias USB incluindo USB 3.1 Gen2 Tipo A e C. As conexões de áudio são todas banhadas a ouro, e também temos uma HDMI para o vídeo integrado dos processadores, mas é em versão 1.4. Da Gigabyte, apenas o modelo Z390 I AORUS Pro Wifi, em formato Mini-ITX, traz suportre a 4K 60Hz através de uma DisplayPort e outra HDMI 2.0, isso falando nesse soquete.

Abaixo colocamos lado a lado 3 placas com chipset Z390 que recebemos para análise, curiosamente todas possuem exatamente o mesmo preço no lançamento, US$289,99 dólares, isso em cenário internacional. Como elas possuem preço igual, podem ser comparadas em tudo, no quesito tecnologias oferecidas, são bem parecidas também.

 


BIOS


A Gigabyte atualizou a sua interface de BIOS, acho que finalmente encontrou um layout simples e direto, com um visual bonito, o que se espera desse tipo de feature.

O lado positivo é que não mexeu na disposição de opções, não vai confundir quem já esta acostumado com versões anteriores. Para baixar novas BIOS basta acessar o site da placa clicando aqui. A BIOS utilizada foi a versão mais atual durante a análise, F5.


Sistema Utilizado


Abaixo algumas fotos do sistema montado e na sequência detalhes do sistema utilizado para os testes, mesmo em todas as plataformas.

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- Processador: Intel Core i7-8700K
- Placa de vídeo: NVIDIA GeForce RTX 2080 Ti Founders Edition
- Memórias: 16 GB G.Skill TrindentZ RGB 3200MHz (2x8GB)
- SSD: Kingston Savage 240GB Sata 6Gb/s
- HD: Seagate Barracuda 2TB 7200RPM Sata 6Gb/s
- Cooler: Noctua NH-U12S
- Fonte de energia (PSU): Thermaltake Toughpower 850W GOLD PSU

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits
- GeForce 416.34

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- AS SSD Benchmark 2.0.x
- Cinebench R15
- Crystal Disk Mark 5.x
- WinRAR 5.6x
- wPrime 1.55
- 3DMark Fire Strike (DX11)
- Grand Theft Auto 5 (DX11)

CPU-Z
Confira abaixo as telas do CPU-Z mostrando detalhes da placa-mãe e parte do sistema utilizado nos testes, sendo que nessas screens deixamos a configuração padrão do sistema assim que o montamos, sem sequer setar o perfil máximo das memórias.

Para usar a frequência máxima das memórias é necessário setar a configuração na BIOS


Overclock


Utilizamos o Core i7-8700K para a análise, sendo que não temos ainda o 9900K. A meta de overclock foi a mesmo utilizado em modelos Z370, 5GHz. Como aconteceu em outros modelos, não tivemos dificuldade em colocar o processador em 5GHz mudando o multiplicador para 50x e mantendo a tensão em modo automático. Vale destacar que o cooler é importante nessa questão, em um momento tinha faltado um teste e adicionei o cooler BOX, o teste não finalizava, bastou voltar o NH-U12S e pronto, resolvido.

As memórias setamos em seu clock máximo, 3200MHz, porém é importante destacar também que essa placa suporta até 4266MHz+, possivelmente alcance 4400MHz, se não agora com update de BIOS isso será possível, por isso o "+".

Sempre lembramos que você deve fazer overclock por sua conta e risco, dependendo do quanto e de como forçar o sistema, pode gerar problemas irreversíveis.


Testes

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema. Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso (IDLE).

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, obtivemos os seguintes resultados de consumo:

Testes de desempenho
Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes - com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema!

AIDA64 
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o AIDA64 e seu teste de memórias, mostrando o resultado de leitura, escrita, cópia e latência. Confira abaixo:

Crystal Disk Mark - USB 3.1
No próximo teste o desempenho com um pen drive USB 3.1 na conexão USB mais rápida da placa. Para esse teste, estamos utilizando um dos Flash Drives mais rápidos do mercado, o SanDisk Extreme PRO USB 3.1 de 256GB. Ele tem velocidades altíssimas para um drive USB, com 420 MB/s de leitura e 380 MB/s de escrita.

É importante instalar os drivers do controlador USB da placa
para atingir o cenário ideal

Destacamos ainda que o drive utilizado é padrão USB 3.1 Gen1. Futuramente, em nova versão Gen2, naturalmente ele poderá alcançar velocidades ainda maiores, já que as placas trazem essa nova conexão.

CineBench
O próximo teste é de renderização de imagem com multi-core, todos os núcleos são colocados para trabalhar:  

WinRAR
Outro teste indicado que pode ser utilizado para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores.

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:  

3DMark
Começamos nossos testes com foco em vídeo com o 3DMark, mas por enquanto com a placa de vídeo dedicada.

Grand Theft Auto 5
O game GTA V para PC é um bom teste para mostrar diferença de desempenho em processadores, já que ele faz bastante uso desse componente, sendo interessante nesse aspecto após fazer overclock. Confiram abaixo o comportamento dos sistemas rodando o game e como fica a diferença, sempre considerando a resolução FullHD que é onde vemos diferenças reais:


A Gigabyte Z390 AORUS Master é mais uma excelente placa-mãe com suporte aos processadores Core de 8ª e 9ª geração, com belo design, excelente abamento e componentes da mais alta qualidade aliada a uma série de tecnologias, todas atualizadas em suas versões mais recentes, entre os modelos mais completos do mercado. Comparada com o modelo topo de linha da própria empresa com chipset Z370, nenhuma grande mudança, apenas suporte para memórias com frequências mais altas e atualização de tecnologias como novas versões de Wi-fi e Bluetooth.

Vale destacar ainda que a Gigabyte anunciou um modelo posicionado acima dessa placa, chamado de Z390 AORUS Xtreme, ainda mais refinado, destinado para aqueles usuários que querem o que existe de melhor, mas em se tratando das tecnologias oferecidas, elas são parecidas. Como uma das maiores novidades, versões mais recentes das tecnologia Wifi e Bluetooth, 2x2 Wi-Fi 802.11ac Wave2 CNVi e Bluetooth 5.0

As principais tecnologias do mercado nas versões mais recentes

Como sempre em modelos com esse perfil, um projeto com diferenciais para overclock, possibilitando levar os processadores "K" ao seu limite. São 12 controladores de fases e componentes de alta qualidade. O suporte para memórias de acordo com a Gigabyte é de 4266MHz ou pouco mais. A Asus já oficializou o suporte para memórias até 4400MHz na linha Maximus XI, só falta agora aparecer kits com essa velocidade por preços mais atrativos, já que custam valores absurdos e na prática não trazem grandes benefícios sobre kits já rápidos como um de 3200MHz, por exemplo.

O sistema de som traz o "sempre o mesmo" chip de áudio Realtek ALC 1220, utilizado nos principais modelos do mercado faz anos. A placa suporta até três SSDs em formato M.2, com dissipadores em todos os slots, outra feature que virou padrão nesse perfil de produto. O espelho traseiro é fixo, que no mínimo entrega conexões melhores para o que for conectado atrás do painel. O painel traseiro traz todas as conexões mais importantes para um usuário de PC, desde as conexões de vídeo até USB 3.1 Gen2, antenas Wifi e também conexões de áudio internas banhadas a ouro. Ela tem apenas uma conexão de vídeo, uma HDMI 1.4.

Design bonito, excelente acabamento e preço competitivo

Em cenário internacional ela está custando $289,99 dólares, mesmo valor da Asus Maximus XI Hero (Wi-Fi) que também já analisamos, e mesmo valor da MSI MEG Z390 ACE que iremos analisar. Em comparação com o modelo da Asus, ela fica levemente acima na questão de acabamento, além de trazer um back-plate, já em se tratando das tecnologias suportadas, são praticamente idênticas, ficando por conta das tecnologias exclusivas de cada fabricante a diferença, quase sempre mudando apenas nomes para coisas iguais. (Pesquisa de preço feita na newegg.com em 21/10/2018). É mais uma bela placa para quem pensa em montar um sistema de alto desempenho baseado em processadores Intel soquete LGA 1151 v2. No Brasil a placa ainda não chegou.

Conclusão

 

Avaliação: ANÁLISE: Gigabyte Z390 AORUS Master

Tecnologias
10
Acabamento
10
Overclock
9.5
Preço
8

PRÓS
Belo design com excelente acabamento
Todas as principais tecnologias do mercado
Bom potencial para overclock
Suporte a Wifi com velocidade de 1734Mbps e Bluetooth 5.0
Suporte para memórias com frequência de até 4266+
Back-plate
CONTRAS
N/A
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.